quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Comparando livros: Quem é Você, Alasca? e Os 13 Porquês

Comparação, livros, Quem é Você, Alasca?, Os 13 Porquês

     Olá pessoal, tudo bem? No post de hoje vou comparar dois livros. Os escolhidos foram: "Quem é Você, Alasca?" do John Green e "Os 13 Porquês" do Jay Asher, ambos já resenhados no blog (não pretendo dar spoilers sobre as histórias). Você pode estar se perguntando: por que compará-los? A resposta é simples, porque quando estava lendo Os 13 Porquês, a lembrança de uma citação de Quem é Você, Alasca? aparecia insistentemente na minha cabeça, ficava martelando e martelando até depois de eu fechar o livro.
     A intenção do post não é dizer qual das duas obras é melhor ou qual você deve ler, longe disso! A ideia principal do post é mostrar o que as duas histórias podem trazer de bom para nossas vidas, é falar sobre uma mensagem que elas tem em comum.

Livro, Quem é Você, Alasca?, John Green

 Sinopse: Miles Halter é um adolescente fissurado por célebres últimas palavras que, cansado de sua vidinha pacata e sem graça em casa, vai estudar num colégio interno à procura daquilo que o poeta François Rabelais, quando estava à beira da morte, chamou de o "Grande Talvez". Muita coisa o aguarda em Culver Creek, inclusive Alasca Young, uma garota inteligente, espirituosa, problemática e extremamente sensual, que o levará para o seu labirinto e o catapultará em direção ao "Grande Talvez".
X
livro, Os 13 Porquês, Jay Asher

 Sinopse: Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra um misterioso pacote com várias fitas cassetes. Ele ouve as gravações e se dá conta de que foram feitas por uma colega de classe que cometeu suicídio duas semanas antes. Nas fitas, ela explica que 13 motivos a levaram à decisão de se matar. Clay é um deles. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.

     Semelhanças:
     → Ambos foram os romances de estréia de seus respectivos autores.
     → Fizeram e fazem sucesso entre os jovens.
     → São narrados por garotos adolescentes, Miles e Clay, que tem quase a mesma idade e gostam de uma garota complicada (respectivamente, Alasca e Hannah).
     → Tem o ambiente escolar como um dos cenários.

     Diferenças:
     → Enquanto Miles me pareceu um garoto meio arrogante e chato no começo do livro, Clay foi um dos personagens que mais gostei até hoje, mostrou-se um garoto legal desde as primeiras páginas.
     → Os problemas de Alasca estavam dentro dela, suas mágoas pouco tinham a ver com os colegas de escola. Já para Hannah, o problema era exatamente os outros, que foram ferindo seu coração a tal ponto que ela não aguentou mais.

     A citação de Quem é Você, Alasca? da qual me recordava enquanto lia Os 13 Porquês era a seguinte:
     "Se ao menos conseguíssemos enxergar a infinita cadeia de conseqüências que resulta das nossas pequenas decisões. Mas só percebemos tarde demais, quando perceber é inútil." 
     Talvez se os personagens de Os 13 Porquês conseguissem enxergar essa cadeia de consequências, a história fosse diferente.
     Um trecho específico do livro de Jay Asher me fez lembrar do que John Green escreveu:
     "Ninguém sabe ao certo impacto tem na vida dos outros. Muitas vezes não tem noção. Mas forçamos a barra do mesmo jeito."

     As duas histórias falam sobre as consequências de nossas ações, em Quem é Você, Alasca? Miles sabe o que aconteceu após uma dessas pequenas ações, mas na visão dele é algo que não poderia prever. Já Os 13 Porquês alerta para o fato de que somos responsáveis sim pelo que fazemos para e com os outros. Os personagens do livro de Asher certamente pensavam como os de Green, antes de ouvirem as fitas feitas por Hannah antes dela se suicidar.
     Aí fica a questão: até que ponto somos responsáveis pelo que acontece na vida dos outros? Se tivéssemos a consciência do quanto podemos influenciar a vida de alguém, agiríamos com mais cautela?

     Por hoje é só, espero que vocês tenham gostado do post.
     Me contem: alguma vez vocês já se lembram insistentemente de um livro enquanto estavam lendo outro? Alguém que já tenha lido Quem é Você, Alasca? e Os 13 Porquês pensou mesmo que eu? Quais livros vocês gostariam que fossem "comparados"?


Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Caixa de Correio: livros de setembro

 Olá pessoal, tudo bem? No post de hoje, venho mostrar os livros que chegaram no mês passado, foram 8: 4 empréstimos, 1 book tour e 3 recebidos de parcerias (na foto abaixo só tem 7).

Caixa de Correio, Pétalas de Liberdade, blog, livros

 - Cadê Você, Bernadette? - Maria Semple, Editora Companhia das Letras, ISBN: 9788535922936, 376 páginas, tradutor: André Czarnobai, Skoob. Onde comprar online: Submarino.
 Peguei emprestado, já li e só tenho elogios sobre essa história divertida e maravilhosa. Resenharei em breve.
Cadê Você, Bernadette?, Maria Semple, Editora Companhia das Letras, livro, sinopse

 Sinopse: Bernadette Fox é notável. Aos olhos de seu marido, guru tecnológico da Microsoft e rock star do mundo nerd, ela se torna mais maníaca a cada dia; para as demais mães da Galer Street, escola liberal frequentada pela elite de Seattle, ela só causa desgosto; os especialistas em design ainda a consideram uma gênia da arquitetura sustentável, e Bee, sua filha de quinze anos, acha que tem a melhor mãe do mundo. Até que Bernadette desaparece do mapa. Tudo começa quando Bee mostra seu boletim (impecável) e reivindica a prometida recompensa: uma viagem de família à Antártida. Mas Bernadette tem tal ojeriza a Seattle - e às pessoas em geral - que evita ao máximo sair de casa, e contratou uma assistente virtual na Índia para realizar suas tarefas mais básicas. Uma viagem ao extremo sul do planeta é uma perspectiva um tanto problemática. Para encontrar sua mãe, Bee compila e-mails, documentos oficiais e correspondências secretas, buscando entender quem é essa mulher que ela acreditava conhecer tão bem e o motivo de seu desaparecimento.
 Maria Semple revela, em seu segundo romance, a influência de grandes escritores contemporâneos como Jonathan Franzen e Jeffrey Eugenides, ao mesmo tempo que se afirma como uma voz original, marcada pelo melhor humor das séries de TV norte-americanas. Sem sentimentalismos, mas com muita empatia, Cadê você, Bernadette? trata do amor incondicional de uma filha por sua mãe imperfeita.


 - Os Segredos de Landara - Livro 1 - Redescobrindo o Passado - Bruna Camporezi, Editora Novo Século, ISBN: 9788576798699, 440 páginas, Skoob. Onde comprar online: Americnas.
 Eu tinha me inscrito num book tour desse livro, mas ele sumiu no começo da viagem. Consegui o livro emprestado, já li, gostei bem mais do que esperava, resenharei em breve.

Livro, Os Segredos de Landara, Bruna Camporezi, Editora Novo Século, sinopse

 Sinopse: Acordar em um lugar sujo e completamente estranho parece algo insano demais, principalmente quando uma jovem percebe que está dentro de uma prisão e não consegue se recordar nem mesmo de seu próprio nome. Completamente perdida, sua única escolha é tentar se comunicar com os outros encarcerados, como James, um antigo prisioneiro que parece saber muito sobre ela. A garota descobre que está em Landara, uma ilha que abriga criaturas incríveis e civilizações bem peculiares. Para desvendar os mistérios desse lugar, terá que encontrar Klaus Leone, um cientista genial que há tempos esconde algo que poderá mudar o futuro da ilha. E ao contar com a ajuda de diversos companheiros, acabará se apaixonando por um deles. As descobertas de seu passado e sobre este mundo aumentam a cada página e, de forma surpreendente, acabam alterando o rumo da viagem, obrigando-a a enfrentar situações que ela só acreditava ser possível em sonhos. O que esta extraordinária ilha tem de tão oculta?

 - A Maldição do Tigre - A Saga do Tigre - Livro 1 - Colleen Houck, Editora Arqueiro, ISBN: 9788580411607, 288 páginas, tradutor: Raquel Zampil, SkoobOnde comprar online: Submarino.
 Esse era um livro que eu não pretendia ler, mas por um acaso, ele chegou até mim como um empréstimo. Li e me vi apaixonada pela história, com vontade de ler a série toda.

Livro, A Maldição do Tigre, A Saga do Tigre, Colleen Houck, Editora Arqueiro, sinopse

 Sinopse: Kelsey Hayes perdeu os pais recentemente e precisa arranjar um emprego para custear a faculdade. Contratada por um circo, ela é arrebatada pela principal atração: um lindo tigre branco. Kelsey sente uma forte conexão com o misterioso animal de olhos azuis e, tocada por sua solidão, passa a maior parte do seu tempo livre ao lado dele. O que a jovem órfã ainda não sabe é que seu tigre Ren é na verdade Alagan Dhiren Rajaram, um príncipe indiano que foi amaldiçoado por um mago há mais de 300 anos, e que ela pode ser a única pessoa capaz de ajudá-lo a quebrar esse feitiço. Determinada a devolver a Ren sua humanidade, Kelsey embarca em uma perigosa jornada pela Índia, onde enfrenta forças sombrias, criaturas imortais e mundos místicos, tentando decifrar uma antiga profecia. Ao mesmo tempo, se apaixona perdidamente tanto pelo tigre quanto pelo homem.

 - Filhos da Senzala - Silvânia Dias, Editora Schoba, ISBN: 9788580133196, 260 páginas, Skoob. Onde comprar online: loja da editora.
 "Filhos da Senzala" foi cedido pela Editora Schoba para resenha, vocês podem conferir minhas opiniões sobre esse belíssimo romance de época nacional no post: Resenha: livro "Filhos da Senzala".

Livro, Filhos da Senzala, Silvânia Dias, Editora Schoba, sinopse

 Sinopse: Ele era branco, jovem e livre. Ela, uma belíssima parda, provocante e sedutora que nasceu escrava na Fazenda Cantareira, de propriedade do temido e impiedoso Capitão Bartolomeu Moutinho Esteves. Por intenso amor a ela, o ingênuo rapaz vendeu 12 anos de sua existência ao diabólico fazendeiro e mergulhou no abismo sombrio e brutal do cativeiro, tornando-se o principal personagem de um sórdido drama.

 - Madame Bovary - Gustave Flaubert, Editora Abril, 261 páginas, tradutor: Araújo Nabuco, SkoobOnde comprar online: Submarino.
 Um clássico que eu tinha vontade de ler, essa edição que peguei emprestada, é bem antiga e por isso a leitura foi um pouco difícil. A história é diferente do que eu esperava, resenharei em breve.

livro, Madame Bovary, Gustave Flaubert, sinopse

 Sinopse: A personalidade literária de Flaubert, dotada de agudo senso crítico que o distanciou do exaltado gosto romântico da época, levou-o a tornar-se um dos maiores prosadores da França no século XIX. O romance "Madame Bovary" é a sua obra-prima. Baseado em fatos da vida real, o livro, que Flaubert levou cinco anos para escrever, causou forte impacto, a ponto de gerar o processo no qual o autor escapou de ser condenado à prisão, graças à habilidade da defesa, que transformou a acusação de imoralidade na proclamação das intenções morais e religiosas do autor. Nem moral, nem imoral, a narrativa é uma devastadora crítica das convenções burguesas do seu tempo.


 - Esmeralda - Cida Santos, Editora Arwen, segunda edição, ISBN: 9788568255001, 134 páginas, SkoobOnde comprar online: loja da editora.
 Recebi "Esmeralda" da parceria com a Editora Arwen, veio o box com as duas edições, marcadores e penduradores de porta, tudo lindo e muito bem embalado. Para conferir minhas opiniões sobre esse livro que mistura poesia e romance: Resenha "Esmeralda" Cida dos Santos.

livro, sinopse, Box, Esmeralda, Cida Santos, Editora Arwen

 Sinopse: Quando a lua surge no céu estrelado e o fogo crepita na fogueira como as chamas de uma fênix, um dueto se inicia. Convidada pelo imperador cigano, Esmeralda responde ao seu canto com histórias em forma de prosa enquanto dança ao som da viola. Um dueto poético que mistura, fé, magia e história. Assim a natureza surge em cada palavra da cigana, nos ensinando sobre as belezas deste mundo.


 - Dhyana e O Guardião Do Portal - Denise Dourado Oliveira, 296 páginas. Saiba mais sobre o livro na página no Facebook.
 Recebi esse livro com essa capa linda da assessora da autora. Assim que ler, posto a resenha para vocês.

Livro, Dhyana e O Guardião Do Portal, Denise Dourado Oliveira,

 Sinopse: A obra narra a trajetória de Dhyana, uma jovem escolhida pelas Sacerdotisas da Fraternidade da Rosa para ajudar na manutenção do equilíbrio entre os três Mundos: dos Mortais, das Fadas e o da Escuridão. Porém, o livro vai muito além da ficção, ele é um instrumento que auxiliará o leitor a conhecer melhor as suas forças internas e evoluir espiritualmente, sempre em busca de uma razão maior em sua existência.


 - Um Gesto de Amor - O que você faria por alguém que ama? - Tony Ferr, Editora Selo Jovem, ISBN: 9788566701000, Skoob. Onde comprar online: loja da editora.
 Participei do book tour organizado pelo autor, minhas opiniões sobre esse emocionante romance de estréia (que não parece ser de estréia, o autor tem uma escrita bem madura) é só conferir: Resenha: livro "Um gesto de amor", Tony Ferr

Um Gesto de Amor, Tony Ferr, Editora Selo Jovem, livro, sinopse, romance

 Sinopse: Decidida a não se apaixonar por mais ninguém, Liza, vê sua promessa ameaçada ao conhecer André o professor do seu filho. Tudo começa a mudar quando seu filho cria uma forte relação de amizade com André, que tenta de todas as formas preencher o vazio paterno naquela criança. Após entender que esse homem deve fazer parte de sua vida, Liza sente que está na hora de recomeçar sua história. Esta relação é ameaçada pelo ciúme de seu melhor amigo Fernando, que luta pelo seu coração há quatro anos. Mas André está disposto a não perder essa luta. Liza procura seguir seu coração e os conselhos de sua melhor amiga, Sofia, mas percebe que não é tão fácil a escolha que deve fazer. Tentando de todas as formas não ferir o coração de ninguém, faz sua escolha trazendo consequências capazes de desmoronar tudo aquilo que desejou. Amor, amizade, perdão e destino serão testados e somente Um Gesto de Amor será capaz de resgatar tudo aquilo que Liza imaginou estar perdido. Então... o que você faria por alguém que ama? 


 Foi um mês com muitos livros; já em outubro, até hoje não recebi nenhum. Qual vocês já leram ou gostariam de ler?
 Espero que tenham gostado do post de hoje.

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts por e-mail)| Instagram.

sábado, 25 de outubro de 2014

Dicas práticas para o ENEM

Dicas, práticas, ENEM, 2014, prova, conselhos, nota, melhorar, úteis, aprovado

     Olá pessoal, tudo bem? Nos dias 8 e 9 de novembro, milhões de pessoas estarão fazendo as provas do ENEM. Fiz as provas ano passado, tirei uma boa nota, com isso consegui uma bolsa integral no PROUNI e estou cursando o segundo semestre de Pedagogia. Nesse post, vou dar algumas dicas práticas, baseadas na minha experiência em 2013, que talvez possam ajudar quem vai fazer o ENEM a melhorar seu desempenho.

     1 - Faça simulados, pesquise na internet por provas dos anos anteriores para ir se habituando com o formato das questões, caso não esteja habituado. Um site que acessei várias vezes foi o Guia do Estudante.

     2 - Chegue com antecedência ao local. Eu fiz as provas em uma cidade longe da minha, mesmo olhando no Google Maps onde era a escola, tive que pedir informação na cidade para achar o local da prova. Para isso, cheguei na cidade umas duas horas antes.

     3 - Não deixe para entrar na sala em cima da hora. Como disse no item anterior, cheguei na cidade umas duas horas antes, até achar a escola foi mais uma meia hora, esperei no carro até ficar mais próximo da hora de entrar na escola. Demorei alguns minutos para achar a sala, e tinha uma pequena fila na porta. Então, se for uma escola que você não conhece, você vai precisar de tempo para achar a sala, se tiver fila, você pode perder tempo para a prova.

     4 - Leve água. Beber pequenos goles de água durante a prova pode te ajudar a relaxar caso "sua cabeça comece a ferver". Mas não exagere, ou você vai querer ir ao banheiro. Ano passado, no primeiro dia não pediram para que eu tirasse o rótulo da garrafa, já no segundo sim.

     5 - 4 horas e 30 minutos  para as provas de Ciências Humanas e da Natureza  e 5 horas e 30 minutos para as provas de Português, Matemática e Redação pode parecer muito, mas pelo número de questões não é! Eu tinha a ilusão de que me sobraria mais tempo. No primeiro dia, fui lendo e respondendo as questões que sabia até a última, depois voltei para responder as que tinham ficado. Consegui terminar a prova quando faltava meia hora. No segundo, fiz a mesma coisa: li questão por questão e fui marcando as que sabia, terminei a prova quando faltavam 15 minutos para o fim. Algumas pessoas tem o hábito de ler todas as questões primeiro para depois começar a responder, eu não aconselho. Saber dividir o tempo é um dos fatores mais importantes.

     6 - Redação: ao pegar a prova, leia o tema da redação e já faça um rascunho, enquanto você está com a cabeça mais “fresca”. Depois comece a responder as questões, lembre-se  que você precisará reservar um tempo para passar a redação a limpo.

     7 - As questões são de múltipla escolha. Mesmo que você não saiba qual a resposta certa, talvez você saiba qual (ou quais) não são as respostas certas. Se das 5 alternativas, eu sabia que uma não era a possível resposta, eu marcava um “N” nela, assim, se eu precisasse chutar a questão, eu teria que escolher entre as outras 4 e minhas chances de acertar ficavam maiores.


     Bom, isso me ajudou ano passado e talvez seja útil para vocês. Não é nenhum segredo, são coisas práticas, dicas que me deram e outras que descobri na prática. Repito: dividir o tempo é essencial, de que adianta você saber muita coisa e não ter tempo de ler todas as questões? Falando nisso, ler com atenção os enunciados e compreender o que as questões pedem é super importante.
     Recomendo a leitura atenta das dicas do site oficial do ENEM, para saber quais documentos devem ser levados, o que é permitido e o que não é. Por exemplo, só pode levar caneta de tinta preta e de material transparente; ano passado uma garota da minha sala levou azul, resultado: teve que pedir uma caneta emprestada para outro participante. É bom levar mais de uma, para o caso de falhar.
     Por fim, lembro que o ENEM tem todo ano; para quem quer usar a nota para entrar na faculdade, caso ela não seja o suficiente na prova de 2014, tente novamente em 2015!

     Espero que vocês tenham gostado do post. Quem aí tem mais dicas? E dúvidas? Compartilha aí nos comentários!

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.  

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Lançamentos Literários: Editora Gente e Única

     Olá pessoal, tudo bem? No post de hoje, venho mostrar os lançamentos do mês da Editora Gente e Única.


Título: A Formatura
Autor: Joelle Charbonneau
Selo: Única Editora
ISBN: 978-85-67028-47-7
Formato: 14 x 21
Páginas: 320
Gênero: Infanto-juvenil
Tradução: Elisa Nazarian
Lançamento: Outubro 2014
Preço de capa: R$ 34,90

“Conspirações, mentiras e traições. É uma verdadeira aventura.”
Kirkus Review

O futuro nunca foi tão incerto e desesperador. Cia Vale jamais imaginaria que as coisas pudessem chegar a esse ponto. Ela tem uma importante missão: liderar as ações para a verdadeira reconstrução do mundo pós-guerra, um caminho sem volta. Agora, ela é a peça-chave para concretizar o plano de pôr fim ao Teste, para o bem das pessoas.
     Diante de um horizonte cheio de cicatrizes brutais, uma guerra prestes a começar e um governo cruel e corrompido, Cia não tem escolha a não ser se preparar para chegar às últimas consequências – se for preciso.
     Será que seus colegas a seguirão para a batalha final? O amor de Tomas será forte o suficiente para aceitar e sobreviver à prova mais difícil de suas vidas? Os riscos são maiores do que nunca, e para Cia só resta confiar nos próprios instintos.
     A formatura, o desfecho da distopia que nos fez perder o fôlego!
     “Se quero tentar acabar com o Teste, vou ter de descobrir como.”

     Sobre a autora: Joelle Charbonneau começou a narrar histórias através da ópera, mas hoje ela encontra a voz através da escrita. Ela vive em Chicago com seu marido e seu filho. A autora foi considerada uma das mais importantes descobertas de 2013 e a trilogia O Teste entrou para a lista de best-sellers nos Estados Unidos. Os direitos dos livros foram adquiridos para cinema pela Paramount. Ainda, a obra foi escolhida a mais importante leitura de verão pela Indie Next 2013 Summer YA Pick e uma das dez na lista Top 10 Young Adult Books for Summer, do jornal USA Today.



Título: O Manual do Empreendedorismo
Subtítulo: 74 dicas para ser um empreendedor de sucesso
Autor: Bruno Caetano
Selo: Gente
ISBN: 978-85-7312-990-8
Formato: 13,5 X 20,5
Páginas: 176
Gênero: Sucesso/Negócios
Lançamento: Novembro 2014
Preço de capa: R$ 19,90

O GUIA PRÁTICO PARA QUEM SONHA EM IR MAIS LONGE

Quais os segredos para obter sucesso no próprio negócio? O que todo empreendedor precisa saber para se tornar um verdadeiro líder?
     Neste livro, Bruno Caetano presenteia a todos com informações valiosíssimas para aqueles que desejam trilhar um caminho de prosperidade, sendo o protagonista do seu sonho. Aqui, você descobrirá como garantir a melhor estratégia para obter o melhor resultado por meio de:
     • planejamento;
     • investimento;
     • análise de oportunidades;
     • relacionamento com clientes e colaboradores.
     Descubra como o mercado funciona antes de abrir seu negócio.

     Sobre o autor: Formado em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (USP), Bruno Caetano é mestre e doutorando em Ciência Política também pela USP. Na academia, desenvolve pesquisas voltadas ao tema da governabilidade e do equilíbrio de poderes nas esferas subnacionais.
     Na Prefeitura de São Paulo, atuou como assessor especial do prefeito José Serra, no provimento de informações e na coordenação dos projetos estratégicos e multissetoriais — função que também exerceu no Governo do Estado de São Paulo, como subsecretário de gestão estratégica da Casa Civil.
     De 2007 a 2010, foi secretário de Comunicação do governo paulista, no qual coordenou a comunicação do governo com a sociedade, o relacionamento com a imprensa e a elaboração de campanhas de utilidade pública, como a da divulgação da lei antifumo e a do lançamento do Emprega São Paulo. Desenvolveu trabalho pioneiro com a utilização de ferramentas da web 2.0 para relacionamento do governo estadual com a sociedade.
     Em 2011, assume como diretor superintendente do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado de São Paulo (Sebrae-SP). Atualmente, está licenciado do cargo.


Título: O mito da alma gêmea
Subtítulo: Os 3 passos para se livrar da ilusão e encontrar o amor de verdade
Autor: Jean Cirillo
Selo: Gente
ISBN: 978-85-7312-984-7
Formato: 16 x 23
Páginas: 256
Gênero: Autoajuda e relacionamento
Tradutor: Silvia Pomanti
Lançamento: Outubro 2014
Preço de capa: R$ 29,90

O que é melhor do que encontrar o cara perfeito? Encontrar o homem da sua vida.

     Responda rápido, você já fez alguma das coisas da lista abaixo?
     - Já riscou alguém da sua lista de paqueras após um único encontro?
     - Já desistiu de alguém porque ele não dava sinais de que fosse mudar?
     - Tem medo de assumir um compromisso sério antes da hora?
     - Tem um namorado que todos adoram – menos você?
     - Costuma decepcionar-se com os homens ao conhecê-los melhor?
     Se disse sim para um ou mais itens da lista, este livro é para você. Estamos num mundo que tem mais desencontros do que encontros, onde os términos superam os começos e no qual ter uma vida amorosa parece sonho de adolescente.
    Deixe as ilusões de lado. O mito da alma gêmea traz os únicos três passos dos quais você vai precisar para encontrar a pessoa certa e mantê-la em sua vida. Afinal, o que todos queremos – todos mesmo, até quem tem medo de compromisso – é encontrar alguém que nos entenda, nos faça rir quando estamos tristes, que seja irresistível mesmo quando nos tirar do sério e que nos inspire a fazer planos para o futuro. Afinal, quem não quer ver a vida finalmente começar quando encontramos o parceiro que está ali para o que der e vier?
     Em apenas três passos, abra-se para nunca mais procurar por uma alma gêmea e ganhe em troca o amor de verdade!
     *  Segundo a Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio (PNAD), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 48% dos adultos brasileiros são solteiros. Isso dá mais de 72 milhões de pessoas, portanto as chances de encontrar um bom companheiro são bem maiores do que as pessoas imaginam! Basta que elas deixem de lado essa ideia de encontrar o homem perfeito.

     Sobre o autor: Jean Cirillo, PhD, tem mais de 25 anos de experiência como psicóloga. Ela já foi presidente da Divisão de Questões Femininas da Associação Psicológica de Nova York (New York State Psychological Association's Division of Women's Issues). Além de ter participado por muito tempo como especialista em talk shows como The Jenny Jones Show, Fox News Live, The Montel Williams Show e nos canais History Channel e MSNBC.


Título: Resolva!
Subtítulo: Transforme problemas em grandes oportunidades e tenha uma empresa campeã
Autor: Marcus Vinicius Freire
Selo: Gente
ISBN: 978-85-7312-986-1
Formato: 14 x 21
Páginas: 160
Gênero: Negócios e Carreira
Lançamento: Outubro 2014
Preço de capa: R$ 29,90

O livro ajuda gestores e empreendedores a encararem seus problemas e descobrirem caminhos eficazes para resolvê-los.
De acordo com o autor, o primeiro passo é definir a importância e a urgência de cada um dos problemas, pois só com essa organização em mente a pessoa será capaz de lidar com eles de modo tranquilo. Além disso, é preciso saber que os problemas estão lá para serem resolvidos e ter o entendimento de que tudo isso só lhe tornará um profissional mais experiente.
     Com o método elaborado por Marcus Vinicius Freire, as pessoas passarão a gostar de resolver problemas, e estarão preparadas para agir antes, durante e depois das tempestades.

     Sobre o autor: Marcus Vinicius Freire é ex-jogador da seleção brasileira de voleibol. Atualmente é superintendente executivo de esportes do Comitê Olímpico do Brasil (COB).
     Como dirigente, foi chefe da missão do Brasil nos Jogos Pan-americanos de 1999 em Winnipeg, no Canadá, e 2007, no Rio de Janeiro – a maior e mais bem-sucedida delegação brasileira de toda a história – e também chefe da missão nos Jogos Olímpicos de 2008, em Pequim, na China.


Título: Seja o melhor no que realmente importa
Subtítulo: A única estratégia de carreira que você vai precisar para transformar seu tempo em resultados
Autor: Joe Calloway
Selo: Gente
ISBN: 978-85-7312-985-4
Formato: 16 x 23
Páginas: 176
Gênero: Negócios e Carreira
Tradutora: Sally Tilelli
Lançamento: Outubro 2014
Preço de capa: R$ 29,90

Simplicidade e foco para maximizar resultados: quem não quer ter isso?
Este livro propõe uma ideia audaciosa: ser melhor que a concorrência nas coisas que criam verdadeiro valor para os clientes. Em vez de precisar apagar mil incêndios rotineiros e perder tempo com processos que não geram lucro nem sucesso, encontre onde dar os tiros certeiros do seu negócio ou do seu produto.
     Para isso, Joe Calloway apresenta a única estratégia que você precisa saber para transformar seu tempo em resultados – e levar sua carreira ao topo!
     Conheça a estratégia que permitirá a você:
     - Aprimorar-se de modo constante nos detalhes específicos que criam mais valor para o cliente;
     - Esclarecer as expectativas e construir uma cultura em torno da qualidade do produto/serviço;
     - Oferecer excelência consistente;
     - Identificar as áreas do negócio que se tornaram tão complicadas e, então, como simplificá-las;
     - Descobrir o que de fato motiva seus colaboradores.
     Para gerar resultados, crescimento e lucratividade, é preciso demonstrar excelência; você deve ser o melhor no que realmente importa!

     Sobre o autor: Joe Calloway é especialista na área de desempenho. Ele já ajudou centenas de empresas e pessoas a criarem e sustentarem o sucesso por meio de apresentações baseadas em princípios exclusivos e interativos que as desafiam a agir sobre aquilo que realmente importa para os empreendimentos. Calloway já publicou cinco livros, incluindo Seja especial em seu mercado (Alta Books, 2010) e Indispensable: how to become the company your customers can’t live without (Indispensável: como se tornar a empresa sem a qual seus clientes não conseguirão sobreviver, não publicado em português).

     A Editora Única lançou toda a trilogia "O Teste" em menos de um ano! Isso é que é uma editora bacana, né?!
     Por hoje é só, gostaram dos lançamentos?
Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.    

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Maratona de resenhas: como me saí + resultado da promoção

frase, livro, amor

     Olá pessoal, tudo bem? Por ter muitos livros lidos e ainda não resenhados, no dia 10 de outubro, lancei um desafio para mim: postar uma resenha por dia durante uma semana. Expliquei tudo no post Maratona de Resenhas: 1 resenha por dia, e você pode ganhar 1 livro.
     Consegui cumprir minha meta, o que me deixou bem contente. Escrevi resenhas como nunca (e fiquei satisfeita com a maioria delas), tive que me organizar e planejar para isso. Mas valeu a pena.
     Acho que Filhos da Senzala foi a melhor que escrevi, Tamanho não importa foi a mais fácil, Garota Replay me deu a alegria de ser lida pela autora (que disse que adorou :) !), Esmeralda foi a mais acessada, Os 13 porquês foi a mais difícil e Perdão, Leonard Peacock foi a que teve mais trechos do livro.

     Como escrever é bom, mas escrever e ser lido é melhor ainda, chamei os leitores para me acompanharem na maratona, desafiei-os a comentarem em todas as resenhas e concorrerem a um dos livros da semana.
     Onze leitores se inscreveram, e apenas 4 chegaram até o final e comentaram em todas as 7 resenhas. Foram eles: Aline Moreira, Ashe, Beth e Sil. Como dito no regulamento da promoção, os 4 nomes foram listados em ordem alfabética e um número foi sorteado, a ganhadora é a Sil, que poderá escolher um dos livros resenhados para ganhar (Sil, você tem 10 dias para responder o e-mail que te mandei solicitando endereço de entrega e nome do livro escolhido, ou o sorteio será refeito). 


     Quero agradecer todo mundo que me acompanhou durante a semana, que se inscreveu na promoção, que leu e comentou nas resenhas, que deixou sugestões, dicas e críticas construtivas. Eu li todos os comentários e vou responder um por um. Quero agradecer especialmente Aline Moreira, Ashe, Beth e Sil que se esforçaram para comentar em todas. Se tivesse condiçõe$, premiava os quatro.
     Se quando o final do ano estiver próximo, eu ainda tiver muitos livros lidos e não resenhados, pretendo fazer uma nova maratona. Blogueiros que tiverem vontade de fazer uma maratona, sintam-se a vontade e saibam que é dá certo. Estou com algumas ideias de outras promoções para presentear os leitores mais participativos, aguardem!
     Alguns avisos: a promoção que vai sortear 2 kits do livro "A Lenda" está quase no fim, se ainda não participou, clique aqui; e tem sorteio da trilogia "A Seleção", clique aqui para participar.
     Me contem: o que acharam do Pétalas de Liberdade ter sido atualizado todos os dias? Gostaram mais de qual resenha?
Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.

sábado, 18 de outubro de 2014

Resenha: livro Perdão, Leonard Peacock, Matthew Quick

     Olá pessoal, tudo bem? O livro da resenha de hoje é "Perdão, Leonard Peacock", escrito por Matthew Quick e publicado no Brasil pela editora Intrínseca. Já adianto que esta será uma resenha cheia de citações do livro, precisava guardá-las e também compartilhá-las!

Resenha, livro, Perdão, Leonard Peacock, Matthew Quick, contracapa, editora, Intrínseca, trechos, quotes, crítica, comprar, suicídio

     No dia de seu aniversário (não me recordo se de 17 ou 18 anos), Leonard Peacock acorda decidido a pegar a velha pistola de seu falecido avô, matar seu colega de escola e ex-melhor amigo, Asher Beal, e se matar depois.
     Leonard mora sozinho, seu pai fugiu e sua mãe se mudou por causa do trabalho e do novo namorado. Leonard tem poucos pessoas de quem gosta, muitas mágoas e desacredita totalmente num futuro melhor.
     "Essas pessoas que chamamos de mamãe e papai nos trazem para o mundo e, em seguida, não nos acompanham em nossas necessidades ou não nos dão qualquer resposta. No fim das contas, é cada um por si, e eu simplesmente não fui feito para levar esse tipo de vida." (página 149)
     Nem você, nem ninguém, garoto!

     Antes de matar Asher e de se suicidar, Leonard decide se despedir de seus quatro únicos amigos: o vizinho idoso, o colega de escola violinista, a garota cristã de quem ele gosta e Herr Silverman, o professor de alemão que está dando aulas sobre o Holocausto.
     Ao longo de capítulos curtos, acompanhamos esse dia de Leonard, na expectativa de descobrir se será ou não o seu último dia e o que o levou a tomar a decisão de matar seu ex-melhor amigo e se suicidar.

     Comecei a ler "Perdão, Leonard Peacock" logo após terminar "Os 13 Porquês" (Jay Asher). O fato de ter lido dois livros sobre o mesmo tema em seguida, certamente contribuiu para que eu estivesse mais preparada para o segundo, para que entendesse melhor o assunto. O que pode ou não ter tirado um pouco da emoção, não sei dizer.
Perdão Leonard Peacock, Os 13 porquês, livro, suicídio, jovens
* Se me pedissem para indicar qual dos dois é melhor, eu diria para lerem ambos!

     "Ser diferente é bom. Mas ser diferente é difícil." (página 105)

     Leonard é um garoto inteligente, mas que já sofreu muito, tem traumas e poucos bom exemplos em que se inspirar. Ele até tentou procurar, mas não encontrou nada de bom no mundo.
     "Portanto, cada americano é livre para fazer o que quiser aqui neste grande país supostamente livre. Por que não usam sua liberdade para buscar a felicidade?" (página 43)

     Herr Silverman foi o personagem que mais gostei. Seria bom se tivéssemos mais pessoas assim no mundo, principalmente mais professores assim. Ele é diferente, se importa com as pessoas, quer que seus alunos pensem, quero tentar ser uma professora exatamente assim quando me formar.
     "Temos um código de vestimenta bem livre, e ainda assim vocês vestem praticamente a mesma coisa. Por quê? Talvez vocês sintam que é importante não se afastar muito da norma. Será que também não usariam um símbolo do governo se fosse importante e normal fazer isso? Se esse símbolo lhes fosse vendido do jeito certo? Se estivesse costurado nas grifes mais caras do shopping? Se fosse usado por astros do cinema? Pelo presidente dos Estados Unidos?” (página 45)

     Achei interessante o que Leonard disse para a garota que ele gostava, uma garota com valores bem diferentes das dele:
     "E eu meio que admirei você de pé na estação de trem, sozinha, entregando panfletos, tentando salvar as pessoas. Parecia tão interessante quando eu a conheci, e nunca havia conhecido alguém interessante desse jeito. Mas você não é assim na igreja, não há risco em ser cristão aqui, porque todo mundo é cristão também. Aqui você é apenas uma entre muitos, ao passo que na estação de trem você era única. E eu sou do tipo que gosta de pessoas únicas, e é assim que as coisas são, só isso." (página 121)

     No fim das contas, eu gostei de Leonard, mesmo não concordando com algumas atitudes e ideias dele, mas se fosse eu em seu lugar e tivesse passado por tudo que ele passou, crescido numa família sem estrutura psicológica nenhuma, se meu melhor amigo tivesse feito o que Asher fez com Leonard, será que não veria o mundo da mesmo forma que ele?
     "A maioria das crianças sai sem nem mesmo fazer contato visual, embora Herr Silverman tente se despedir individualmente de cada um.
     Isso faz diferença, podem acreditar, mesmo que os superidiotas da minha turma não saibam apreciar.
     Houve dias em que Herr Silverman foi a única pessoa a me olhar nos olhos.
     A única pessoa durante todo o dia.
     É uma coisa simples, mas coisas simples importam." (página 99)

     Me identifico e concordo com esse pensamento de Leonard:
     "Como medir o sofrimento?
     Quer dizer, o fato de eu viver em um país democrático não garante que minha vida seja livre de problemas.
     Longe disso.
     Eu entendo que sou relativamente privilegiado do ponto de vista socioeconômico, mas Hamlet também era, assim como um monte de gente infeliz.
    Eu aposto que existem pessoas no Irã que são mais felizes do que eu — que querem continuar a viver lá, independentemente de quem esteja no poder, enquanto eu sou infeliz aqui neste país supostamente livre e tudo o que quero é deixar esta vida a qualquer custo." (página 84)

     Um conselho para todos os adolescentes (e também para todas as pessoas) que estão passando por momentos difíceis:
     "Apenas aguente como puder e acredite no futuro. Confie em mim. Esta é apenas uma pequena parte de sua vida." (página 105)

     "Perdão, Leonard Peacock" termina de uma forma meio inesperada, fiquei pensando: "Como assim, acabou?". Mas depois de refletir, concluí que o livro retrata o que pode acontecer em um dia difícil, quando chegamos ao nosso limite, e o quanto um apoio pode ser importante num momento desses. A mensagem final é a de que precisamos aguentar firme, não podemos perder a cabeça num dia difícil, amanhã sempre poderá ser melhor.
     Posso falar por experiência própria, mesmo que hoje você sinta vontade de desistir, amanhã as coisas podem estar melhor. Alguns dizem que o fundo do posso é o final, outros dizem que quando se chega ao fundo do posso, o único caminho é subir.

     "Eu sei que você só quer que tudo acabe, que não consegue ver nada de bom em seu futuro, que o mundo parece escuro e terrível, e talvez você tenha razão, o mundo pode ser, definitivamente, um lugar apavorante.
     Eu sei que você mal está suportando.
     Mas, por favor, aguente mais um pouco.
     Por nós.
     Por si mesmo." (página 37)

     O livro tem algumas notas de rodapé com reflexões bem interessantes, as duas que mais gostei:
     41 - Os jovens são como passageiros cegos: simplesmente não veem o que vem pela estrada.
     42 - Você já pensou em todas as noites que viveu e das quais não consegue se lembrar de nada? Noites tão comuns que seu cérebro simplesmente não se dá o trabalho registrar. Centenas, talvez milhares de noites passam sem serem registradas pela nossa memória. Isso não deixa você maluco? Imaginam que sua mente pode ter registrado só as noites erradas? (página 110)

Resenha, livro, Perdão, Leonard Peacock, Matthew Quick, capa, editora, Intrínseca, trechos, quotes, crítica, comprar, suicídio
Resenha, livro, Perdão, Leonard Peacock, Matthew Quick, contracapa, editora, Intrínseca, trechos, quotes, crítica, comprar, suicídio, abuso sexual
Gostei dessa contracapa, mesmo sendo uma das ideias tresloucadas de Leonard!

     Eu gosto dessa capa, das cores, do fato de ter apenas letras e nenhuma ilustração. A diagramação é boa, com margens e letras te tamanho bons, as páginas são amareladas.

     Detalhes: 224 páginas, ISBN: 9788580573954, Skoob. Onde comprar online: Americanas, Submarino.

     "Contudo, certa vez depois da aula, quando estávamos conversando, Herr Silverman me disse que, quando alguém se destaca e se mantém em um padrão mais elevado, mesmo se isso beneficia os outros, as pessoas comuns se ressentem, principalmente porque não são fortes o bastante para fazerem o mesmo." (página 93)

     Por hoje é só, espero que vocês tenham gostado da resenha. Alguém aí já leu "Perdão, Leonard Peacock" ou outro livro do Matthew Quick?

     Com este post, finalizo a Maratona de Resenhas: consegui cumprir minha meta e resenhar um livro por dia durante uma semana! Agradeço a todos que me acompanharam durante essa maratona. Pra quem estiver participando da promoção (que vai dar um dos livros resenhados para um dos comentaristas), os comentários podem ser feitos até amanhã. O resultado sai terça-feira.
     Tenham um bom final de semana!



   Este post faz parte da Semana da Maratona de Resenhas, deixando um comentário nele e nos outros posts participantes, você concorre a um dos 7 livros da imagem ao lado.  Leia o regulamento e faça sua inscrição (é só deixar um e-mail para contato no formulário) clicando aqui.



Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Resenha: livro Os 13 Porquês, Jay Asher

     Olá pessoal, tudo bem? O livro da resenha de hoje é "Os 13 Porquês", escrito por Jay Asher e publicado no Brasil pela Editora Ática em 2009. Fazia um bom tempo que queria lê-lo; a capa, o título e as indicações de outros leitores chamavam minha atenção.

Resenha, livro, Os 13 Porquês, Jay Asher, trechos, capa, suicídio, quotes, crítica
Resenha, livro, Os 13 Porquês, Jay Asher, trechos, capa, suicídio, quotes, crítica, Editora Ática, entrevista

     A história é narrada por Clay Jensen, um adolescente que, ao voltar da escola, se deparou com uma caixa de sapatos na porta de casa. Dentro da caixa estavam sete fitas cassete. Cada fita era numerada dos dois lados, a última tinha o número 13 em um dos lados e nada do outro.
     Por curiosidade, Clay colocou a primeira em um velho aparelho de som. Para seu espanto, a voz que ele ouviu era de Hannah Baker, sua colega de escola. Hannah, a garota por quem ele era apaixonado, a garota que se suicidou algumas semanas antes!
     Na gravação, Hannah diz que contaria os motivos que a levaram a se matar, os 13 porquês. E quem recebesse as fitas estava na lista de responsáveis pela sua decisão de tirar a própria vida. Clay ficou aturdido, sem entender como podia ter alguma culpa, o que poderia ter feito de mal para Hannah? Para descobrir, ele teria que ouvir todas as fitas.
     Assim como ele, fiquei extremamente curiosa para descobrir em que fita Clay apareceria e o que ele tinha a ver com a morte de Hannah. Clay é um daqueles personagens adoráveis, um bom garoto, fácil de gostar por suas palavras e por seu jeito.

Resenha, livro, Os 13 Porquês, Jay Asher, trechos, capa, suicídio, quotes, crítica, Editora Ática, entrevista

     "Os 13 Porquês" me conquistou já na primeira página, talvez tenha a melhor primeira página de todos os livros que já li. Ao chegar na última linha, eu tinha certeza que queria ler o livro todo! Ele é muito fácil de ler, tem uma linguagem extremamente compreensível, a história tem agilidade, os capítulos curtos vão passando e quando você vê, o final já está chegando.

     "Acontece uma coisa estranha quando todo mundo concorda a respeito de algo - algo a seu respeito -, que revira o estômago." (página 37)

     A faixa etária dos personagens é uma das fases mais delicadas da vida, a adolescência traz tantas mudanças e a necessidade de aceitação é muito grande. Até pouco tempo eu era adolescente, então me lembro bem como era. Nas outras fases a convivência pode ser difícil, mas na adolescência é ainda mais.
     Por que uma garota tão jovem como Hannah se suicidou? Isso não é spoiler e eu posso e preciso contar. Hannah tirou a própria vida porque os outros foram matando-a por dentro primeiro, aos poucos, com a incompreensão e com o egoísmo. Porque não conseguiram ajudá-la. Porque preferiram acreditar em boatos e nas aparências ao invés de tentarem conhecê-la realmente.

     "Porque eu posso contar nos dedos de uma só mão– sim, apenas uma– com quantos caras eu fiquei. Mas vocês provavelmente pensavam que eu precisaria das duas mãos e dos pés,só para começar,certo?" (página 182)

     Durante a leitura, refleti sobre meu passado: será que em algum momento eu não agi ou vi alguém agindo como os algozes de Hannah? Será que eu não poderia ter sido responsável por decisões extremas de outras pessoas que estivessem tão fragilizadas quanto Hannah? Quantas vezes eu levei em consideração atitudes ou palavras de pessoas que não era para levar? Quantas pessoas feriram meus sentimentos e quantas eu feri, será que esses ferimentos poderiam ter sido mortais? Para a personagem do livro foi!

     "Acho que você faz isso de propósito, Courtney. É por isso que está nestas fitas. Para você ficar sabendo que o que faz afeta os outros. Especificamente, afetou a mim." (página 83)

     Creio que todo mundo deveria ler "Os 13 Porquês", principalmente os adolescentes. Repito que é uma leitura fácil, apesar do tema. No final do livro tem uma entrevista com o autor, onde ele conta que uma garota lhe disse que ler "Os 13 Porquês" fez com que ela quisesse ser uma pessoa maravilhosa. E foi assim que eu me senti também, com vontade de ser uma pessoa melhor para os outros.
     As minhas expectativas eram altíssimas, mas a história (narrada por Clay e através das fitas de Hannah) é basicamente o que o título diz: 13 motivos, nada mais que isso. Adoraria que tivesse mais páginas para que eu pudesse conhecer melhor os outros personagens, o que aconteceu na vida deles antes e depois das fitas. O final deixou um gosto de quero mais e ao mesmo tempo uma sensação de satisfação, me identifiquei com muitas partes do livro e foi maravilhoso poder lê-lo. 

     Um conselho valioso e que deveríamos seguir:
     "a questão é que, quando você faz alguém se sentir ridículo, você tem de assumir a responsabilidade pela ação de outras pessoas que tomam isso como pretexto." (página 48)

     No final do livro, tem uma entrevista com o autor. Dá para lê-la completa no blog Capítulos dos Sonhos, eu sugiro que vocês leiam mesmo que ainda não tenham lido o livro: Entrevista com Jay Asher (vou colocá-la na fan page mais tarde). Deixo na resenha uma das respostas do autor que considerei bem importante.

Resenha, livro, Os 13 Porquês, Jay Asher, trechos, capa, suicídio, quotes, crítica, Editora Ática, entrevista

     "Depois de tudo que eu contei nestas fitas,de tudo o que ocorreu,fiquei pensando em suicídio. Na maioria das vezes, era apenas um pensamento passageiro.
     Eu queria morrer.
     Pensei nessas palavras muitas vezes. É algo difícil de dizer em voz alta. É ainda mais assustador quando você sente que pode estar falando sério." (página 217)

Resenha, livro, Os 13 Porquês, Jay Asher, trechos, capa, suicídio, quotes, crítica, Editora Ática, entrevista
Resenha, livro, Os 13 Porquês, Jay Asher, trechos, capa, suicídio, quotes, crítica, Editora Ática, entrevista, sinopse
Resenha, livro, Os 13 Porquês, Jay Asher, trechos, capa, suicídio, quotes, crítica, Editora Ática, entrevista

     Gosto dessa capa, pelas cores e pela imagem da fita que tem a ver com a história. A diagramação é boa: folhas amareladas, tamanho bom de margens, espaçamento e letras. Pelo que eu saiba, o autor só tem mais um título publicado no Brasil: "O Futuro de Nós Dois", escrito em parceria com Carolyn Mackler, uma pena, já que a escrita dele é tão boa.

     Durante a leitura, me lembrei do livro "Quem é você, Alasca?" (John Green) algumas vezes, não que a história fosse parecida, mas ambos passam uma mensagem sobre a consequência que nossas ações tem. Falarei sobre isso em outro post.
     "Ninguém sabe ao certo impacto tem na vida dos outros. Muitas vezes não tem noção. Mas forçamos a barra do mesmo jeito." (página 135)

     Resumindo: "Os 13 porquês" é um livro de leitura rápida e fácil, o título é um resumo da história (cuidado com as expectativas!), aborda de forma clara um assunto que ainda é tabu para alguns, nos faz pensar sobre a consequência das nossas ações e olhar para as outras pessoas de forma diferente.

     Detalhes: 256 páginas, ISBN: 9788508126651, tradutor: José Augusto Lemos, Skoob.Onde comprar online: Cultura.

     Espero que vocês tenham gostado da resenha. Não foi fácil falar sobre "Os 13 porquês" de forma que as palavras transmitissem o espírito da obra. Alguém aí já leu o livro?



   Este post faz parte da Semana da Maratona de Resenhas, deixando um comentário nele e nos outros posts participantes, você concorre a um dos 7 livros da imagem ao lado.  Leia o regulamento e faça sua inscrição (é só deixar um e-mail para contato no formulário) clicando aqui.



Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.