TOP COMENTARISTA DE ABRIL

TOP COMENTARISTA DE ABRIL
Seu comentário pode te dar o livro "Ninfeias Negras", clique na imagem para saber como participar! E quanto mais você comentar, mais chances tem de ganhar!

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Resenha: livro "Ghost Rider: A estrada da cura", Neil Peart

     Olá pessoal, tudo bem? Hoje trago a resenha do livro "Ghost Rider: A estrada da cura", escrito pelo canadense Neil Peart e publicado no Brasil pela Editora Belas-Letras.
Resenha, livro, Ghost Rider: A estrada da cura, Neil Peart, Belas-Letras, trechos, crítica, Rush

     Neil Peart é baterista e compositor na banda de rock Rush (que eu não conhecia até então). No livro, através de suas lembranças, trechos de seu diário de viajem e de cartas que ele escreveu para amigos e familiares, ele conta o que vivenciou e como sobreviveu no final dos anos 90. Sua jovem e única filha, Selena, faleceu num acidente de carro. Poucos meses depois, Jackie, sua esposa,  ficou doente e também faleceu.
     Neil perdeu as pessoas que mais amava num curto espaço de tempo. Como e por quê ele continuaria vivendo? Como Neil diz em seu livro, se ele se embebedasse ou morresse de overdose, quem o condenaria?
     "Logo no início desse duplo pesadelo, lembro de ter pensado: 'Como alguém sobrevive a uma coisa dessas? E, se sobrevive, em que estado esse alguém ressurge do outro lado?'
     Bem, eu não sei, mas vou descobrir, porque estou protegido por um pequeno reflexo, característico de minha natureza: 'Alguma coisa vai acontecer'." (página 111)
     Bem lá no fundo, Neil tinha uma pontinha de esperança de que alguma coisa boa ainda podia existir; sentimento que, creio eu, esteja presente na vida de muitas pessoas que passam por momentos difíceis (esteve presente na minha).
     Neil decidiu viajar, cair na estrada, ir para lugares onde ele pudesse ficar longe do passado. Em anos anteriores, ele já havia feito algumas viagens de moto ou bicicleta e isso sempre lhe fazia bem, parecia a única coisa que ele ainda tinha vontade de fazer.
     Montou em sua BMW R1100GS e partiu rumo ao Alasca, o único estado dos Estados Unidos que ele ainda não conhecia (e já comecei a aprender, ao contrário do que eu imaginava, no Alasca não tem só gelo e esquimós morando em iglus).
     Depois do Alasca, viajou pelo Canadá, Estados Unidos, México e veio até a América Central. Nunca ficando mais do que alguns dias em um mesmo lugar, passando por diversas cidades (algumas ele já havia visitado antes e tinha recordações delas) e paisagens. Neil precisava estar sempre em movimento, para que suas dores não conseguissem imobilizá-lo.
     "Há pessoas que realmente dizem me invejar, embora a maioria seja de estranhos, e duvido que você teria sido tão limitado ou egoísta a ponto de dizer uma coisa dessa. Isto é muito mais liberdade do que qualquer um jamais deveria desejar. Isto é mais com um 'voo desesperado', e um outro nome que tenho para mim mesmo é 'Ghost Rider'. Sou um fantasma, carrego alguns fantasmas comigo e viajo por um mundo que não é muito real. Por enquanto fico bem, contanto que eu me mantenha em movimento..." (página 194)
     No livro, Neil relata os cenários pelos quais passou (com riqueza de detalhes na maioria das vezes), as histórias de moradores ilustres e curiosidades ou relembra fatos que ele viveu naquelas cidades em suas turnês com o Rush. Neil fala também sobre os perrengues da viagem: os tombos, as hospedagens e restaurantes ruins, os empecilhos de se viajar fora da temporada.
     "Assistir a um filme ou ler um romance pode deixá-lo triste ou amedrontado, até mesmo inspirado, mas no final daquela experiência nada realmente aconteceu na sua vida. As experiências da vida real não são assim, como eu certamente acabei aprendendo. A imagem fantasiosa de um espírito livre vagando sem cuidado ou esforço por algum filme em IMAX de paisagem deslumbrante não apenas ignorava as possibilidades mais tenebrosas (pane, acidente, ferimento, morte), mas também omitia meros cortadores de barato como mau tempo, indigestão, dor de dente ou diesel no seu tanque de gasolina. Qualquer coisa podia acontecer, e o cenário nunca é 'neutro'." (página 59)
     Neil não fez de "Ghost Rider: A estrada da cura" um livro triste ou cheio de lamentações, apesar do tamanho de sua dor e de elas estarem presentes de forma muito sincera e compreensível ao longo da história.
     "Às vezes, eu podia direcionar meus pensamentos para longe de certos lugares, e até mesmo me prevenir conscientemente para não me sentir triste ou desanimado. Às vezes, eu conseguia fazer isso... Mas não o tempo todo." (página 349)
     "(...) não se pode dizer a si mesmo como se sentir." (página 384)
     Tem muitas partes divertidas e pensamentos interessantes e inteligentes. Além de Neil falar sobre vários autores e livros que ele já havia lido ou lia no decorrer da viajem (deu vontade de anotar cada um e procurar para ler depois).
     "Steven, Shelly e eu nos inscrevemos para uma caminhada noturna após o jantar. Depois de olhar as fotos da trilha próxima do hotel feitas com uma câmera equipada com dispositivo infravermelho - de jaguares, onças-pintadas e esse tipo de coisa - estou torcendo para que a gente depare com, bem, talvez com algumas formigas carregadeiras..." (página 255)
     "Percebi que era completamente errado avaliar as pessoas de acordo com a raça, porque era claro que a  cultura era o divisor real entre as pessoas. Dado tempo suficiente, uma geração ou duas, todos nós nos tornamos o 'Outro'..." (página 44)

     Inicialmente, tive receio de não saber como analisar o livro, afinal, é uma história real. Diferente da ficção, não dá pra dizer, por exemplo, que faltou isso ou aquilo, ou que o desfecho poderia ser diferente. É a vida de uma pessoa contada por ela mesma.
     "Ghost Rider: A estrada da cura" me confirmou que a realidade pode ter muito em comum com os livros de ficção. Quando parecia que nada mais poderia acontecer de ruim para o Neil, aconteceu! E fez com que ele mudasse os poucos planos que tinha (spoiler: um problema que impediu que seu melhor amigo o acompanhasse na viagem). Mas no fim, talvez se esse acontecimento não tivesse ocorrido, ele não teria sentido a necessidade de contar imediatamente sobre as coisas e os lugares por onde ia passando para alguém; esses registros certamente fariam muita falta no resultado final do livro. Pobre Brutus! (Brutus é o nome do melhor amigo de Neil.)
     O livro traz várias cartas que Neil escreveu para amigos e familiares, muitas vezes ele precisava contar um mesmo acontecimento para várias pessoas em cartas diferentes, o que temi que poderia ser chato, mas não foi. Cada carta tinha um destinatário e uma completava a outra para que fosse possível compreender o que Neil sentia e vivia de uma forma mais ampla.
     "Ghost Rider: A estrada da cura" é uma leitura que leva tempo, um livro para se ler aos poucos (são 528 páginas), são muitos lugares e histórias e se você ler rápido demais vai acabar perdendo a graça. Em compensação, é um livro que vai valer cada centavo que você pagar por ele; um companheiro para vários dias ou semanas. Foi meu companheiro por dois meses, já que eu interrompi a leitura inúmeras vezes (primeiro semestre na faculdade me deixando louca, não fosse isso, teria conseguido ler em algumas semanas) mas sempre que retomava a leitura sentia como se não tivesse perdido o fio da meada.
     Um fato curioso (para mim): sempre que minha sobrinha (ela tem três anos) me vê lendo, pede para eu ler em voz alta. Raramente ela ouve mais do que algumas linhas e já sai de perto. Com "Ghost Rider: A estrada da cura" ela ficou um tempão do meu lado, me ouvindo ler. Só saiu quando terminamos o capítulo. Talvez tenha sido pelas descrições dos cenários, não sei ao certo, só sei que não quero esquecer.
Resenha, livro, Ghost Rider: A estrada da cura, Neil Peart, Belas-Letras, trechos, crítica, Rush, capa
Resenha, livro, Ghost Rider: A estrada da cura, Neil Peart, Belas-Letras, trechos, crítica, Rush, sinopse, comprar, contracapa

     Foi o primeiro livro da Belas-Letras que tive em mãos e preciso destacar que a tradução (um trabalho de Candice Soldatelli) e a revisão me pareceram ótimas! Gostei da capa (além de bonita, aparentemente resistente para um livro grande), das folhas amareladas, do ótimo tamanho das margens, letras e espaçamento.
     Ah, o livro é dividido em duas partes e subdividido em capítulos; sempre com um trecho e a tradução (gostei disso) de uma música do Rush no início e no final de cada capítulo.
     Vi que alguns leitores gostariam que o livro tivesse um mapa para que fosse possível visualizar melhor a rota feita por Neil Peart, mas acho que são tantos lugares que o mapa acabaria ficando incompreensível.
Resenha, livro, Ghost Rider: A estrada da cura, Neil Peart, Belas-Letras, trechos, crítica, Rush, música, The Pass, 1991

     No fim das contas, valeu muito a pena ler "Ghost Rider: A estrada da cura". É um livro que recomendo para qualquer leitor (desde que ele se lembre que é uma história real), especialmente para quem: é fã do Rush ou tem curiosidade sobre o mundo da música; para quem gosta de livros de viagem, de motos ou quer conhecer um pouco das estradas da América ou para quem perdeu uma pessoa querida.
     "John Steinbeck uma vez escreveu que às vezes a melhor coisa que se pode fazer por alguém é permitir que essa pessoa faça algo por você, e aprendi que isso era a mais pura verdade." (página 49)
     "Bem, se há uma coisa que aprendi com as reviravoltas do mundo é que é simplesmente inútil tentar controlar esta montanha-russa maluca chamada Vida, então tudo que podemos fazer é aguentar firme." (página 399)
     "Ao mesmo tempo, assim como havia acontecido durante a minha jornada pela Estrada da Cura, ao fim eu acabei alcançando certo estado de 'Aceitação', mesmo que fosse uma aceitação atormentada. Também me pareceu que eu estava adquirindo um senso de aceitação sobre o mundo do jeito que ele era. E, como sempre, meus pensamento, minhas viagens, minhas leituras e minha escrita pareciam estar todos interligados." (página 472)

     Detalhes: 528 páginas, ISBN: 9788581741536, Skoob, releaseleia o primeiro capítulo. Onde comprar online: site da editoraSaraivaSubmarino.

     Ouvindo as músicas do Rush após terminar a leitura, sem perceber, fico tentando distinguir o som da bateria do Neil Peart.
     Uma boa notícia: a Belas-Letras vai publicar mais quatro livros do Neil Peart, o primeiro ("Clockwork Angels", uma ficção de Kevin J. Anderson baseado nas composições do Rush) sai em novembro deste ano (leia a notícia completa aqui).
     Espero que vocês tenham gostado da resenha (sei que ficou grande, mas é tanta coisa pra registrar sobre esse livro que não tinha outro jeito; se você leu tudo até o final, muito obrigada!).
     Vocês já conheciam o Neil Peart, sua história, ou o Rush?

     Avisos: as inscrições para o sorteio do livro "Fahrenheit 451" ainda estão abertas, clique aqui para participar. E ainda tem vagas para os blogueiros interessados em participar do book tour do livro "Já matei por menos", inscrições aqui.

 Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.

terça-feira, 24 de junho de 2014

Participe do Book Tour do livro "Já matei por menos"

     Olá pessoal, tudo bem? Hoje inicio o primeiro Book Tour para blogueiros do Pétalas de Liberdade. Para quem não sabe, um book (livro) tour (turnê, viagem) consiste em colocar um livro para viajar.
     Decidi colocar o livro "Já matei por menos" (autora: Juliana Cunha, Editora Lote 42, já resenhado no blog) para viajar. Blogueiros de todo o Brasil podem participar. Serão escolhidos entre 5 e 10 participantes que formarão a lista do Book Tour.
     Enviarei o livro pelos Correios para o 1° da lista, ele terá 20 dias (contados a partir do dia em que receber o livro) para ler e postar uma resenha em seu blog. Após esse prazo, ele deverá enviar o livro para o segundo da lista e assim sucessivamente, até o último participante que me enviará o livro de volta.
     (Para enviar livros nos Correios, existe uma forma de envio chamada Impresso Normal com Registro Módico que é bem mais barata que PAC ou SEDEX; o custo para enviar o livro [que deverá ser pago pelo participante] ficará em menos de R$10,00. Para saber mais sobre como enviar livros pelos Correios, clique aqui.)
     Todos os participantes deverão colocar um banner do book tour em seus blogs. Todas as resenhas do livro feitas pelos participantes serão divulgadas por mim nas redes sociais do blog.

     Detalhes do livro: 160 páginas, ISBN: 9788566740004, Skoob.
Book Tour, livro, capa, Já matei por menos, Juliana Cunha, Lote 42, blog

Book Tour, livro, capa, Já matei por menos, Juliana Cunha, Lote 42, blog, contracapa, sinopse
     Sinopse: "A obra extrai os melhores textos do blog Já Matei por Menos, criado em 2007 e com milhares de seguidores. Graças ao ponto de vista sempre direto, sincero e com carga pessoal da autora, o blog se tornou uma referência de discussão do que há de mais relevante na internet.
     O livro resgata os textos mais representativos da autora em um período em que a ponte entre escrever e publicar ficou mais curta, permitindo que os assuntos fossem debatidos tão logo apareciam, com reflexões em tempo real. De Woody Allen a José Padilha, de J.D. Salinger a Harry Potter, da Guerra de Troia à Cracolândia, o Já Matei por Menos não tem um tema constante, mas foca sobretudo na experiência pessoal da autora."

     Para participar do book tour, envie um e-mail para blogpetalasdeliberdade@live.com com:
     - seu nome,
     - link do seu blog,
     - cidade e estado em que você mora e
     - responda se você já participou de algum book tour antes.

     As vagas serão preenchidas por ordem de chegada dos e-mails, serão no mínimo 5 e no máximo 10 participantes, então, mande seu e-mail logo.
     Assim que as vagas forem preenchidas, aviso aqui no blog.
     Por favor, só se inscreva se você estiver comprometido com a ideia de fazer o livro viajar, tiver disponibilidade para ler o livro, fazer a resenha e enviar para o próximo da lista dentro do prazo.
     É um empréstimo. Se tudo der certo, posso colocar outros livros para viajar.


     * Clique aqui e participe do sorteio do livro "Fahrenheit 451" - Ray Bradbury.
   Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Caixa de Correio: 5 livros de maio

     Olá pessoal, tudo bem? (Juro que tentei, mas é muito difícil começar um post de outra forma! Parece que fica faltando alguma coisa se eu não digo "Olá" e pergunto como estão.) Hoje venho mostrar os livros que chegaram para mim no mês passado. Foram dois livros emprestados e três comprados.

livros, meg cabot

     - Fahrenheit 451, Ray Bradbury, editora Globo de Bolso, 256 páginas, ISBN: 9788525046444, Skoob. Onde comprar online: Livraria Cultura, Saraiva.
     Último livro resenhado no blog (clique e veja a resenha), já havia aparecido na Caixa de Correio de março, quado peguei emprestado. Gostei tanto do livro que comprei um exemplar para sortear para vocês, para participar do sorteio clique aqui.
livro, Fahrenheit 451, Ray Bradbury, editora Globo de Bolso, sinopse
     Sinopse: A obra de Bradbury descreve um governo totalitário, num futuro incerto mas próximo, que proíbe qualquer livro ou tipo de leitura, prevendo que o povo possa ficar instruído e se rebelar contra o status quo. Tudo é controlado e as pessoas só têm conhecimento dos fatos por aparelhos de TVs instaladas em suas casas ou em praças ao ar livre. O livro conta a história de Guy Montag, que no início tem prazer com sua profissão de bombeiro, cuja função nessa sociedade imune a incêndios é queimar livros e tudo que diga respeito à leitura. Quando Montag conhece Clarisse McClellan, uma menina de dezesseis anos que reflete sobre o mundo à sua volta e que o instiga a fazer o mesmo, ele percebe o quanto tem sido infeliz no seu relacionamento com a esposa, Mildred. Ele passa a se sentir incomodado com sua profissão e descontente com a autoridade e com os cidadãos. A partir daí, o protagonista tenta mudar a sociedade e encontrar sua felicidade.

     - Tamanho não importa, Meg Cabot, editora Galera Record, 334 páginas, ISBN: 9788501082732, Skoob. Onde comprar online: Submarino, Americanas.
     Terceiro livro da série "Mistérios de Heather Wells", apesar de ser uma série, dá pra ler fora de ordem e entender a história. Já li e resenhei o primeiro e o segundo (meu preferido), consegui o terceiro emprestado, li e resenharei em breve para vocês.
livro, sinopse, Tamanho não importa, Meg Cabot, Galera Record
     Sinopse: A ex estrela do pop Heather Wells não tem do que reclamar: seu pai finalmente vai se mudar do apartamento que ela divide com Cooper; ela arrumou um namorado que quer ajudá-la a emagrecer e as coisas no emprego de inspetora de alojamento na Universidade de Nova York vão... Bem, as coisas por lá continuam esquisitas como sempre. O Dr. Owen Broucho, diretor interino do alojamento Fischer Hall e seu terceiro chefe em menos de um ano, acaba de ser assassinado. Mais uma vez, Heather precisará usar seus excepcionais talentos de investigação se quiser livrar Sebastian Blumenthal, líder estudantil e principal suspeito do assassinato, de uma acusação aparentemente falsa. Tamanho Não Importa é a continuação de Tamanho 44 Também Não é Gorda. Meg Cabot é a rainha das adolescentes com mais de 1 milhão de exemplares vendidos no Brasil. 

     - Esposa 22, Melanie Gideon, editora Intrínseca, 397 páginas, ISBN: 9788580572414, Skoob. Onde comprar online: AmericanasSubmarino.
     Já fazia um tempo que queria esse livro, aproveitei que ele estava (e continua) muito barato na Americanas e que eu já ia comprar outros livros e comprei.
livro, sinopse, Esposa 22, Melanie Gideon, Intrínseca
     Sinopse: Alice e William Buckle se casaram apaixonados. Mas, dois filhos e quase vinte anos depois, Alice está entediada. Por isso, quando recebe um convite por e-mail para participar de uma pesquisa on-line sobre casamentos, ela aceita num impulso. Respondendo às perguntas enviadas por um pesquisador anônimo e carismático (Pesquisador 101), Alice (Esposa 22) tem a oportunidade de reexaminar a história do próprio relacionamento.

     - Travessuras da Menina Má, Mario Vargas Llosa, editora Alfaguara, 302 páginas, ISBN: 8573028084, Skoob. Onde comprar online: Submarino (a edição de bolso é mais barata).
     Queria ler algo do autor, a sinopse me deixou curiosa sobre como ele conseguiria contar uma história que se passa em um período de tempo tão longo. Consegui o livro emprestado, já li e resenharei em breve, um livro que foi me ganhando aos poucos.
Travessuras da Menina Má, Mario Vargas Llosa, Alfaguara, livro, sinopse
     Sinopse: O peruano Ricardo vê realizado, ainda jovem, o sonho que sempre alimentou - o de viver em Paris. O reencontro com um amor da adolescência o trará de volta à realidade. Lily - inconformista, aventureira e pragmática - o arrastará para fora do pequeno mundo de suas ambições. Ricardo e Lily - ela sempre mudando de nome e de marido - se reencontram várias vezes ao longo da vida, em diferentes cidades do mundo que foram cenários de momentos emblemáticos da História contemporânea. Na Paris revolucionária dos anos 60; na Londres das drogas, da cultura hippie e do amor livre dos anos 70; na Tóquio dos grandes mafiosos dos anos 80; e na Madri em transição política dos anos 90. Assim, ao mesmo tempo em que conta a história de um amor arrebatador, Travessuras da menina má traça um quadro vigoroso das transformações sociais européias e convulsões políticas da América Latina. Muitas das experiências de vida de Vargas Llosa aparecem aqui, por meio de seus personagens - os tempos de penúria em Paris, seu trabalho como tradutor, sua simpatia pela revolução cubana e a ligação permanente com seu país de origem, o Peru. Criando uma tensão entre o cômico e o trágico, numa narrativa ágil, vigorosa e terna, que conduz o leitor nesta dança de encontros e desencontros, Mario Vargas Llosa joga com a realidade e a ficção para contar uma história em que o amor se mostra indefinível, senhor de mil faces, como a menina deliciosa e má.

     - A linguagem das flores, Vanessa Diffenbaugh, editora Arqueiro, 282 páginas, ISBN: 9788580410174, Skoob. Onde comprar online: Americanas, Submarino.
     Livro já resenhado no blog, comprei um exemplar e sorteei quando fiz a resenha. Está bem barato na Americanas e no Submarino, vale a pena comprar.
livro, A linguagem das flores, Vanessa Diffenbaugh, editora Arqueiro, sinopse
     Sinopse: Victoria Jones sempre foi uma menina arredia, temperamental e carrancuda. Por causa de sua personalidade difícil, passou a vida sendo jogada de um abrigo para outro, de uma família para outra, até ser considerada inapta para adoção. Ainda criança, se apaixonou pelas flores e por suas mensagens secretas. Quem lhe ensinou tudo sobre o assunto foi Elizabeth, uma de suas mães adotivas, a única que a menina amou e com quem quis ficar... até pôr tudo a perder. Agora, aos 18 anos e emancipada, ela não tem para onde ir nem com quem contar. Sozinha, passa as noites numa praça pública, onde cultiva um pequeno jardim particular. Quando uma florista local lhe dá um emprego e descobre seu talento, a vida de Victoria parece prestes a entrar nos eixos. Mas então ela conhece um misterioso vendedor do mercado de flores e esse encontro a obriga a enfrentar os fantasmas que a assombram. Em seu livro de estreia, Vanessa Diffenbaugh cria uma heroína intensa e inesquecível. Misturando passado e presente num intricado quebra-cabeça, A linguagem das flores é essencialmente uma história de amor – entre mãe e filha, entre homem e mulher e, sobretudo, de amor-próprio.

     Já leram algum deles? Qual tem vontade de ler? Algum livro bacana para me recomendar?
     Lembrando que tem sorteio do livro "Fahrenheit 451" no blog, participem clicando aqui.
Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.

terça-feira, 17 de junho de 2014

Resenha premiada: livro Fahrenheit 451, Ray Bradbury

     Olá pessoal, tudo bem? O livro da resenha de hoje é "Fahrenheit 451", escrito por Ray Bradbury.
Resenha, premiada, livro, Fahrenheit 451, Ray Bradbury, resumo, crítica, trechos, sorteio, edição de bolso, capa, Editora Globo

     Publicado pela primeira vez em 1953, é um livro bem famoso, com um nome que me chamava atenção sempre que via em algum lugar. É uma distopia, um gênero que li pouco até hoje.
     "Fahrenheit 451" conta a história de Guy Montag, um bombeiro. Na época em que a história se passa, num futuro, os bombeiros tem uma missão diferente: ao invés de apagar incêndios, eles queimam coisas, principalmente livros.
     "E assim, quando as casas finalmente se tornaram  à prova de fogo, no mundo inteiro, (...) já não havia mais necessidade de bombeiros para os velhos fins. Eles receberam uma nova missão, a guarda da paz de espírito, a eliminação do nosso compreensível e legítimo sentimento de inferioridade: censores, juízes e carrascos oficiais. Eis o nosso papel, Montag, o seu e o meu”.  (página 89)
     Clarisse McClellan é vizinha de Montag, uma garota que tem um jeito diferente de ver as coisas e o mundo atual.
     "- Às vezes eu sou muito velha. Tenho medo de gente da minha idade. Eles se matam entre si. Será que sempre foi assim? Meu tio diz que não. Só no ano passado, seis amigos meus foram mortos a tiros. Dez morreram em acidentes de carro. Tenho medo deles e eles não gostam de mim porque tenho medo. Meu tio diz que seu avô se lembrava de quando as crianças não se matavam umas às outras. Mas isso foi há muito tempo, quando as coisas eram diferentes. Acreditavam em responsabilidade, segundo meu tio." (página 51)
     Ela e o bombeiro conversam algumas vezes, essas conversas fazem com que Montag começe a repensar sua vida, seu mundo, sua profissão. O que teria de tão especial e perigoso nos livros para que eles devessem ser queimados?
     "- Deve haver alguma coisa nos livros, coisas que não podemos imaginar, para levar uma mulher a ficar numa casa em chamas; tem de haver alguma coisa. Ninguém se mata assim a troco de nada." (página 79)
     Esse tipo de pensamento muda a atitude e Montag e o coloca em algumas encrencas, ele não consegue mais exercer sua profissão, se vê sendo perseguido e tendo que fugir.
     "Assim, se ele queimava coisas com os bombeiros, e se o Sol queimava o Tempo, isso significava que tudo queimava!
     Um deles tinha de parar de queimar. Por certo o Sol não pararia. Dessa forma, era como se tivesse de ser Montag..." (página 200)
     A história em si, a sucessão dos fatos, é extremamente simples. O livro é bem pequeno e a leitura é rápida (li em dois dias). O interessante, o que deu destaque a "Fahrenheit 451", é a época em que ele se passa. Um mundo onde as pessoas quase não pensam, levam uma vida esquisita, superficial e mecânica, com perseguições a quem pensa diferente.
     Deu medo de viver numa época dessas. E foi assustador e triste perceber que muito do cenário criado por Ray Bradbury há mais de cinquenta anos, está presente no nosso mundo de hoje.
     Foi encantador ler um livro que fala sobre livros. Sobre a importância deles, um tipo de mídia/comunicação tão especial e infelizmente desprezado por alguns. O trecho abaixo representa bem minha opinião sobre as diferenças entre o livro e a tv (ressalto que gosto de ambos).
     "- Minha mulher diz que os livros não são "reais".
     - Graças a Deus que não. Você pode fechá-los e dizer: 'Espere um pouco aí'. Você faz com eles o papel de Deus. Mas quem consegue se livrar das garras que se fecham em torno de uma pessoa que joga uma semente num salão de tevê? Ele dá a você a forma que ele quiser! É um ambiente tão real quanto o mundo. Ele se torna a verdade e é a verdade." (páginas 122 e 123)
Resenha, premiada, livro, Fahrenheit 451, Ray Bradbury, resumo, crítica, trechos, sorteio, edição de bolso, capa, Editora Globo
Resenha, premiada, livro, Fahrenheit 451, Ray Bradbury, resumo, crítica, trechos, sorteio, edição de bolso, capa, Editora Globo, contracapa, sinopse, comprar

     "Fahrenheit 451" tem diversos trechos interessantes que copiei para poder reler sempre, abaixo deixo mais alguns dos que gostei (enchi o livro de marcadores de página) :
     “– Todos devem deixar algo para trás quando morrem, dizia meu avô. Um filho, um livro, um quadro, uma casa ou parede construída, um par de sapatos. Ou um jardim. Algo que sua mão tenha tocado de algum modo, para que sua alma tenha para onde ir quando você morrer. E quando as pessoas olharem para aquela árvore ou aquela flor que você plantou, você estará ali. Não importa o que você faça, dizia ele, desde que você transforme alguma coisa, do jeito que era antes de você tocá-la, em algo que é como você depois que suas mãos passaram por ela. A diferença entre o homem que apenas apara gramados e um verdadeiro jardineiro está no toque, dizia ele. O aparador de grama podia muito bem não ter estado ali; o jardineiro estará lá durante uma vida inteira.” (páginas 220 e 221)

     “Os livros eram só um tipo de receptáculo onde armazenávamos muitas coisas que receávamos esquecer. Não há neles nada de mágico. A magia está apenas no que os livros dizem, no modo como confeccionavam um traje para nós, a partir de retalhos do universo." (páginas 120 e 121)

     "Os bons escritores quase sempre tocam a vida. Os medíocres apenas passam rapidamente a mão sobre ela. Os ruins a estupram e a deixam para as moscas. Entende agora por que os livros são odiados e temidos? Eles mostram os poros no rosto da vida. Os que vivem no conforto querem apenas rostos com cara de lua de cera, sem poros, nem pelos, inexpressivos." (página 121)

     Talvez meu trecho preferido, sobre a magia dos livros:
     "Os livros servem para nos lembrar quanto somos estúpidos e tolos. (...). A maioria de nós não pode sair correndo por aí, falar com todo mundo, conhecer todas as cidades do mundo, não temos tempo, dinheiro ou tantos amigos assim. As coisas que você está procurando, Montag, estão no mundo, mas a única possibilidade que o sujeito comum terá de ver noventa e nove por cento delas está num livro" (página 125)

     A edição que li é uma edição de bolso da Editora Globo; as páginas são amareladas, o tamanho das margens é bom e as letras tem um tamanho que permite fazer a leitura confortavelmente (como vocês podem ver na imagem abaixo). Essa edição vem com um posfácio bem interessante do autor, onde ele fala sobre o que o levou a escrever o livro, como ele foi escrito, sua opinião sobre edições censuradas, etc.
Resenha, premiada, livro, Fahrenheit 451, Ray Bradbury, resumo, crítica, trechos, sorteio, edição de bolso, capa, Editora Globo, globodebolso

     Detalhes: 256 páginas, ano da edição: 2012, ISBN: 9788525046444, Skoob. Onde comprar online: Livraria CulturaSaraiva.

     "Fahrenheit 451" é um livro que recomendo, todos deveriam ler e refletir sobre como evitar que o cenário criado por Ray Bradbury se torne real.

      Sorteio:
     É tão recomendado que vou sortear um exemplar para vocês. Esta resenha foi publicada simultaneamente nos blogs Pétalas de Liberdade e Boteco de Blogueiros, o sorteio é uma parceria entre os dois blogs.
     Prêmio: 1 exemplar novo do livro "Fahrenheit 451".
     Inscrições até 17/07/2014; resultado: 18/07. Entrarei em contato com o vencedor por e-mail, ele terá uma semana para responder passando seu endereço para entrega do prêmio ou o sorteio será refeito. O prêmio será enviado por mim em até 30 dias.
     Como participar:
     - Curtir as páginas dos blogs Pétalas de Liberdade (www.facebook.com/petalasdeliberdade) e Boteco de Blogueiros (www.facebook.com/botecodeblogueiros) no Facebook.
     - Ter endereço de entrega no Brasil.
     - Preencher o formulário abaixo com seu nome, link do perfil no Facebook e e-mail para contado.
     Chances extras:
     - Compartilhar publicamente a imagem da promoção (link da imagem), pode compartilhar mais de uma vez e a cada compartilhamento preencha o formulário mais uma vez.
     - Comentar na resenha no Pétalas de Liberdade ou no Boteco de Blogueiros (só vale um comentário em cada resenha, pode comentar nas duas). No campo chance extra coloque o nome que usou para comentar.
     - Seguir o Pétalas de Liberdade e/ou o Boteco de Blogueiros pelo Google Friend Connect. Preencha o fomulário mais uma vez colocando o seu nome de seguidor no campo chance extra (se seguir os dois, preencha duas vezes).
     - Me seguir no Twitter (twitter.com/marijleite) e twettar a frase: " Participe do #sorteio do #livro "Fahrenheit 451" (Ray Bradbury) no blog da @marijleite: http://petalasdeliberdade.blogspot.com/2014/06/resenha-premiada-livro-fahrenheit-451.html . "  Preencha o fomulário mais uma vez colocando o link do seu twette no campo chance extra (pode twettar quantas vezes quiser, mas apenas uma por dia).
     - Me seguir no Instagram (instagram.com/marijleite).  Preencha o fomulário mais uma vez colocando o link do seu perfil  no campo chance extra.
     Alguma dúvida? Boa sorte!
     Espero que vocês tenham gostado da resenha, quem aí já leu "Fahrenheit 451"?
     As inscrições para o sorteio de 2 kits do livro "Intenso Demais" ainda estão abertas, participe clicando aqui.

     ATUALIZADO EM 18/07/2014
     RESULTADO:

     Parabéns Silvana Crepaldi! Você cumpriu as regras direitinho e foi a vencedora. Enviei um e-mail para você, espero sua resposta dentro de uma semana ou o sorteio será refeito.
     Para quem não ganhou desta vez, não precisa ficar triste, logo teremos mais promoções.

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.

sábado, 14 de junho de 2014

A primeira vez que fui ao cinema: "A Culpa é das Estrelas"

 Pôster, filme, A Culpa é das Estrelas
Foto: Divulgação
     Nove de junho de 2014, uma segunda-feira que merece ficar guardada em minha memória. Um dia extremamente diferente dos meus dias comuns.
     Acordei cedo, viajei para uma cidade mais ou menos vinte vezes maior que a minha, fiz quatro provas do meu primeiro semestre na faculdade, fui ao cinema pela primeira vez!
     Moro numa cidade bem pequena, ela tem seus pontos positivos (e não tenho vontade de abandoná-la), mas não tem shopping, cinema, livraria...
     Então, aproveitei minha viagem até Resende (RJ) para ir ao cinema, combinei com uma amiga que mora lá de irmos ver o filme "A Culpa é das Estrelas", baseado no livro homônimo do escritor John Green, que eu e ela havíamos lido e gostado. Foi um plano arquitetado por meses: torcer para meu período de provas cair na data em que o filme estava em cartaz, para que o filme estivesse em exibição nos cinemas da cidade, torcer para dar tudo certo.
     Fomos ao cinema do Resende Shopping, andei de elevador (já tinha feito isso outras vezes, que posso contar nos dedos, é sempre uma pequena aventura!), compramos os ingressos (que até que foram bem baratos) para a sessão das 9h, tiramos fotos do lado do pôster do filme (tinha um monte de gente fazendo isso, infelizmente a foto não está comigo), fomos pra fila enorme para comprar pipoca (que estava muito boa) e refrigerantes (um copo de coca-cola com um furo na tampa para colocar o canudinho, nunca tinha visto e é claro que me atrapalhei com ele, felizmente minha amiga resolveu o problema).
     Hora de entrar na sala, subir a escada, achar a poltrona (bem grande para essa pessoinha de um metro e meio). Apagam-se as luzes, começam os trailers de outros filmes e fico com vontade de ver todos. Como a tela é enorme!!! A imagem fica linda. E o som, bem mais alto do que o volume em que deixo a tv.

Shailene Woodley, Ansel Elgort, Hazel, Gus, filme, A Culpa é das estrelas, trailer, resenha, opnião
Shailene Woodley, Ansel Elgort, Hazel, Gus, Isaac, filme, A Culpa é das estrelas, trailer, resenha, opnião

     Por ter lido o livro (resenha aqui) no ano passado, já conhecia a história. Para quem não sabe, Hazel Grace (Shailene Woodley) é uma adolescente com câncer nos pulmões que conhece Augustus Waters (Ansel Elgort) que também teve câncer, num grupo de apoio para jovens portadores da doença.
     Eles vão se aproximando e vivem uma linda história de amizade, companheirismo, coragem e amor  no "pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas".
     Gostei muito do filme: a trilha sonora é ótima, Ansel Elgort interpreta um Augustus Waters encantador; e mesmo sendo um filme que tem personagens com uma doença tão cruel, ele é muito divertido! Até mais ou menos metade do filme, foi impossível contar quantas gargalhadas as pessoas que estavam na sala do cinema deram. As cenas em que Gus aparece dirigindo super mal e a cena em que Gus, Hazel e Isaac vão jogar ovos no carro da ex-namorada de Isaac são impagáveis. Os personagens tem um humor interessante.
     Tem as partes de romance e as partes emocionantes e tristes também. Assim como quando li o livro, não chorei, mas quase; e muita gente na sala chorou. E isso é perfeitamente aceitável: se emocionar com o que é emocionante.
     Algumas coisas que acontecem no livro não aparecem no filme, afinal, é uma adaptação, muito bem feita por sinal (mas aquelas citações lindas e inspiradoras do livro estão no filme para nos fazer suspirar!). Achei o livro mais emocionante e o filme mais divertido.
     Valeu a pena assistir "A Culpa é das Estrelas"!

     Saí da sala com o coração leve, feliz por ter realizado um pequeno sonho. E com uma vontade enorme de voltar ao cinema algum dia. Por favor, Deus, que não seja mais uma das coisas que só faço uma vez na vida!
     Ah, na saída do shopping fiz mais uma coisa que nunca tinha feito antes: andei de escada rolante, ela me pareceu um pouco perigosa, foi bom ter uma amiga por perto.
     Algumas coisas simples podem parecer bobagem para quem está acostumado com elas, para outras pessoas pode ser algo incrível. Não quero perder nunca a capacidade de ficar contente ou me encantar com pequenas descobertas. Já devem existir dezenas de posts sobre o filme, o meu não foi o primeiro nem será o último; mas para mim foi especial escrevê-lo, faz parte da minha história.

     E vocês, qual o primeiro filme que viram no cinema?

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Eu prefiro estar aqui...

love, amor

     Doze de junho de 2014, os principais assuntos do dia são Dias dos Namorados e abertura da Copa do Mundo.
     Para registrar o dia de hoje, trago uma música que tem tudo a ver com o Dia dos Namorados: "Domingo de Manhã", da dupla Marcos & Belutti. Uma belíssima declaração de amor, sonoridade e interpretação perfeitas e uma letra linda.
     Desde a primeira vez em que ouvi, "Domingo de Manhã" me encantou. Apesar de hoje não ser um domingo, a música representa bem um coração enamorado.
     Vale a pena ouvir:


     "Tá com voz de sono, foi mal se te acordei.
     Desligue e volte a dormir, depois me ligue aqui.
     Eu nem sei o que faria nesse inverno.
     Qualquer coisa que não fosse com você, me causaria tédio!
     Poderia estar agora no espaço em um módulo lunar, ó que chato!
     E se eu tivesse agora velejando num barquinho no Caribe?
     Deus me livre!
     Poderia estar agora num hotel mil estrelas em Dubai.
     Mas eu, eu, eu prefiro estar aqui, te perturbando, domingo de manhã!
     É que eu prefiro ouvir sua voz de sono, domingo de manhã.
     Domingo de manhã!"


     Feliz dia dos namorados para quem tem namorado. E para quem está triste por estar solteiro, digo que não se desespere, quem sabe você encontra o amor da sua vida nessa Copa?

     Ps.: hoje é o último dia para se inscrever no sorteio do livro (lindo) "A linguagem das flores", o resultado sai amanhã, clique aqui e participe. E tem também o sorteio de dois kits do livro "Intenso Demais", participe clicando aqui. Boa sorte!
Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.

quarta-feira, 11 de junho de 2014

"Contos e Crônicas do Absurdo": pré-lançamento virtual e onde comprar

     Olá pessoal, tudo bem? Mês passado fiz um post falando sobre o livro "Contos e Crônicas do Absurdo" da autora Rô Mierling (para rever o post clique aqui).
livro, Contos e Crônicas do Absurdo, Rô Mierling

     Domingo, dia 15 de junho, 15:00h, ocorrerá o pré-laçamento virtual do livro, com sorteio de um exemplar autografado de "Contos e Crônicas do Absurdo", 5 marcadores de página, mouse pad do livro e caneca personalizada para quem estiver participando.
     Para participar do pré-laçamento virtual é só clicar aqui e confirmar presença; para participar do sorteio leia as informações na página do evento.

livro, Contos e Crônicas do Absurdo, Rô Mierling

     Quem quiser comprar o livro "Contos e Crônicas do Absurdo", ele já está a venda diretamente com a autora, é só entrar em contato pelo e-mail rosierbe@yahoo.com.br (formas de pagamento: depósito bancário ou cartão de crédito). Lembrando que é uma edição limitada especial da Editora Scortecci.

     Sinopse: A obra analisa personagens reais em eventos do cotidiano, descritas em uma ótica crítica, dramática e até irônica, destacando o absurdo de certos eventos que todos consideram normal. Uma menina que desaparece, uma mulher com cinco namorados em uma única semana, uma adolescente que é sequestrada por não saber ler, um assalto fatal que deixa marcas, o drama doméstico do Facebook, a filosofia do beijinho, a tatuagem e seus estigmas, casos insólitos e reais. Esses e muitos outros assuntos são o foco dos contos e crônicas desse livro dinâmico, ágil, divertido e reflexivo. Livro de leitura rápida e fácil para leitores e até “não leitores”.
     Detalhes: Skoob, book trailer, fanpage.

     Para quem quiser conhecer um pouco mais da escrita da Rô Mierling, ela está publicando  a obra "Diário de uma Escrava" para leitura gratuita no Wattpad, para ler é só clicar aqui.

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.

sábado, 7 de junho de 2014

Promoção Semana Intensa Demais

     Olá pessoal, tudo bem? Durante toda a semana, junto com outros blogueiros e a fanpage Thoughtless Brasil, participei da #SemanaIntensaDemais com posts no blog, na fanpage e no Twitter para divulgar o livro "Intenso Demais", da autora S. C. Stephens, publicado pela editora Valentina neste mês.














     Hoje venho trazer uma super promoção que irá sortear dois kits contendo: 1 Exemplar do livro Intenso Demais, 1 chaveiro exclusivo, 1 button, 1 Caneca exclusiva e 1 Kit de marcadores.
     São dois formulários, um para cada kit, e vocês podem participar nos dois.
     Cumprindo as duas primeiras regras (curtir as páginas Thoughtless Brasil e Valentina), o formulário libera as chances extras (curtir ou seguir os blogs participantes da #SemanaIntensaDemais, o link da fanpage do Pétalas de Liberdade está no primeiro formulário). E são muitas chances de ganhar, então, participem bastante!
     As inscrições vão até dia 20/06/2014.
a Rafflecopter giveaway

a Rafflecopter giveaway

     Alguma dúvida?

 Sinopse:
     Ela ultrapassou perigosos limites e agora não há mais volta. Traição, amor e paixão. Chegou a hora da decisão de uma vida.
     Há quase dois anos, o namorado de Kiera, Denny, é tudo que ela sempre quis: apaixonado, carinhoso e totalmente dedicado. Quando os dois se mudam para outra cidade a fim de começar uma nova vida – Denny no emprego de seus sonhos, Kiera numa conceituada universidade –, tudo parece perfeito. Mas então, um imprevisto separa o feliz casal. Sentindo-se sozinha, confusa e carente, Kiera se aproxima de Kellan Kyle, o sexy e sedutor vocalista de uma banda de rock. No começo, ele é apenas um amigo em cujo ombro ela pode chorar suas mágoas, mas, à medida que sua solidão aumenta, o relacionamento ganha força. Até que, uma noite, tudo muda... e nenhum deles jamais será o mesmo.

     Detalhes: 464 páginas, formato: 16x23 cm, ISBN: 978-85-65859-24-0, Skoob
     Para saber mais sobre o livro, clique aqui.
     Boa sorte!

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.

quinta-feira, 5 de junho de 2014

05 on 05: rotina

     Olá pessoal, tudo bem? Hoje é dia do projeto fotográfico 05 on 05; o tema do mês foi "rotina".
livro, Crimbfuor - Chegada a Atrithar, Mike Ross, Harry Potter
     1 - Ler, uma das coisas que mais gosto de fazer. Na foto, um dos meus livros preferidos:  "Crimbfuor - Chegada a Atrithar" do Mike Ross (já resenhei aqui).

Marijleite
     2 - Tirar dezenas de fotos e algumas vezes nenhuma ficar boa, faz parte da minha rotina.

caderno, faculdade, Estácio
     3 - Estudar. Acho que é o que mais tenho feito atualmente.

caneta, agenda, caderno
     4 - Escrever. Ganhei o caderninho e a caneta no meu último aniversário; desde então, todos os dias escrevo algumas linhas sobre o que fiz e como me senti durante o dia. Para que no futuro eu possa me lembrar de como eu era aos 22 anos.

miniatura, Torre Eiffel, Paris
     5 - Minha miniatura da Torre Eiffel fica do lado da minha cama, é uma das primeiras coisas que vejo quando acordo.

     Não sei qual das fotos gostei mais. Fotografei três delas hoje de manhã e, apesar de considerá-las fotos extremamente simples, gostei do resultado por representarem bem coisas da minha rotina.
     Espero que vocês tenham gostado, e me contem: nossas rotinas tem algo em comum?
     Veja as fotos das outras participantes: AngelaIsabelClaudia e Taymara.
     As inscrições para participar do SORTEIO do livro "A linguagem das flores" terminam na semana que vem, participem clicando aqui. Boa sorte!
    Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.

terça-feira, 3 de junho de 2014

#SemanaIntensaDemais : conheça o livro"Intenso Demais" (Thoughtless - S. C. Stephens)

     Olá pessoal, tudo bem? Como disse no meu último post, o blog está participando da #SemanaIntensaDemais. Promovida pela página Thoughtless Brasil, pelo blog Every Little Book e pela Editora Valentina, essa semana é dedicada ao lançamento e divulgação do livro "Intenso Demais", da autora S. C. Stephens, publicado pela editora Valentina neste mês.

     Conheça o livro:
#SemanaIntensaDemais, capa, sinopse, livro, Intenso Demais, trilogia, Thoughtless, S. C. Stephens,
O que fazer quando você se apaixona pelo cara perfeito, mas já está amando o cara certo? 

    Sinopse:
     Ela ultrapassou perigosos limites e agora não há mais volta. Traição, amor e paixão. Chegou a hora da decisão de uma vida.
     Há quase dois anos, o namorado de Kiera, Denny, é tudo que ela sempre quis: apaixonado, carinhoso e totalmente dedicado. Quando os dois se mudam para outra cidade a fim de começar uma nova vida – Denny no emprego de seus sonhos, Kiera numa conceituada universidade –, tudo parece perfeito. Mas então, um imprevisto separa o feliz casal. Sentindo-se sozinha, confusa e carente, Kiera se aproxima de Kellan Kyle, o sexy e sedutor vocalista de uma banda de rock. No começo, ele é apenas um amigo em cujo ombro ela pode chorar suas mágoas, mas, à medida que sua solidão aumenta, o relacionamento ganha força. Até que, uma noite, tudo muda... e nenhum deles jamais será o mesmo.

     Detalhes: Trilogia Rock Star - Livro 1 (pelo que vi em algumas resenhas, o livro tem um final, o próximo tem os mesmos personagens mas em outras situações); 464 páginas, formato: 16x23 cm; ISBN: 978-85-65859-24-0; Skoob. Onde comprar online: site da editora, Saraiva (com desconto), Cultura.

     O que dizem sobre o livro:
     “Com impecável e dilacerante honestidade, Stephens retrata a realidade de um triângulo amoroso e toda a sua inevitável problemática. Intenso Demais é um desses romances que, ao final, deixam o leitor pensando durante dias, senão semanas” Tammara Webber, autora do best-seller Easy 
     “Se você amou Belo Desastre, prepare-se para se apaixonar por Intenso Demais.” Nightly Reading Blog
     “Depois que você começa... prepare-se: não dá mais para parar!” Abbi Glines, autora do best-seller Paixão sem Limites 
     “Totalmente viciante, belo e envolvente.” Tracey Garvis-Graves, autora do best-seller Na Ilha.
     “Esse é um daqueles livros que se entranham na sua vida. Um romance que você jamais esquecerá.” My Guilty Obsession

#SemanaIntensaDemais, capa, sinopse, livro, Intenso Demais, trilogia, Thoughtless, S. C. Stephens,     Conheça a autora:
     S. C. Stephens é uma autora best-seller que gosta de passar cada momento livre criando histórias que são embaladas com emoção e com bastante romance.
     Seu romance de estreia, Thoughtless (lançado aqui no Brasil com o título de Intenso Demais), um impensado triângulo amoroso, cheio de angústia, paixões intensas e o inesquecível Kellan Kyle, transformou o mundo literário em uma tempestade. Maravilhada e surpresa pela resposta vinda do lançamento de Thoughtless em 2009, mais histórias vieram rapidamente. Stephens não parou de escrever desde então.
     Além de escrever, Stephens gosta de passar tardes ao sol lendo romances fabulosos, carregar seu iPod com músicas, ir ao cinema e passar um tempo de qualidade com seus amigos e família. Ela mora atualmente no fantástico Noroeste do Pacífico com seus dois filhos igualmente lindos.

     Book Trailer (em inglês):

     Ouça a playlist do livro clicando aqui.

     Durante a semana, irei postar trechos, curiosidades e mais coisas interessantes relacionadas ao livro "Intenso Demais" na Fanpage do blog e no Twitter. Vocês podem ver tudo o que está sendo postado pelos blogs participantes acompanhando a tag #SemanaIntensaDemais.
     Espero que tenham gostado do post. Será que vocês ficaram tão curiosos para ler o livro como eu?

     * Últimos dias para participar do SORTEIO do livro "A linguagem das flores", clique aqui.
     Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Blog do mês: Segredos de Cáh Lima

Junho
     Olá pessoal, tudo bem? Finalmente Maio acabou, eita mês comprido! Em poucos dias farei as provas do meu primeiro semestre na faculdade, nas últimas semanas o que mais fiz foi estudar, estou bem ansiosa para as provas e não vejo a hora de ver minhas notas e finalmente ter férias. Torçam para eu me sair bem :) .
     No blog, fiz quatro resenhas de livros, sendo uma premiada, falei sobre um filme que me fez repensar a vida e dei uma dica de como colocar o gadget do Instagram no blog, entre outros assuntos.
     Entre todos os blogueiros que comentaram no Pétalas de Liberdade no mês anterior, o que eu escolhi para indicar hoje é o blog Segredos de Cáh Lima da Camila Lima.
blog, Segredos de Cáh Lima, divulgar blog
     Em seu blog, a Camila fala principalmente sobre produtos de beleza (esmaltes, maquiagens...), e aborda também outros assuntos.
     O que gosto no blog da Camila é que os posts são bem completos, ela mostra um produto e dá sua opinião concreta e sincera sobre ele, analisando os pontos positivos e negativos. Outra coisa legal é que a maioria dos produtos citados tem preços acessíveis e são fáceis de encontrar em lojas online ou perfumarias.
     O blog tem um layout bonito e a Camila me parece muito simpática com os leitores. Garanto que vale a pena conhecer o Segredos de Cáh Lima!
     Camila, muito obrigada por estar sempre comentando aqui no Pétalas de Liberdade e muito sucesso para seu blog, você merece!
     
     Espero que vocês tenham gostado do blog indicado.
     Aproveito para lembrar que as inscrições para o sorteio do livro (lindo) "A linguagem das flores" estão abertas, para participar é só clicar aqui. Tem poucos inscritos ainda, ou seja, as suas chances de ser o sorteado são grandes, é só se inscrever.

     Ah, e uma novidade: o blog está participando da #SemanaIntensaDemais, promovida pela página Thoughtless Brasil, pelo blog Every Little Book e pela Editora Valentina, essa semana é dedicada ao lançamento e divulgação do livro "Intenso Demais", lançado pela editora Valentina em Junho.
     Fiquem ligados no blog, na Fanpage e no Twitter, que a #SemanaIntensaDemais vai ter muita coisa legal! 
livro, Intenso Demais

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.