terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Resenha: livro "Pergunte ao pó", John Fante

 Olá pessoal, tudo bem? O livro da resenha de hoje é "Pergunte ao pó", escrito pelo John Fante, edição de 2015 publicada pela editora José Olympio.

Resenha, livro, Pergunte ao pó, John Fante, John-Fante, Record, trechos

 Eu quis ler esse livro por já ter visto o nome de John Fante (1909 - 1983) ser citado como referência por outros autores que li, e que me deixaram curiosa para conhecer a obra dele. A nova edição lançada ano passado pela José Olympio também contribuiu para meu interesse em "Pergunte ao pó", já que tem uma capa linda e colorida.

 A história se passa nos Estados Unidos, na década de 1930, e é narrada por Arturo Bandini, um jovem na casa dos 20 anos que foi para a cidade com o sonho de ser um escritor. Arturo publicou um conto em uma revista (esse era o seu maior orgulho), e desde então seu objetivo era conseguir escrever um novo livro, que pudesse torná-lo famoso e proporcionar-lhe uma melhor condição financeira, para que pudesse pagar o aluguel de seu quarto no hotel e comprar alguma coisa para comer.

 "Vamos lá, Bandini, encontre o desejo do seu coração, consuma a sua paixão do modo como ensinam os livros." (página 115)

 Se eu tivesse que descrever o protagonista do livro em uma palavra, escolheria imaturo. Ele é tão imaturo que chegou a me irritar diversas vezes. E eu digo que, definitivamente, se fosse me dada a oportunidade de conviver com ele e de ser sua amiga, eu diria: "Não, obrigada!". O que Arturo faz quando ganha algum dinheiro? Compra um monte de roupas novas, que depois ele nem usa pois as roupas novas lhe incomodam e ele prefere as velhas e gastas, porém confortáveis. Em um instante, ele se acha o máximo, um gênio, a última bolacha do pacote, e quer que todos o reverenciem, já que escreveu um conto que foi publicado numa revista, no instante seguinte ele já se sente um miserável. Creio que a maioria das pessoas passe por fases assim, de oscilação de humor e de percepção sobre si mesmo, mas o Arturo Bandini exagera!

 A história foi escrita em 1939, então é esperado que a sociedade daquela época seja diferente da dos dias atuais, mas isso não fez com que me sentisse menos incomodada com a forma como Arturo tratava as mulheres e com seus preconceitos, se achando melhor do que os outros quando ele mesmo podia ser vítima de preconceito. Por causa de sua imaturidade, seu relacionamento com Camilla, uma garçonete que conheceu em um bar e por quem Arturo se apaixonou, seria cheio de desavenças e idas e vindas. Mas também foi por causa desse relacionamento estilo amor bandido, que pude perceber que Arturo evoluiu ao menos um pouquinho, quando parou de olhar só para si e precisou cuidar de alguém. No final do livro, meu nível de simpatia por Bandini aumentou consideravelmente.

 "- Arturo - falou. - Por que brigamos o tempo todo?" (página 142)

 "- Vai se encontrar comigo! Sua insolente empregadinha de cervejaria! Vai se encontrar comigo!" (página 133) Arturo Bandini ensinando como não conseguir um encontro com a pessoa por quem se está apaixonado.

 A escrita do autor é realmente boa, a leitura dos capítulos fluía com facilidade, os personagens foram bem construídos e eu conseguia me sentir dentro da história. E, confesso, não era possível odiar Bandini completamente, afinal, seu amor pelas palavras e suas tentativas de fazer jus a seu título de escritor eram cativantes e contagiantes.

Resenha, livro, Pergunte ao pó, John Fante, Jose Olympio, capa
Resenha, livro, Pergunte ao pó, John Fante, Arturo-Bandini

 Como disse anteriormente, a capa é linda! O título e o nome do autor estão em alto-relevo. Há pouquíssimos erros de revisão, as páginas são amareladas e bem grossas, a diagramação traz letras e espaçamento de bom tamanho, as margens externas são um pouco pequenas, mas nada que atrapalhe a leitura.

 "Assassino ou barman ou escritor, não importava: seu destino era o destino comum de todos, seu fim o meu fim; e aqui, nesta noite, nesta cidade de janelas escuras havia outros milhões como ele e como eu: tão indistintos quanto folhas de grama. Viver já é duro. Morrer era uma tarefa suprema." (página 150)

 Por hoje é só, espero que vocês tenham gostado da resenha. Fica a sugestão para quem quiser conhecer a escrita de John Fante, escritor que influencio autores como Charles Bukowski (é dele o prefácio do livro), sugiro também para quem quer viajar no tempo até os anos 1930, quando a segunda guerra mundial estava apenas começando e para quem gosta de livros com personagens escritores. Me contem: alguém aí já leu algo do autor?

 Detalhes: 208 páginas, ISBN-13: 9788503007535, Skoob (minha nota: 4/5, média de notas: 4,2/5). Onde comprar online: Submarino (edição antiga)Livraria da Travessa.

Participe das promoções do blog:

Sorteio, trilogia, livros, viagens-no-tempo, A Caverna Cristalina


Até o próximo post!

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.

16 comentários:

  1. Primeiramente quero dizer que fiquei totalmente apaixonada pela capa desse livro.
    Ainda não tive a oportunidade de conhecer a escrita do John Fante e nem do Bukowski, mas tenho muita curiosidade.
    Sua resenha ficou ótima!!!
    Beijos

    myself-here1.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá... tudo bem??
    Nunca tinha ouvido falar no autor, mas o tipo de enredo apresentado não chama muito a minha atenção... infelizmente não é uma leitura que eu faria, mas se você gosta é o que importa... personagens imaturos, com um grau de idade alta me irritam profundamente, a impressão é que dá é que não cresceu e agora está começando a ter uma vida sei lá.. . mas os homens costumam a demorar no amadurecimento... que ele melhorou um pouco e você passou a gostar um pouco dele rs.. Xero!!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Hi baby, tudo bem? apesar do personagem principal parecer ser bem imaturo (como você mesma disse)a premissa parece ser legal, adoro livros que falam sobre escritores! adorei sua resenha :)

    Lilian Valentim
    http://speakcinema.blogspot.com.br/
    beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem?
    Não conhecia esse livro, ainda mas adorei conhecer através de sua resenha que está ótima, parabéns!
    A capa desse livro está linda e por si só já chama atenção.
    O personagem principal parece ser mesmo bem irritante, mas que bom que ele também conseguiu te causar um pouco de empatia ao decorrer da história.

    Beijos:*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi!!
    Não conhecia o livro, mas posso dizer que amei essa capa!!!
    Apesar do personagem ser imaturo, e irritante, a premissa é bem interessante!
    Dica anotada!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Oieeeee!
    Nossa mais este Arturo deve ser muitooo chatoo hahahaha, deve dar vontade de bater nele a leitura todaa... que bom q seu nível de simpatia aumenta no final, sinal que a pessoa fez algo de bom além do artigo da revista superestimado hahahahaha
    Bjos!
    Aline Praça
    www.leituravipblog.com

    ResponderExcluir
  7. Oie, tudo bem?
    Acontece comigo sempre odiar um personagem e, logo em seguida, encontrar alguma razão para gostar dele.
    adorei a resenha!

    ResponderExcluir
  8. Oi! Tudo bem?
    Adorei sua resenha =D
    A capa desse livro é linda e a história me deixou bastante curiosa, vou procurar aqui na biblioteca para ler.

    Bjs,
    Fernanda.
    http://blogimaginacaoliteraria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Oi.
    eu conheço a escrita do Fante e o acho sensacional, um ótimo autor, sempre fico presa aos livros dele. Este está nas minhas próximas leituras.

    ResponderExcluir
  10. Apesar da abordagem de sua resenha e a forma de nos apresentar o livro, o mesmo não me chamou atenção. Talvez por ser diferente do estilo que curto ler.

    www.saotantas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Oie
    não conhecia o livro mas parece ser bem interessante, o enredo está chamativo e sua resenha me deixou mega curiosa

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. De fato,essa edição(capa) tá muito linda.
    Eu leria facilmente esse livro.Adoro quando os protagonistas evoluem e transformam nossa opinião sobre ele.
    Adorei a resenha!
    Beijo.

    http://estantelivrainos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Fiquei interessada pelo livro mais pela relação do autor com Bukowski do que pela premissa em si. A ideia de o protagonista ser imaturo e provavelmente não evoluir ao longo da trama também me desanima um bocado, mas ainda assim eu faria a leitura. Acredito que possa haver muito nas entrelinhas da história.

    ResponderExcluir
  14. Que capa linda! Que colorido, nem muito e nem de mesmo! A história parece boa e o autor ser refêrencia de autores famosos é algo bem interessante! Adorei a resenha!!

    Abraços e até!!

    lendoferozmente.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Oee,
    Quando vi a capa já achei incrivel e já quis, mas quando li sua opinião sobre o personagem já fiquei meio receoso :/

    Étreintes!!
    http://lendocomobiel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Olá! Não conhecia a obra e apenas com sua "irritação" com o personagem já me deixou com um pé atrás, porque a premissa me parecei ótima!

    Beijão da Lari!
    Brilliant Diamond | Fan Page

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim.
Leio todos os comentários, mesmo que nos posts mais antigos. Responderei seu comentário aqui nesse mesmo post. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados