segunda-feira, 25 de maio de 2015

Resenha: livro "Diário de estrada", Ramon Santos

 Olá pessoal, tudo bem? O livro da resenha de hoje é Diário de estrada, escrito pelo Ramon Santos e publicado em 2014 de forma independente.

Resenha, livro, Diário de estrada, Ramon Santos

 "Mas o simples fato de haver uma mínima possibilidade de poder preencher todo aquele vazio começara a me inquietar." (página 33)

 Depois de ler "On the road - pé na estrada" do Jack Kerouac"Ghost Rider: A estrada da cura" do Neil Peart (ambos já resenhados no blog), fiquei com muita vontade de ler um livro sobre viagens pelo Brasil. Apesar de ter pesquisado um pouco, de ter perguntado para outros leitores, não encontrava nada no estilo que procurava. Até que conheci o livro do Ramon Santos, e tive a oportunidade de lê-lo em e-book.

 Ramon Santos tinha dezessete anos quando decidiu largar tudo e cair na estrada, ele não se sentia feliz vendo o rumo que sua vida tomava e quis viver uma aventura, vontade comum a muitos jovens, mas o Ramon não ficou só na vontade e foi em busca do que queria.

 "Finalmente tinha a sensação de permanecer a um lugar, assim como cada rocha, folhas, ou qualquer mínimo que seja grão de terra, eu estava ali, eu estava vivo ali. Eu apenas existia." (página 135)

 Diário de estrada é o resultado dos relatos de  mais de um ano em que ele esteve viajando pelo sul do país. Do litoral ao interior, passando por praias e montanhas, cidades pequenas e grandes; enfrentado dias de sol, de chuva, de frio ou calor; algumas vezes sozinho, outras acompanhado por pessoas iguais ou muito diferentes dele; trabalhando em áreas que nunca imaginou que trabalharia, para poder conseguir algum dinheiro para se manter; comendo o que encontrava no caminho ou o que conseguia comprar e cozinhar. Até numa aldeia indígena ele foi parar!

 Mas, o mais bacana de Diário de estrada, além de ser uma história real, é que nos faz refletir sobre aquelas pessoas que, muitas vezes, são invisíveis para nós: os andarilhos e moradores de rua. Algumas vezes, podemos ser preconceituosos com eles, e não termos noção de quantas boas histórias alguns deles teriam para nos contar, quantas coisas interessantes estariam escondidas atrás de roupas velhas, cabelos desgrenhados e barba por fazer.

 "Três semanas aprendendo a ver nos olhos das pessoas o medo e o receio daquela triste realidade, que apenas olham, mas jamais enxergam além do que seus olhos se dispõem a ver." (página 105)

 "No momento eu me julgava um exímio pescador. E como todo ser humano, demasiado humano, julgava que minhas habilidades de pesca me salvariam a qualquer momento e em qualquer lugar. Eu era tolo! Ingênuo, ao pensar que um rio seguiria meu caminho invés de seu curso natural." (página 51)

 Nem tudo foram flores para o Ramon em sua jornada, além de ter que lidar com os próprios sentimentos e inquietações, ele teve que enfrentar muitos perrengues e se deparou com pessoas nada legais em seu caminho. Mas houveram as pessoas boas, que viram além das aparências, que ajudaram o garoto aventureiro. E ele contou com uma boa dose de coragem e de sorte também, para sobreviver aos riscos da viagem e conseguir encontrar essas pessoas boas que lhe deram carona, emprego, comida, um teto para dormir quando sua barraca não era o suficiente ou  que simplesmente lhe ofereceram atenção e companhia.

 "Afinal, sempre é bom ver que a estrada que andamos, não é de total deserto, e que não a trilhamos sozinhos." (página 181)

 Ao terminar a leitura, assim como após ler "On the road" e "Ghost Rider", surgiu em mim aquela vontadezinha de também me aventurar, de conhecer lugares novos; acho que esse é um bom indicador de qualidade para livros do tipo.

 "Qualquer pessoa em sã consciência estaria preocupada em como retornar ao lar, porém eu apenas estava me preocupando em como registrar tudo que estava vivendo e sentindo." (página 55)

 O Ramon publicou o livro dele de forma independente, mas creio que se tivessem uma boa edição e revisão oferecidos por uma editora, suas aventuras, seu crescimento como pessoa, suas dores e seus amores teriam um potencial gigantesco para encantar um grande número de leitores.

 Detalhes: 201 páginas, perfil do autor no Facebbok. Onde comprar online e ler um trecho: Clube de autores.

 "Quem sabe a grandeza do ser humano está na quantidade de vidas que ele leva durante uma só." (página 101)

 Por hoje é só, espero que vocês tenham gostado da resenha. Alguém aí já conhecia o Ramon, seu livro e suas aventuras? Gostam de obras do tipo?

Até o próximo post!

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.

sábado, 23 de maio de 2015

Promoção de Dia dos Namorados da Editora Illuminare


 O Dia dos Namorados está chegando, por isso, a Editora Illuminare, juntamente com blogs amigos, montou uma super promoção para presentar seus leitores. Um sortudo vai ganhar um super kit, contendo: 1 exemplar do livro "Clímax! Faça-me chegar lá" (contos eróticos), 1 exemplar do livro "Eu, você e o amor" (contos românticos), 1 caixa de bombons Ferrero Rocher (em formato de coração), um chaveiro e 10 marcadores de páginas.

 Para participar, basta fazer login no formulário do Rafflecopter abaixo e cumprir as 3 primeiras regras, que são obrigatórias, após isso, aparecerão as entradas opcionais, que podem aumentar suas chances de ser o sorteado.

a Rafflecopter giveaway
 As inscrições vão até o dia 17/06/2015, o sorteio será feito no dia 18. O resultado será divulgado em nossas redes sociais e nesse mesmo post. O envio do prêmio será feito pela Editora Illuminare, que entrará em contato com o sorteado através do e-mail fornecido no formulário, para pegar o endereço para envio (caso o sorteado não responda em até uma semana, o sorteio será refeito e um novo vencedor será sorteado). Alguma dúvida?

 Boa sorte!

 Ah,  se você ganhar, vai aproveitar o prêmio sozinho ou dividir com alguém?

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Resenha: livro "Maior que Tudo", A. J. Ventura

 Olá pessoal, tudo bem? O livro da resenha de hoje é Maior que Tudo, escrito pela A. J. Ventura e publicado em e-book na Amazon.

Resenha, livro, Maior que Tudo, A. J. Ventura, ebook

 Narrado em terceira pessoa, o livro conta a história de Anna, uma brasileira que, aos 26 anos, morava em Nova York, dividia um apartamento com sua melhor amiga, quase uma irmã, Pat. As duas eram professoras em um curso de idiomas, além de darem aulas particulares.

 Anna gostava muito de ir ao teatro, numa dessas idas, ela conheceu Joel e ficou encantada por ele. Mas ela não se achava o tipo de mulher por quem um homem tão bonito se interessaria. Anna sempre esteve acima do peso, por isso, teve poucos relacionamentos, de forma que ainda era virgem.

 Por obra do destino, Joel e ela voltaram a se encontrar e, para surpresa e felicidade de Anna, Joel havia sim ficado muito interessado por ela, tanto que propôs um acordo: ele seria o seu primeiro homem e lhe ensinaria tudo sobre sexo, mas desde que ela não esperasse que a relação dos dois se transformasse em um namoro ou que houvesse um sentimento mais forte entre eles. Joel era muito misterioso, um advogado que vivia viajando.

 Se era isso que ele tinha para oferecer, Anna aceitou, mas ela já estava apaixonada por Joel. E é entre as idas e vindas do casal que a história se desenrola, com Anna tentando descobrir por qual motivo Joel não quer um relacionamento com ela: ele teria vergonha de seu peso, seria casado ou, quem sabe, um criminoso?

 "Não poderia ser mais irônico. Um homem que Anna adoraria prender pelo estômago teria que cozinhar, para que ela não passasse fome." (página 73)

 Quando a autora entrou em contato comigo, perguntando se eu gostaria de ler e resenhar Maior que Tudo, a ideia que eu tinha do livro era bem diferente do que ele realmente é. Pela capa coloridinha, eu espera um chick-lit bem leve, mas a história é mais que isso.

 Uma mistura de chick-lit com romance erótico, Maior que Tudo é uma história divertida, bem construída e uma boa leitura, que me surpreendeu ao fugir do clichê: o segredo de Joel, a justificativa para as ações dele, foi algo que eu não poderia prever, o que fez com que eu gostasse mais dos personagens e admirasse a criatividade da autora. Acho que se mais pistas sobre esse segredo tivessem sido dadas ao longo da trama, se houvesse um foco maior no personagem Joel, já que a narração era em terceira pessoa, a história poderia ter ficado ainda mais interessante e eu não teria ficado tão desconfiada sobre ele, mas teria me apaixonado pelo Joel bem antes do final, onde me vi super conectada aos personagens.

 "Sem problemas, sem notícias do mundo e sem influências externas, qualquer relacionamento pareceria perfeito, mas ela sabia que não havia tal coisa e que dentro do mundo real, o que eles tinham não podia ser chamado de relacionamento, muito menos considerado perfeito." (página 79)

 Algumas vezes, fico com um pé atrás quando um autor nacional decide ambientar sua história em Nova York, mas no caso da  A. J. Ventura, o resultado foi muito bom, ela construiu um bom cenário para a trama.

 "- Mas Anna, isso tudo faz parte de qualquer relacionamento. Você tem que fazer sua parte e esperar que ele esteja na mesma página que você. Que queira o que você quer. A gente só entra em um relacionamento sem bagagem nenhuma, uma vez. Depois disso, a gente sempre carrega os fracassos, acertos, erros e mágoas do passado. Você não sabe o que ele tem de bagagem, o que ele já passou. Vocês precisam se conhecer melhor. Combinar, ser bom na cama é ótimo, mas infelizmente não é tudo. Vocês precisam saber se combinam fora dela também." (página 96)

 Maior que Tudo é o primeiro livro da série In love in NY, o segundo vai contar a história da melhor amiga da Anna, a Pat, e se chamará Mais Forte que Tudo. O lançamento de  Mais Forte que Tudo na Amazon está previsto para amanhã! E a queria A. J. Ventura fez uma coisa super legal: colocou Maior que Tudo para ser baixado gratuitamente até amanhã!!! E eu super recomendo que vocês baixem, é só clicar aqui. Dá para ler no computador, no celular ou no tablet, é só baixar o aplicativo de Leitura Kindle gratuitamente, lá na Amazon explica tudo direitinho.

 Detalhes: 286 páginas, página no Facebook, Skoob. Onde comprar online: e-book na Amazon.

 Por hoje é só, espero que vocês tenham gostado da resenha. Alguém aí já conhecia o livro? Baixem, leiam e depois me contem se gostaram.

Até o próximo post!

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Conheça o lançamento da Editora Butterfly: O mundo encantado das cores

 Olá pessoal, tudo bem? No post de hoje, venho mostrar uma super novidade para vocês: O mundo encantado das cores, o novo livro de colorir da Editora Butterfly, parceira do blog.

O mundo encantado das cores, livro, livro de colorir, comprar


O mundo encantado das cores, livro, livro de colorir, sinopse
 Sinopse: O mundo encantado das cores traz para você a oportunidade de redescobrir o prazer de imaginar e criar.
São diversas imagens com temas variados: animais, flores, mandalas, borboletas, pessoas, objetos e figuras abstratas.
Com essas imagens, selecionadas com muito carinho e impressas em papel de alta qualidade, você poderá fazer lindos quadros ou até mesmo presentear com uma de suas pinturas quem você ama.
E cada imagem é acompanhada de um pensamento, para você refletir enquanto colore.
Escolha suas cores preferidas e descubra um mundo de possibilidades.
Seja bem-vindo ao mundo das cores!


 O lançamento está previsto para o dia  29 de maio de 2015, mas a pré-venda já começou na loja da editora. Para comprar O mundo encantado das cores (com desconto), é só clicar aqui.

 Ficha técnica: ISBN: 978-85-68674-02-4, 96 páginas, formato: 25x25 cm, acabamento: Brochura. Skoob. Conheça o site da editora: www.editorabutterfly.com.br.


 Gostaram da novidade? Acho muito legal essa febre de livros de colorir, antes dela, quando é que víamos um adulto colorindo? Isso era considerado coisa de criança pela nossa sociedade estressada. E se colorir vai diminuir o stress das pessoas, então, vamos colorir!

 Até o próximo post!

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Resenha: livro "Rio Negro, 50", Nei Lopes

 Olá pessoal, tudo bem? O livro da resenha de hoje é Rio Negro, 50, escrito por Nei Lopes e publicado pela Editora Record no mês passado.

Livro, Rio Negro, 50, Nei Lopes, Record, Resenha, trechos, preconceito, Brasil


 Eu gosto bastante de novelas, filmes, séries e livros que retratem a história do Brasil, especialmente do último século do país. Por isso, quando vi que Rio Negro, 50 se passava no Rio de Janeiro, nos anos 50 e que misturava personagens fictícios com reais, fiquei curiosa e decidi solicitar o livro. Quando comecei a leitura, vi que ele era extremamente diferente do que eu imaginava.

 Rio Negro, 50 não é uma história convencional; começa no início dos anos 50 e termina no final da década; não tem um protagonista, mas vários personagens que aparecem aqui e ali. Em 1950, a seleção do Brasil perdeu a final da Copa do Mundo de Futebol, um homem negro foi confundido com um dos jogadores e se tornou a vítima de um linchamento na rua. O crime e a derrota na Copa são alguns dos assuntos debatidos no Café e Bar Rio Negro, onde se reúnem esportistas, músicos, artistas do teatro, advogados e outros intelectuais, todos negros.

 Resumidamente, o livro fala sobre como era ser negro na década de 50. Mostra o racismo e o preconceito, e a forma como os "homens de cor" (termo bastante usado na obra) conviviam com os brancos e as tentativas de resistência cultural dessa parte da população. Hoje, é inegável que as pessoas negras ainda são vítimas de discriminação, mas na década de 50, ela era muito mais forte. Pessoas que, mesmo famosas, não eram aceitas em hotéis chiques; que mesmo comprando ingresso como todas as outras, não podiam entrar nos bailes; que mesmo tendo dinheiro não eram aceitas nos clubes, sequer podiam entrar na piscina como convidados (com o argumento absurdo de que a água da piscina faria mal para a pele negra), sofriam toda essa discriminação apenas por serem negras, eram vistas com desconfiança até pelos seus semelhantes.

 "Terminada a leitura do 'Relatório' ninguém mais tem dúvida de que há realmente uma Guerra Preta sendo articulada a partir do Rio de Janeiro. Então, as ameaças começam a chegar, por vias diversas." (página 143)

 Nesse quesito de retratar uma época e uma condição social, Rio Negro, 50 é um bom livro e me agradou, mas para quem tem pouco conhecimento sobre a história do Brasil, pode ser uma leitura sem atrativos, já que há muitos personagens (mais de uma dezena) com histórias que se entrelaçam, mas nenhuma se destaca (poderiam ser escritos dezenas de romances com esses personagens fictícios, já os reais tem uma participação ínfima), os acontecimentos não seguem uma trajetória linear, de forma que se o leitor não prestar bastante atenção, pode se perder na história. Conheci várias palavras novas, e tive que exercitar a memória para lembrar o significado de algumas, além de fazer ligações entre o que eu sabia da década de 50 e o que estava acontecendo na trama. A narração é outro diferencial, estou acostumada com livros narrados no pretérito, e Rio Negro, 50 tem a narração no presente (exemplo: "Por isso ele anda devagar..." [página 15]).

 "Boemia e alcoolismo nem sempre andam juntos. São que nem bandidagem e malandragem. Só às vezes se encontram. Como prazer e vício; discussão e bate-papo; turma e corriola." (página 24)

 Ler Rio Negro, 50 me fez conhecer um pouco mais sobre a história do Brasil (a morte de Getúlio Vargas e o que ela desencadeou em nossa política, a paixão nacional pelo futebol, a vida boêmia da época, a era de ouro do rádio, o surgimento da TV, a ascensão das Escolas de Samba...)  e, principalmente, sobre a cultura africana (as religiões, as comidas, a música...) .

 "De tanto escutar que preto é inferior, feio, sujo, preguiçoso, a pessoa de cabeça fraca acaba acreditando nisso. E aí passa a não gostar nem dela mesma." (página 165)

Livro Rio Negro, 50, Nei Lopes
Contrcapa livro Rio Negro, 50, Nei Lopes
Rio Negro, 50, Nei Lopes, Record
Rio Negro, 50, Nei Lopes

 Gostei bastante da capa, das cores e das fontes escolhidas. As margens, o espaçamento e a letra tem um tamanho bom, não encontrei erros de revisão e as páginas são amareladas.

 Detalhes: 288 páginas, ISBN-13: 9788501102843, Skoob. Onde comprar online: Cultura.

 "Mas não podemos nos dividir entre brancos e negros porque o divisionismo só vai servir para nos enfraquecer..." (página 149)

 Por hoje é só, espero que vocês tenham gostado da resenha. Alguém aí já conhecia o livro? Curtem produções de época?

 Até o próximo post!

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.

sábado, 16 de maio de 2015

Conheça "Distopia", livro escrito por Kate Willians, que será lançado pela Editora Arwen

 Olá pessoal, tudo bem? No post de hoje, venho apresentar um novo livro para vocês: "Distopia", escrito pela Kate Willians, e que será lançado pela Editora Arwen, parceira do blog. A previsão de lançamento é para junho ou julho, pelo selo Literata.

livro, Distopia, Kate Willians, capa, sinopse

 Sinopse: Novos padrões de convivência foram restabelecidos após a Grande Guerra ter devastado o planeta. Os países, estados e cidades foram quase que inteiramente dizimados. Os sobreviventes encontraram um novo meio de restaurar sua sociedade; dividir as pessoas com base na sua classe social. Os governados e os governantes. Num mundo onde o poderio militar dita as regras, será necessário muito mais do que um exército para impedir que os dois mundos eclodam. Thiago é soldado por obrigação e um Governado por nascença. Laura é filha do Coronel, uma Governante. O que eles não esperavam, é que viveriam um amor capaz de transcender o Regimento. A pergunta que fica é: você iria contra a sua família e sua origem, para viver um grande amor?

 Capa e contracapa:

livro, Distopia, Kate Willians, capa, sinopse

 Capa aberta:

livro, Distopia, Kate Willians, capa, sinopse

 Para saber mais sobre o livro e a autora, é só acessar: www.mundodakate1.blogspot.com.br, ou curtir a página do livro no Facebook.

 Distopia ainda está em fase de revisão na Editora, mas pela parceria com a autora, recebi a versão original em e-book para ler e resenhar para vocês.

 Por hoje é só; espero que tenham gostado da novidade. Já tinham visto falar do livro? O que acharam da capa? Eu achei que, junto com a sinopse, dão um ar bem interessante para o livro. E se é uma publicação da Arwen, tem grandes chances de ser coisa boa!

Até o próximo post!

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.

sexta-feira, 15 de maio de 2015

TAG - Skoob: Minha Estante Virtual

TAG, Skoob, blog

 Olá pessoal, tudo bem? No post de hoje, venho responder uma tag que vi no blog Salada de Livros; a tag foi criada por uma usuária do Skoob e para saber mais sobre ela é só clicar aqui. Para quem não conhece, o Skoob é uma rede social para leitores, onde, entre outras coisas, podemos marcar os livros que lemos ou queremos ler, postar resenhas e fazer amigos. Eu sou completamente viciada no site, acesso todos os dias, várias vezes por dia, sempre que ganho um livro novo ou termino uma leitura, corro para o site para atualizar minha estante virtual. Sendo assim, não poderia deixar de responder a tag, né?!

 1- Quantos livros lidos você tem na sua aba LIDO no Skoob? Por enquanto, são 230. Alguns foram lidos na época do colégio (quando eu morava passava muito tempo na biblioteca), e como eu ainda me lembrava deles, coloquei na estante.

 2- Qual livro você está lendo? "Maior que tudo", da A. J. Ventura. Em breve, terá resenha no blog.

 3- Quantos livros tem na sua aba VAI LER? 136 (não sou muito de marcar como "vou ler", por isso essa aba não é muito atualizada).

 4- Você está relendo algum livro? Qual é? Não tenho o hábito de reler livros, ou  só ainda não tive tempo para relê-los.

 5-Quantos livros você já abandonou? Quais são eles? Não abandonei nenhum até hoje; algumas vezes para a leitura, mas retomo depois.

 6- Quantas resenhas você tem cadastradas no Skoob? 108, postar uma resenha no blog e não postá-la no Skoob me deixa insatisfeita.

7- Quantos livros avaliados você tem na sua lista? 174, acabo colocando avaliações raramente nas resenhas no blog, mas sempre avalio no Skoob.

 8- Na aba FAVORITOS, quantos livros você tem registrados? Cite alguns. Nesse quesito, sou um pouco exigente, só livros que tenham sido muito especiais é que se tornam favoritos, por isso, só tenho 23 registrados. Alguns: Fortaleza Negra - Kel Costa, A Evolução de Calpúrnia Tate - Jacqueline Kelly, Olhe Nos Meus Olhos - John Elder Robison, O Céu Está em Todo Lugar - Jandy Nelson, Tempo de Esperas - Fábio de Melo, As Vantagens de Ser Invisível - Stephen Chbosky, Deu "Tilt" no Progresso Científico -As Aventuras de Calvin e Haroldo - Bill Watterson (esses dois contribuíram muito para me fazer gostar de ler), Os Miseráveis - Victor Hugo (a adaptação, não o original, único livro que reli mais de duas vezes), As caçadas de Pedrinho - Monteiro Lobato (sou apaixonada pelas histórias do Sítio), Momo e o Senhor do Tempo - Michael Ende (último livro que peguei emprestado na biblioteca da escola).

 9- Quantos livros você tem na aba TENHO? 104, mas na lista estão os livros da minha irmã, que não tem Skoob.

 10- Quantos livros você tem nos DESEJADOS? 35

 11- Quantos livros emprestados no momento? Quais? Apenas 1, o meu querido "Crimbfuor - Chegada a Atrithar", do Mike Ross, que eu coloquei para viajar num grupo de empréstimos, para que mais pessoas possam conhecer uma obra tão maravilhosa.  

 12- Você quer trocar algum livro? Quais são? Isso é algo que eu ainda não consigo fazer.

 13- Na aba META, quantos livros você tem marcados? Cumpriu essa meta? Marquei 19 para esse ano, já li 3, mas acho difícil conseguir cumprir a meta, sempre tem livros que vão furando a fila.

 14- Qual é o número no teu paginômetro? 53.708

 15- Qual o link do teu perfil do Skoob? http://www.skoob.com.br/usuario/250576-maria, me adicionem lá.

 Por hoje é só; espero que vocês tenham gostado da tag. Não vou indicar ninguém para responder, mas sintam-se todos convidados. Alguém aí já respondeu? Ou é viciado no Skoob também?

Até o próximo post!

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.