sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Resenha: livro "O Próximo da Fila", Henrique Rodrigues

 Olá pessoal, tudo bem? O livro da resenha de hoje é "O Próximo da Fila", escrito pelo Henrique Rodrigues e publicado em 2015 pela Editora Record.

Resenha, livro, O Próximo da Fila, Henrique Rodrigues, romance-de-formação, record, trechos, opinião

 Quando o livro chegou na minha casa, eu achei a capa bem diferente e talvez por isso tenha demorado um pouco para começar a leitura, mas quando comecei, vi que ele era tão bom quanto batatas fritas com ketchup, eu o devorei li em pouco tempo. Descrito como um romance de formação, "O próximo da Fila" não tem personagens com nomes, mas com apelidos ou título referente ao grau de parentesco com o protagonista.

 O protagonista era um adolescente de 15 anos no início da década de 90, período em que o país passava por crises políticas e financeiras (impeachment do presidente Collor, inflação altíssima). Apesar de todos os problemas do Brasil, ele até que tinha uma vida confortável, uma boa casa para sua mãe e o irmão caçula e estudava em escola particular. Seu pai, como a maioria dos pais fazem, ficava lhe dizendo que com a idade dele já era isso e aquilo, mas o garoto preferia ficar em seu mundo cercado por livros. Até que o pai morreu, deixando a família em péssimas condições financeiras. Tiveram que se mudar para uma casa bem menor, a mãe precisou trabalhar fora, o garoto teve que mudar para uma escola pública.

 O padrão de vida do garoto caiu muito, mas as cobranças sobre ele aumentaram, era a tia o tempo inteiro criticando-o e falando que já tinha passado da hora de ele arrumar um emprego. Com o aumento da inflação, o garoto, agora alguns anos mais velho, viu que precisava mesmo conseguir dinheiro se quisesse continuar tendo um teto sobre a cabeça e alguma coisa para comer. Conseguiu trabalho numa loja de uma rede de fast-food, passou a ter que conciliar trabalho e estudo e viver entre o mundo dos adultos e dos adolescentes. Esse primeiro emprego o marcaria para sempre, em muitos sentidos.

 "Foi assim que aprendi a tropeçar no tempo. E se volto agora para essa repetição constante que era fazer os mesmos movimentos durante horas, é porque foi ali que me compreendi um pouco homem, um pouco máquina. Repetindo-me, pelo menos eu tinha a sensação de realizar algo corretamente. Um pequeno universo de seres e cheiros que faziam algum sentido e, de certa forma, me protegiam de mim mesmo. Antes que todo o mundo se tornasse uma lanchonete de fast-food, encontrava ali a liberdade dos meus gestos e de mim, esquecia toda a merda que havia lá fora me esperando." (página 110)

 Eu gostei muito mais de "O próximo da fila" do que podia imaginar! Nasci em 1991 e tudo o que diz respeito a essa década desperta minha curiosidade. Me identifiquei muito com o protagonista, também fiquei atordoada e sem saber o que fazer quando pessoas próximas de mim ficavam me pressionando pra fazer alguma coisa enquanto o que realmente me preocupava era a minha nota em Física e tudo o que eu queria era assistir mais alguns episódios do meu desenho preferido.

 A história do livro é muito real, retrata perfeitamente a loucura que era a inflação da época onde o dinheiro se desvalorizava assustadoramente de uma semana para a outra e era preciso ficar fazendo conversões por causa das mudanças de moedas pelas quais o país passou. O livro fala também sobre o trabalho que quer transformar o homem em máquina, exigindo que ele siga um padrão. Fala sobre as delicadas e complicadas relações de família, onde amamos mas também guardamos mágoas de pessoas próximas a nós. Fala sobre crescer, sobre as descobertas da adolescência, sobre as coisas boas e as difíceis da vida, de forma que o leitor certamente vai se identificar com o protagonista ou com alguma cena da história.

 "Atender atrás de um balção é ser atingido por uma metralhadora de pequenas informações todos os dias. No intervalo de minuto e meio entre a chegada e a saída com a bandeja, é possível capturar um fragmento de solidão, felicidade, fome, tristeza e esperanças de quem está do outro lado. Todos vêm e vão tão rápido... E não fazem a menor ideia do que existe do lado de cá." (página 117)

Resenha, livro, O Próximo da Fila, Henrique Rodrigues, romance-de-formação, record, trechos, opinião, sinopse, capa, fast-food


 Na parte visual, a capa traz cores que lembram as usadas em lanchonetes, as páginas são amareladas, a diagramação tem margens, letras e espaçamento de bom tamanho e a revisão está boa.

 Recomendo "O próximo da fila" para qualquer leitor, que já tenha passado, ainda vá passar ou esteja passando pela experiência de procurar o primeiro emprego e também para quem conheça a experiência de ser o atendente atrás do balcão esperando o próximo da fila.

 Detalhes: 192 páginas, ISBN-13: 9788501105653, Skoob. Onde comprar online: Submarino.

 "Esta sempre resmungando, talvez por isso o pai bata tanto nela quando bebe. Sente pena da mãe quando o pai bate com mais força, mas no fundo a menina se sente vingada pelas surras que leva durante o dia." (página 40)

 Por hoje é só, espero que tenham gostado da resenha. Já conheciam o livro? Alguém aí tem alguma história para contar sobre o seu primeiro emprego?

Participe das promoções do blog:


Até o próximo post!

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.

16 comentários:

  1. Olá, moça.
    Adorei sua resenha, o livro já tinha me despertado a curiosidade, e sou até um grande admirador de obras de formação, acho bacana acompanhar o desenvolvimento do personagem, e pelo que entendi esse aqui dá um ótimo panorama do estado do pais na década de 90. Achei bacana também o autor colocar essa coisa de homens maquinas, lembra até Tempos Modernos. Nasci em 95, mas espero poder me identificar tanto quanto você com essa história. Enfim, adorei a resenha.

    Att,
    decaranasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Tive sorte no meu primeiro emprego, acho que dá pra dizer assim, nunca trabalhei atrás de um balcão. Fiz concurso com 16 anos e entrei no Ministério Público. E realmente, é bem diferente essa capa, eu AAAMO batata com ketchup, preferia barbicue haha. Gostei bastante da sua resenha :)

    ResponderExcluir
  3. Nunca tinha ouvido falar desse livro, rs. E pela capa eu acho que não me interessaria nunca por ele, até mesmo por causa da sinopse. Mas como sua resenha foi positiva e eu adoro livros que falam um pouco sobre o período da história e principalmente da história do Brasil. Despertou minha curiosidade ☺

    ResponderExcluir
  4. Já que não podemos julgar um livro pela capa, estou mega curiosa para ler!!

    ResponderExcluir
  5. Oi. Estou com esse livro aqui e não consegui ler por causa da capa, sério. Sempre que vejo a capa, sinto vontade de vomitar, isso pq estou num processo de reeducação alimentar e com alguns probleminhas de saúde, cheiro de fritura me faz passar mal. Então, olha pra uma capa dessas, por incrível que parece, me dá enjoos

    ResponderExcluir
  6. Oie,

    Eu morro de medo do primeiro emprego, quero fazer Concurso, eu acho essa capa diferente e muito bonita e sabendo da história eu com certeza daria uma chance a leitura, eu nem tinha percebido que era um livro nacional e agora quero ainda mais o livro.

    Bjs
    Mayla

    ResponderExcluir
  7. ... e o autor fica extremamente feliz com uma resenha dessas. Grande abraço a todos e obrigado pela ótima leitura. :)

    ResponderExcluir
  8. Oie
    é bem diferente do que costumo ler mas parece ser bem interessante, já vi outras resenha elogiando e quem sabe um dia eu arrisque

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi! Olha, não conhecia o livro, mas fiquei interessada (apesar dele tratar de uma época que não me interessa muito - nasci em 1991 também, mas não tenho a curiosidade que você tem, haha)!

    www.livroseoutrascoisas.com.br

    ResponderExcluir
  10. Achei a capa bem original e condizente com o enredo do livro. Meu primeiro emprego foi de recepcionista em escritório e foi uma porcaria. Não deu pra tirar nem as reflexões bacanas que têm nesse livro. Me lembro bem de como era a década de 90, tentando entender as crises em plena pré-adolescência. Essa parece ser uma obra de fácil leitura. Gostei bastante!
    Até + ver! Nu.
    As 1001 Nuccias | Curtiu?

    ResponderExcluir
  11. oi ^^
    a capa é bastante diferente e por isso me chamou a atenção, mas quando fui lendo a resenha vi que a premissa do livro não é mt meu estilo. por isso não leria.
    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  12. Fiquei um tempão olhando p essa capa...diferente e meio enjoativa rsrs. Tbm sou de 91 e gosto de leituras que me levam p uma época que já era viva mas não sabia que era kkk. Espero ter a chance de ler esse livro.

    Coração leitor

    ResponderExcluir
  13. Oii, como vai?
    Sou maluca por capas diferentes e com essa resenha então! Vai pra listinha com certeza!

    Beijos, Lali
    Cantinho da Bruna

    ResponderExcluir
  14. Olá! Adorei a capa e sua ideia da foto. Gostei muito da premissa, quando as pessoas sentem na pele o que as outras pessoas passam e fazem várias coisas em um dia! Não é molezaa!!

    Beijão da Lari!
    Brilliant Diamond | Fan Page

    ResponderExcluir
  15. Quando você olha de imediato, peça que se trata de um livro de gastronomia. Mas, sua resenha deixou bem claro se tratar de um romance da vida real, faz sentido a capa, já que ele trabalha em uma rede fast-food. É a realidade atual dos jovens que querem iniciar uma carreira, a nossa realidade. Parece um livro bem interessante, daqueles que te faz refletir e desejar melhorar.
    Gostei. Valeu pela dica!
    Bjim
    Ni
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  16. Oi, tudo bem?
    Nunca tinha visto esse livro, mas fiquei bem curiosa com ele, pois gostei de tudo que a história aborda, gosto de livros que falem sobre relações familiares.

    Beijos :*

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim.
Leio todos os comentários, mesmo que nos posts mais antigos. Responderei seu comentário aqui nesse mesmo post. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados