sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Resenha: livro "Vidas Provisórias", Edney Silvestre

 Olá pessoal, tudo bem? O livro da resenha de hoje é Vidas Provisórias, escrito por Edney Silvestre e publicado pela Editora Intrínseca em 2013.

Resenha, livro, Vidas Provisórias, Edney Silvestre, Intrínseca, opinião, ditadura, trechos

 Talvez vocês já tenham visto alguma reportagem do jornalista Edney Silvestre, eu particularmente gosto bastante do trabalho dele, por isso, quando soube que ele lançaria mais um livro, fiquei interessada em ler. Vidas provisórias, de certa forma, pode ser visto como dois livros em um, por alternar um capítulo da história de Paulo e um capítulo da história de Barbara.

 Em 1970, Paulo tinha 21 anos quando teve seu apartamento invadido e foi levado pelos militares para ser torturado, eles queriam informações. Após a tortura, ele teve que sair do país e conseguiu exílio na Suécia. Lá, onde a população era branca e tão diferente dele, moreno, Paulo tentava sobreviver, escapando das lembranças da tortura que o atormentavam constantemente.

 "Quantos de nós tomamos estradas evitadas como aquela, quantos de nós suspiraremos e contaremos nossas histórias por tantos e tantos anos?, ele se perguntou.
 Não escolhi a estrada.
 Fui lançado nela.
 Sou da equipe dos perdedores." (página 70)

 Em 1991, Barbara ainda era menor de idade quando saiu do Brasil com documentos falsos rumo aos Estados Unidos. Lá, tornou-se faxineira, além de manicure e pedicure nas horas vagas. As coisas não saíram conforme ela esperava, estar nos Estados Unidos não foi melhor do que estar no Brasil em muitos aspectos.  Barbara vivia com medo da polícia e de ser deportada, não se ligava a nada nem a ninguém, mas não tinha deixado muita coisa no Brasil.

  Saber onde as duas histórias se encontrariam era minha maior curiosidade e chegava a deixar meu coração apertado. O que os dois tem em comum? Ambos, após terem suas vidas bagunçadas, passaram a viver vidas provisórias, em terras estrangeiras e tão diferentes do Brasil.

 "Você não vai ter chance de mostrar para ninguém o que aconteceu aqui. No Brasil não tem tortura, não há tortura no Brasil, entendeu? Você não esteve aqui. Não há nenhum registro. Nenhum documento." (página 38)

 A ditadura militar no nosso país acabou oficialmente em 1985, fazem 30 anos que temos a democracia de volta, é pouquíssimo tempo! Felizmente, eu nasci num país livre, já meus irmão mais velhos nasceram sob o cruel regime militar. No livro, temos um retrato das atrocidades chocantes cometidas durante a ditadura. É um período da nossa história que não devemos esquecer, para que não se repita algo parecido no futuro. E livros do tipo são muito importantes para contar aos mais jovens sobre o que foi essa época no Brasil.

 "Só na bagagem de viajantes insuspeitos, como o casal de dentistas amigo do pai dentista de Ernesto, é possível escapar da proibição de divulgar notícias indesejadas pela ditadura militar (informações sobre prisões e torturas, notas desfavoráveis à situação econômica), colocando a correspondência para os expatriados em fundos falsos de malas, entre capas duplas de cadernos, em forros de casacos, ou sob qualquer outro disfarce para driblar a Censura." (página 120)

 Misturando realidade e ficção, Paulo e Bárbara, ditadura e imigração ilegal, passando por vários países e décadas da história da humanidade, Vidas Provisórias é um livro forte, que fala sobre pessoas tentando reencontrar seu lugar no mundo, reencontrar suas vidas. E uma leitura que eu recomendo!

 Tem algumas citações em outros idiomas ao longo da trama, que eu não entendia por só saber o português, e que fizeram com que eu experimentasse e pudesse sentir uma minúscula fração do que deve ser o desconforto de estar em um país que você não conhece o idioma.

Resenha, livro, Vidas Provisórias, Edney Silvestre, Intrínseca, opinião, ditadura, trechos
Resenha, livro, Vidas Provisórias, Edney Silvestre, Intrínseca, opinião, ditadura, trechos
Resenha, livro, Vidas Provisórias, Edney Silvestre, Intrínseca, opinião, ditadura, trechos
Resenha, livro, Vidas Provisórias, Edney Silvestre, Intrínseca, opinião, ditadura, trechos

Eu gostei bastante da capa, as páginas são amareladas e a diagramação está boa: com margens, espaçamento e fonte de bom tamanho; e os capítulos da Barbara são escritos na cor azul.

 Detalhes: 240 páginas,  ISBN: 9788580573893, Skoob (média de notas: 4,1/5, minha nota: 4/5). Onde comprar online: Submarino (está em promoção, por apenas R$12,95).

 "- Uma família é como um país: é para sempre. Está dentro da gente. Mesmo quando não é bom. Mesmo quando nos traz sofrimento." (página 122)

 Por hoje é só, espero que vocês tenham gostado da resenha. Alguém aí já leu o livro ou algum outro do autor?
 Participe dos sorteios do blog:

Até o próximo post!

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.

18 comentários:

  1. Ele como jornalista é fantástico, fico imaginando como não é como escritor.
    Amo muito livros que misturam realidade e ficção ♥

    ResponderExcluir
  2. Nossa, eu estou fascinada com esse livro, eu já o conhecia mas ainda não li, sua resenha me levou ao universo da obra e fiquei muito curiosa.

    ResponderExcluir
  3. Adorei a resenha, esse livro me lembrou um trabalho que fiz sobre música de Protesto e adorei fazer-lo, teve a encenação! Bom, adorei a resenha e principalmemte a obra do jornalista, quero conhecer mais a fundo a história de Barbara e Paulo e saber onde essas histórias se cruzam!

    Abraços e até!

    lendoferozmente.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. É bem sugestivo um livro que retrate a crueldade e doença da Ditadura Militar, e logo nesse tempo que estamos quase preste a voltar a ela, em período de golpe. Gostei bastante da indicação literária e do enredo da obra.

    ResponderExcluir
  5. Serei sincera e direi que não procuraria saber mais sobre o livro se visse somente sua capa, mas o título é muito instigante e essa premissa é sensacional. Conhecer mais da história do nosso país, mesmo que através de histórias fictícias é muitíssimo válido. Acredito que o retrato desses dois emigrantes irá fazer com que muitas pessoas se identifiquem. Fiquei bem curiosa.

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Não conhecia o autor, porém não gostei muito da obra, acho que é porque não faz muito o meu estilo mesmo.

    Beijos
    http://ummundochamadolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bem?
    Não conhecia o autor, mas não leria o livro, não curto histórias que envolvam ditadura...
    Bjs

    A. Libri

    ResponderExcluir
  8. Não fazia ideia de quem era, mas depois da foto lembrei de ter visto reportagens dele sim.
    Não é o tipo de livro que me chama atenção, mas é bem interessante.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  9. Olá
    É um livro bem diferente doq eu costumo ler porém parece ser bem interessante e acho que arriscaria pois sua resenha me chamou a atenção

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia ele,não sei se leria o livro mesmo o enredo sendo bom, mas não ando muito afim de leituras assim.

    ResponderExcluir
  11. Uou mais um livro que leva uma carga de conteúdo interessante, apesar de não ser fã desse tipo de leitura fiquei tentada a ler para conhecer ainda mais a história dele, é uma coisa que sempre devem mostrar em livros, a realidade.
    http://k-secretmagic.blogspot.com/
    Xoxo

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Já vi várias resenhas sobre esse livro, mas ele não me atrai. Acho o Edney muito carismático e tenho muita vontade de ler algo dele, mas acho que ainda não chegou a vez rsrs

    Beijos
    http://www.breakingfree.blog.br/

    ResponderExcluir
  13. Não conhecia o livro, mas sua resenha me deixou super curiosa! Já quero ler... Gosto de livros com temas fortes assim. Valeu pela dica! Beijos

    http://eicarolleia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem?
    Eu gostei bastante de sua resenha. O livro parece ser muito bom. Não é algo que eu leria no momento, mas também não é uma leitura que eu descartaria.

    ResponderExcluir
  15. Olá :)
    Nossa, que história fantástica. Adoro livros que trazem problemas cotidianos para a ficção, deixa tudo ainda mais realista.
    Amei sua resenha, me deixou bem curiosa. Já adoro o trabalho dele como jornalista, aposto que também amarei o de romancista.

    Beijocas,
    http://www.segredosentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Olá Maria, eu quero ler esse livro desde que meu professor fez a leitura de um dos capítulos em uma aula, parece ser incrível e tratar de um tema que tem que ser muito mais abordado que é o impacto da ditadura na vida das pessoas da época. Espero poder lê-lo em breve.

    http://meumundo-meuestilo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  17. Olá!
    Eu adoro livros assim, já ouvir falar muito dessa pessoa, e esse livro é maravilhoso!

    http://garotinhaadolescentea.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Oii!

    Amei a sua resenha!
    Uma pena o livro não ter atraido a minha atenção :/
    Vou deixar essa dica passar, mas só dessa vez!

    Beijos, Amanda
    www.vicio-de-leitura.com

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim.
Leio todos os comentários, mesmo que nos posts mais antigos. Responderei seu comentário aqui nesse mesmo post. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados