segunda-feira, 17 de julho de 2017

Resenha: livro "Confissões de um cafamântico", Ricardo Coiro

 Olá pessoal, tudo bem? No post de hoje, venho comentar minha experiência de leitura com o livro "Confissões de um cafamântico", escrito pelo Ricardo Coiro e publicado pela Editora Schoba em 2015.

Capa, resenha, livro, Confissões-de-um-cafamântico, Ricardo-Coiro, Schoba, trecho, cronicas,

 O livro já estava na minha estante há alguns meses, até que veio o Projeto Lendo Nacional e finalmente consegui lê-lo. Já acompanhava o Ricardo pelo Instagram, e estava curiosa para descobrir que confissões alguém que se divide entre ser romântico e cafajeste teria para fazer. A obra reúne crônicas do autor, divididas por temas: saudade, egoísmo, tesão, paixão, morte...

 "Desconheço alguém nesse universo grandioso que não tenha perdido o chão, a cabeça, a pose, e até mesmo a sanidade quando deu de cara com esse tal sentimento com aparência de muralha intransponível e cheiro de fotos velhas. Não existe colete à prova de saudade, nem formas de blindar nossa vida dos estilhaços  daquilo que vai e nem sempre volta.
 Sendo bem sincero, se não quiser esbarrar com a saudade: recuse toda e qualquer alegria que te faça gargalhar até sentir dor nos músculos da barriga, nunca se envolva com pessoas capazes de colorir seus dias cinzas e chuvosos, coma tudo sem sal e sem tempero, não viaje, não saia de baixo do edredom por nada, não beije, nem na bochecha, não faça sexo e, em hipótese alguma, conheça seus avós se a vida lhe der essa oportunidade imperdível." ("Aquela coisa chamada saudade", página 17)

 São crônicas curtas, que podem ser lidas em poucos minutos, mas extremamente bem escritas. O autor desenha com as palavras, consegue passar sentimentos em cada frase. E foi uma leitura que eu gostei demais, sendo impossível destacar uma única crônica como preferida, pois me identifiquei com tantas.

 "Volte logo, pois não sei se suportarei ter tudo arrumado. Vá e volte, antes que eu ache normal ver tudo no lugar e você fora dele." ("Vá, mas não demore para voltar", página 16)

 Confesso que tinha um certo receio de que o lado cafajeste falasse mais alto, mas a "cafajestice" que temos no livro não chega a incomodar.

Capa, resenha, opiniao, critica, livro, Confissões-de-um-cafamântico, Ricardo-Coiro, Schoba, trecho, diagramação, cronicas, foto, imagem
Capa, resenha, opiniao, critica, livro, Confissões-de-um-cafamântico, Ricardo-Coiro, Schoba, trecho, cronicas, foto, imagem
ricardo-coiro
Capa, resenha, opiniao, critica, livro, Confissões-de-um-cafamântico, Ricardo-Coiro, Schoba, trecho, diagramação, cronicas, foto, imagem

 Preciso destacar o capricho da edição da Schoba: a capa é bem bonita e a escolha e combinação das cores e fontes ficou linda. A obra está bem revisada, as páginas são amareladas e a diagramação traz letras, margens e espaçamento entre uma linha e outra com um ótimo tamanho. Há páginas pretas que dividem as crônicas por temas, e cada tema tem seu significado explicado como encontraríamos num dicionário.

 "São Paulo agora pulsa, sem querer, sem poder parar e parece não sentir nada enquanto o relógio marca quatro e dezesseis da madrugada. E, mesmo dentro desse escuro sempre iluminado, percebo que os cortiços do centro precisam de uma mão urgente. Uma mão de tinta. Algumas muitas mãos de gente. Talvez um braço forte que aguente o baque, ou melhor, um corpo inteiro capaz de sobreviver ao choque." ("Padroeiro do egoísmo", página 45)

 Fica a minha super recomendação para quem gosta de crônicas e até para quem não tem o hábito de lê-las, tenho certeza que você gostará de pelo menos uma delas, que desejará grifar várias citações e que se encantará pela escrita desse autor nacional tão talentoso. O Ricardo Coiro escreve para vários sites, e é possível encontrar algumas das crônicas presentes no livro para leitura nesses sites, deixo aqui o link para "Enquanto houver paixão", uma das minhas favoritas (assim como as demais citadas no post): www.entendaoshomens.com.br/enquanto-houver-paixao/.

 "A mesma árvore, cuja espinha dorsal ontem parecia estar prestes a quebrar devido à fúria dos ventos, hoje repousa sólida, cheia de postura e apresenta-me cabelos floridos. É inverno, mas vejo pétalas na copa, pétalas no chão, pétalas dentro de mim. Não preciso mais da primavera, não para sorrir. Posso parar em qualquer estação e sei que lá, onde quer que lá seja, a paixão fará o favor de estar para perfumar meus horizontes." ("Enquanto houver paixão", páginas 78 e 79)

 Detalhes: 125 páginas, ISBN-13: 9788580134209, 2° edição, Skoob. Onde comprar online: site da editora, Submarino.

 Por hoje é só, espero que tenham gostado do post. Me contem: já conheciam o autor ou o livro?


Participe do TOP COMENTARISTA de Julho, clique aqui para saber como participar e concorrer aos livros "O Casal que mora ao lado" e "Paris para um e outros contos".




Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:

14 comentários:

  1. Não sou muito chegada a ler crônicas, mas fiquei interessada nessa obra.
    A forma que ele escreve parece ser bem bacana e que consegue envolver o leitor.
    Ainda mais sendo uma obra nacional. Fiquei realmente curiosa!
    A edição parece estar bem caprichada mesmo. Dica anotada!!!
    Beijos
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  2. Uau! Já me ganhou só pela capa haha
    Gosto de Crônicas, com certeza darei uma chance à ele ^-^
    Belíssimo post!!
    Beijos ❤
    Jardim de Palavras

    ResponderExcluir
  3. Olá !
    Livro nacional \o/

    Não gosto muito de crônicas mas daria uma chance ao livro .. Adorei !

    Bjo

    ResponderExcluir
  4. Oi Mari :)
    Eu lia mais crônicas na adolescência e adorava. Não conhecia o autor e nem as obras dele. Achei interessante a estrutura do livro e bem caprichada. Os temas são bem diversificados pelo que eu vi.
    Obg pela indicação ;)
    Abc

    ResponderExcluir
  5. Mari!
    Gosto muito de crônicas e quando bem escritas, ainda melhor.
    Ver que o autor se denomina um romântico cafajeste e disseca essa característica em seus escritos, deve ser magnífico, ainda mais quando o lado cafajeste não é tão exacerbado quanto esperávamos.
    Uma semana esplendorosa!
    “O amor é a única loucura de um sábio e a única sabedoria de um tolo.” (William Shakespeare)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JULHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Não costumo ler muitas crônicas, mas isso é algo que pretendo mudar esse ano, então vou anotar essa dica <3
    O autor parece escrever super bem e estou louca pra conhecer seu trabalho (:
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá, gosto de crônicas pelo fato de não termos que nos ater a linha cronológica e podermos variar. Não conheço a escrita do autor, mas com certeza vou ler sua obra quando puder. Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Maria!!
    Adoro livros de cronicas e essa é a primeira vez que vejo falar desse livro, o que mas me chamou minha atenção foi o titulo principalmente o nome cafamântico que nunca tinha ouvido falar nessa palavra e tive que procurar no dicionário para saber o que significado que é cafajeste romântico!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  9. Não sei opinar muito bem sobre Crônicas porque faz tempo que não leio, mas não conhecia essa.
    Gostei de conhecer o livro através de sua resenha e vou anotar a dica.

    beijinhos!


    #Ana Souza
    https://literakaos.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    À muito tempo que não leio crónicas, e depois de ler a sua resenha fiquei curiosa para conhecer este!! Obrigada pela dica!!

    http://a-lilianaraquel.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  11. Oi, Mari!
    Não conhecia a obra. Parece ser crônicas bem bacanas. Ah! Adorei a citação da página 16. Bem profunda! rsrs...
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  12. Apesar de parecerem interessantes, não sou muito fã de crônicas. Talvez eu leia algumas delas no site primeiro, antes de tomar a minha decisão a respeito da obra.

    ResponderExcluir
  13. Nossa, lendo a sua resenha e os trechos que você adicionou foram suficientes para despertar a minha curiosidade para ler essa obra. A edição está realmente muito linda e o autor parece ter o dom de conectar o leitor com as suas palavras. Vou adicionar com certeza. Bjss!

    ResponderExcluir
  14. Olá! Que delícia de leitura me pareceu esse livro! Pelo que você nos conta, as crônicas parecem mesmo lindas e bem reflexivas! E os temas escolhidos são mesmo os do dia-a-dia! Também gostei bastante da capa.
    Beijos!
    Karla Samira
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim.
Leio todos os comentários, mesmo que nos posts mais antigos. Responderei seu comentário aqui nesse mesmo post. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados