quinta-feira, 21 de setembro de 2017

RESENHA: Boa Noite, de Pam Gonçalves

Olá Leitores (as), como estão? Venho trazer para você mais uma resenha, desta vez de um livro bastante especial. Estou me referindo ao título “Boa Noite” da autora Pam Gonçalves, booktuber do canal do YouTube Tv Garota It.

Foto: Skoob
Título: Boa Noite
Autora: Pam Gonçalves
Editora: Galera
Ano: 2016
Páginas: 240
Gênero: Romance / Literatura Brasileira / Jovem Adulto

SINOPSE

Alina quer deixar seu passado para trás. Boa aluna, boa filha, boa menina. Não que tudo isso seja ruim, mas também não faz dela a mais popular da escola. Agora, na universidade, ela quer finalmente ser legal, pertencer, começar de novo. O curso de Engenharia da Computação - em uma turma repleta de garotos que não acreditam que mulheres podem entender de números - a vida em uma república e novos amigos parecem oferecer tudo que Alina quer. Ela só não contava que os desafios estariam muito além da sua vida social. Quando Alina decide deixar de vez o rótulo de nerd esquisitona para trás, tudo se complica. Além de festas, bebida e azaração, uma página de fofocas é criada na internet, e mensagens sobre abusos e drogas começam a pipocar. Alina não tinha como prever que seria tragada para o meio de tudo aquilo nem que teria a chance de fazer alguma diferença. De uma hora para outra, parece que o que ela mais quer é voltar para casa. (Skoob) 

Quando me inseri no mundo literário no ano de 2013, uma das primeiras blogueiras que comecei a seguir foi a Pam, por isto quando soube que ela publicaria um livro, fiquei bastante empolgada. Porém foi apenas neste ano que tive a oportunidade de ler esta obra e posso dizer com toda certeza que realizei uma leitura bastante positiva. Venham conhecer melhor esta estória!


A dor de cabeça não está fácil e muito menos a ressaca moral! (pag.48)



Este livro conta a estória da personagem Alina, uma jovem adulta, de 18 anos, que possui vários estereótipos, da típica garota nerd, boa aluna, ótima filha, uma grande amiga e um tanto quanto ingênua. Quando ela passa no vestibular de ciências da computação, precisa sair da casa dos pais, e se muda para a capital, onde vai morar em uma republica conhecida como “República das Loucuras”, pelo qual acaba conhecendo Manu, Gustavo, Bernardo e Talita. Ao se deparar com esta nova rotina, percebe que esta e uma boa oportunidade para ser uma nova pessoa, que possui uma vida social agitada, podendo fazer novas amizades, e se envolver em um relacionamento amoroso. Através deste meio universitário, a autora vem tratar de vários assuntos sérios, dentre eles estão: Abuso sexual, machismo, estereótipos, preconceitos, uso de drogas ilícitas, entre outros. 

_Não trago qualquer coisa pessoa aqui_ Arthur responde. _ É um lugar querido por mim, não quero estragar. É, tipo, quando você gosta muito de uma música. Não quer ouvir com qualquer um, não é? (pag. 93)



A primeira frase deste livro já me cativou onde a autora diz: “Este livro é para todas as meninas, garotas e mulheres. Não deixem que digam que não são capazes, vocês podem ser o que e quem quiserem.” Neste momento já me senti inserida na estória, já consegui me identificar, já que todas nós mulheres, meninas, garotas, temos de possuir esta liberdade de expressão, e de opção, de poder escolher quem queremos ser.
Mesmo que eu não tenha vivenciando nada parecido com o que está personagem passou, ainda assim torci para que ela alcançasse seus objetivos, e que pudesse mudar a visão da sociedade diante de tantos preconceitos, e julgamentos diante a escolha do curso, ou pela roupa que usamos muitos menos com quem nos envolvemos ou nos relacionamos. Isto nunca nos definiu, e nunca nos definirá. E apesar de Alina no começo do livro se mostrar tão inocente, ainda sim, ela foi inteligente o bastante para conseguir mudar esta realidade, e em cada empecilho, ou barreira acabasse se tornando mais madura. No final me deparei com uma personagem feminina experiente, forte, decidida, cheia de vida, e expectativas para se obter um futuro melhor.

 _Por favor, se cuida. Eu sei como é essa fase. Já fiz faculdade._ Ela sorri com cumplicidade._ Mas tome cuidado. Nem sempre o que parece divertido é o mais inteligente. Você é uma mulher agora e toma as próprias decisões, mas quando precisar de um conselho ou desabafar é só me ligar. (pag. 176)


Bom, gostei muito da narrativa da autora, e a meu ver soube desenvolver esta trama de maneira fácil, rápida, e envolvente. No entanto neste enredo tudo aconteceu rápido de mais. Pois o livro possui apenas 240 páginas, para tantos assuntos abordados, que poderiam ter sido melhor aprofundados. Quando terminei a leitura fiquei com aquele gostinho de quero mais, para que houvesse uma continuação, já que alguns pontos ficaram em aberto, e que poderiam ter tido um desfecho melhor. Por este motivo avaliei o livro com apenas quatro estrelas. Esta obra é narrado em primeira pessoa pela perspectiva de Alina, onde conhecemos melhor sua estória de vida. Os personagens secundários deixaram esta leitura ainda mais divertida, e agradável, me deixando curiosa para saber mais sobre cada um deles, e seu passado, e posso dizer que todos mereciam um livro só sobre eles (risos). Amo quando os personagens secundários são bem construídos!  

Ao contrário do que somos educadas a pensar, as outras mulheres não são nossas inimigas, mas sim nossas irmãs. Um time. O exército que precisamos proteger. Se não protegermos e cuidarmos umas das outras, não serão os homes que farão por nós.
Juntas somos muito mais fortes. (pag.228)


Ou seja, gostei desta obra, até mais do que esperava, mas aguardava me surpreender durante a leitura, e isto não aconteceu, muito pelo contrário, foi até muito previsível. Para quem esta nesta fase de prestar vestibular, e se inserir na instituição faculdade/ universidade, acredito que esse é um livro muito indicado a vocês. Entretanto, para você que não está passando por esta nova fase, posso dizer com toda certeza que este livro é para você também, já que possui uma estória agradável, divertida, e envolvente.
Mas, e vocês já tiveram oportunidade de ler este livro, ou se interessaram por esta leitura? Deixe nos comentários a opinião de vocês, é sempre muito importante e bem vinda. 

Espero que tenham gostado, e por hoje é só.

Até o próximo post


Me acompanhe nas redes sociais:

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Aniversário de 2 anos do blog Caçadoras de Spoiler

 Olá pessoal, tudo bem? O blog amigo Caçadoras de Spoiler está completando dois anos! Em parceria com vários blogs e escritores maravilhosos (entre eles, o Pétalas de Liberdade), vai promover um mega sorteio. Vem participar, tem muita coisa, são 6 kits com vários livros e mimos.
Regras gerais:
  • Os participantes devem ter endereço residencial no Brasil.
  • Perfis falsos serão desclassificados.
  • As regras obrigatórias devem ter sido cumpridas, caso contrário o participante será desclassificado.
  • Cada kit, só um ganhador.
  • O ganhador deve responder ao e-mail enviado a ele em até 48h, caso contrário um novo sorteio será realizado.
  • O sorteio será feito automaticamente pelo site do Rafflecopter e o resultado será divulgado no blog.
  • Aonde está visitar a página é para curtir.
  • O envio dos prêmios será feito em até 60 dias úteis e nem o blog, nem as autoras participantes e os outros blogs, nos responsabilizamos por endereço de entrega incorreto ou extravio dos correios.
  • Lembrando que quanto mais regras opcionais você completar, maior a sua chance de ganhar.
  • O primeiro sorteado ganha o kit 1, por assim adiante.
  • O sorteio tem início no dia 20/09/17 e finalizará no dia 30/10/17
  • Cada blog e autor será responsável pelo envio do seu brinde, portanto os prêmios poderão chegar em diferentes dias.
  • O resultado sairá em até cinco dias após o término das inscrições.
Kit 1
Caçadoras de spoiler (2)
Kit 2
Caçadoras de spoiler (3)
Kit 3
Caçadoras de spoiler (4)

Kit 4 


Caçadoras de spoiler (5)

Kit 5

Caçadoras de spoiler (6)

Kit 6

Caçadoras de spoiler (7)
a Rafflecopter giveaway

Formulário aqui

Boa sorte a todos!

 * A realização do sorteio e divulgação dos nomes dos sorteados é de responsabilidade do blog Caçadoras de Spoiler.

 Me contem nos comentários: já conheciam o blog aniversariante? Gostaram dos kits?

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Resenha: livro "Todas as constelações do amor", Lydia Netzer

 Olá pessoal, tudo bem? Na resenha de hoje venho comentar sobre a minha experiência de leitura com o livro "Todas as constelações do amor", escrito pela norte-americana Lydia Netzer e publicado no Brasil em 2017 pela Bertrand Brasil.

Resenha, livro, Todas-as-constelações-do-amor, Lydia-Netzer, bertrand-brasil, opiniao, critica, autismo, asperger, astronauta, foto, citação

 Vocês já imaginaram como é ser casada com uma pessoa que tem Autismo ou Síndrome de Asperger? Já imaginaram como dever ser para uma mulher ser careca, não ter um único fio de cabelo em nenhuma parte do corpo? Pois Sunny, a protagonista de "Todas as constelações do amor", sabe bem o que é isso.

 Ela nasceu na Birmânia (atual Myanmar), e seu cabelo nunca nasceu, nem seus cílios ou sobrancelha. Mas Sunny usa perucas e nenhum dos seus vizinhos no bairro para onde se mudou há pouco tempo sabe dessa sua característica. Ela é casada com Maxon, que está dentro de uma nave indo em direção à Lua numa missão que pretende começar a colonização lunar. Sunny está em sua segunda gestação, ela já é mãe de Bubber, um garotinho de quatro anos que, assim como o pai, tem Autismo ou Asperger (o nome não é dito durante a leitura). Para completar, a mãe de Sunny está doente.

 Após um acidente de carro, sozinha, em meio à tanta pressão, Sunny repensará se a forma como tem conduzido a sua vida é a mais adequada.

 "Sunny passou a mão na cabeça. Tirara a mãe das máquinas. O filho, da medicação. A si própria das perucas, sobrancelhas, da fantasia de dona de casa urbana. Não podia fazer mais nada para apressar o fim do mundo, mas o fim do mundo se recusava a vir." (página 129)

 Eu não fazia ideia do que encontraria em "Todas as constelações do amor". A capa era bonita, a sinopse interessante, não era muito longo, então decidi solicitar da parceria. E foi uma leitura surpreendente.

 "Memorizou as entonações e as expressões faciais. Sempre conseguia imitar. Era uma réplica impecável, não importava quantas vezes tentasse.
 Talvez, sem o remédio, tivesse expressões faciais suas." (página 129, Sunny sobre seu filho)

 Sunny, a mãe, Bubber e Maxon não são pessoas "comuns", eles tem suas particularidades. Por um bom tempo, Sunny e Maxon tentaram viver como achavam que "pessoas normais" viveriam, morando numa "casa normal", tendo filhos como "pessoas normais", participando de eventos que "gente normal" participa, dando os remédios receitados pelo médico para que o filho se comportasse como uma "criança normal", tentando ser como todos os vizinhos do bairro. Mas seria necessário uma distância da Terra à Lua para que Sunny redescobrisse que todo mundo tem suas diferenças, seus segredos, suas singularidades, suas "esquisitices". Uma das coisas mais emocionantes do livro é a mensagem de que mesmo com todas as diferenças que um grupo de pessoas possa ter, ainda assim é possível nascer a amizade entre essas pessoas, é possível encontrar semelhanças nas diferenças.  Ninguém é tão sozinho ou tão diferente assim. Somos todos humanos, afinal.

 "Ela e Maxon faziam coisas bobas como essa. Como as que as crianças fazem. Ela imaginou que, quando tivessem cabelos e fossem pais, não brincariam de girar cadeiras." (página 74)

 Acho que já li alguns livros com pessoas com autismo/asperger, mas nunca na visão das pessoas que convivem com quem tem essa condição. Era incrível como Maxon era capaz de entender algumas coisas fazendo deduções impressionantes (para quem já leu, refiro-me sobre o episódio da história da caneta), mas em outras ocasiões, era necessário uma extrema sinceridade para que ele conseguisse captar o que era dito. Foi interessante ver como ele foi treinado, não para sentir, mas para conseguir colocar em palavras o que para ele seria muito claro em uma fórmula matemática. Confesso que me irritei com ele em alguns momentos, afinal, como um marido tem coragem de viajar para o espaço e deixa a mulher grávida com o filho pequeno e a sogra no hospital?

 "Lá no céu, no espaço, Maxon fazia rotações conforme o programado. (...) Lembrou-se de como o menino, Bubber, disse-lhe tchau de maneira bastante direta. 'Ti-chau, papai.' Como se permitiu ser beijado, conforme fora treinado, e como Maxon o beijou, conforme fora treinado também. É assim que pais agem, é assim que filhos agem, e é isso o que acontece quando o pai vai embora para o espaço. Como os olhos do menino vagaram em outra direção, contando os tacos no chão, medindo as sombras enquanto os braços seguravam o pescoço de Maxon sem querer deixá-lo ir." (página 17)

 Falando em sogra, um dos grandes medos da mãe de Sunny, era justamente que Maxon não fosse capaz de cuidar da filha e dos filhos do casal, que não entendesse as necessidades da família, que fosse incapaz de fazer Sunny perceber que não precisava fazer qualquer loucura para ser aceita. Outra coisa emocionante da trama é justamente a sensação que tive de que essa mãe poderia descansar despreocupada, pois Sunny e Maxon sempre calculariam os riscos (quem já leu, deve lembrar da cena da ponte).

 Fiquei pensando e pensando se dava quatro ou cinco estrelas para o livro no Skoob, se marcava ou não como favorito. Na contracapa, está que a escrita da autora é poética, e talvez por ter estranhado essa escrita poética no início, essa forma de demonstrar as emoções dos personagens, dei quatro estrelas para o livro ao invés de cinco, mas marquei como favorito e é um dos livros que quero reler assim que possível. Além da escrita, a autora vai e volta no tempo, dos dias em que Maxon foi para o espaço aos dias antes de Sunny nascer, passando por toda a infância e adolescência dos dois, mas isso foi muito bem feito e sem gerar confusão em momento algum, apenas me fazendo amar cada vez mais cada um dos personagens.

 "Ele não falou nada. Abriu o botão da gola e depois o fechou. Já passara por episódios, vários e vários episódios ruins, em que estava mastigando a gola da camisa, então resolveu mantê-la abotoada bem em cima. Não vestia nada de gola frouxa. Nada que desse para mastigar, mesmo que quisesse muito. Podia mastigar um lápis ou as unhas, mas as roupas, não. As roupas, não. Não tinha permissão para mastigar as roupas." (página 149, Maxon)

livro Todas as constelações do amor, Lydia Netzer (2) Resenha, livro, Todas-as-constelações-do-amor, Lydia-Netzer, bertrand-brasil, opiniao, critica, autismo, asperger, astronauta, foto, citação
livro Todas as constelações do amor, Lydia Netzer (3)

 A edição da Bertrand tem uma capa muito bonita, com título em alto-relevo. As páginas são amareladas. A diagramação traz margens, espaçamento e letras de bom tamanho. Não me lembro de ter encontrado erros de revisão.

 Detalhes: 280 páginas, ISBN-13: 9788528619348, Skoobleia um trecho. Onde comprar online: Saraiva, Submarino.

 Enfim, "Todas as constelações do amor" foi um livro que eu gostei e que recomendo. Uma história sobre aceitação e amor em suas mais diversas formas. Leia, e encanta-se também com a saga de Sunny e Max.

 "É isto que morrer significa: você não termina." (página 236)

 Por hoje é só, espero que tenham gostado do post. Me contem: pela resenha, o que acharam do livro? Já conheciam ele ou a autora?

Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Unboxing: Clube dos Livro & Citações

 Olá pessoal, tudo bem? No post de hoje trago um vídeo de unboxing da primeira caixinha enviada pelo Clube do Livros & Citações, um clube de assinatura literário que envia mensalmente uma mistery box/caixa com livro surpresa e brindes para seus assinantes. O Clube do Livros & Citações nasceu no grupo do Facebook Livros & Citações - Indique Um Livro, e, conforme comento no vídeo, tem alguns diferenciais. O primeiro deles é o preço: a proposta é que ele seja uma assinatura mais em conta, a caixa mais barata e que vem com livro e brindes simples sai por R$55,00 com o frete incluso. O segundo é a opção de escolher os gêneros que você mais gosta. Apertem o play para conferir tudo o que veio na minha caixinha de agosto, a primeira do clube:



 As inscrições para a caixa de setembro vão até o dia 22, se quiser saber mais ou assinar, acesse: https://clubedolivro.livrosecitacoes.com . Não vou colocar foto no post de tudo o que veio na caixa pois pode ter alguém que ainda não recebeu e estragaria a surpresa, mas vejam aí que lindo o livro:

livro, sorrisos-quebrados

 Se puderem me dar uma forcinha num sorteio que está rolando entre os membros curtindo minha postagem sobre a caixa no Instagram, agradeceria muito:
 Por hoje é só, espero que tenham gostado do post. Me contem: já conheciam o Clube dos Livros & Citações ou o livro que recebi?

Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:

domingo, 17 de setembro de 2017

Resenha: filme "Jane Eyre"

 Olá pessoal, tudo bem? Fazia um tempinho que eu não falava de filmes com vocês, né? Mas na resenha de hoje venho comentar sobre o filme Jane Eyre (que é baseado em um romance escrito pela britânica Charlotte Brontë publicado em 1847).

filme, Jane-Eyre

 A protagonista Jane  Eyre (interpretada por Mia Wasikowska) ficou órfã e foi morar com a tia, que não gostava da menina e mandou-a para um colégio interno onde a garota era vítima de castigos e humilhações, que refletiram em seu jeito de ser, tornando-a um pouco mais imune ao desprezo dos que se achavam superiores. Aos dezenove anos, a jovem saiu do colégio e foi trabalhar numa casa que mais parecia um castelo, Thornfield Hall, onde seria uma tutora, uma professora de uma menininha francesa.

 Seu patrão, o Sr. Rochester (interpretado por Michael Fassbender), que criava a menina, era um homem meio libertino que passava pouco tempo na casa. Porém, conforme Jane e o Sr. Rochester foram se aproximando, um sentimento surgiu entre eles, mas um relacionamento entre os dois seria difícil, visto que havia uma diferença de posições sociais. Além disso, o Sr. Rochester guardava um segredo em Thornfield Hall que poderia tornar definitivamente impossível o amor entre os dois.

filme, Jane-Eyre, 2011

 Eu já havia visto e gostado das partes finais do filme que encontrei por acaso, certo dia, enquanto zapeava pelos canais de TV. Aí, uma noite dessas, tive a oportunidade de vê-lo desde o início e não desperdicei, mesmo já sabendo como terminaria. Fui dormir uma hora da manhã, mas valeu a pena, tanto que vim aqui falar sobre o filme com vocês.

 A produção tem um ar sombrio. A Mia Wasikowska, que para mim ficou marcada como a Alice de Alice no País das Maravilhas (fiquei chocada ao ver como a maquiagem, o figurino e o penteado deixam ela quase irreconhecível!), faz uma Jane que já sofreu muito na vida, mas que tem princípios sólidos, ainda que seja uma jovem cheia de sonhos e vontade de viver e ver o mundo. Não sou muito fã do Michael Fassbender por algumas atitudes não muito louváveis dele, mas o personagem do Sr. Rochester ficou bom. É possível ver sua mudança de comportamento ao longo do filme. Mas, sinceramente, como ele achou que ia conseguir esconder aquele segredo de todos?!

filme, Jane-Eyre

 Eu ainda não li o livro da Charlotte Brontë, mas quero ler, pois acredito que nele a história seja mais aprofundada, afinal, é difícil condensar todas as mudanças que ocorrem na vida de Jane e o tempo que ela passou em Thornfield Hall em duas horas. Por exemplo, há uma cena em que é mencionado que já se passou um ano que ela está trabalhando, mas eu nem imaginava que já havia passado tudo isso.

 Se você ainda não viu o filme, lançado em 2011, veja, e se surpreenda com os segredos e reviravoltas que acontecem na vida dos personagens de Jane Eyre assim como eu me surpreendi e espero me surpreender ao ler o livro.

Até o próximo post!

Me acompanhem nas redes sociais:

sábado, 16 de setembro de 2017

Resenha: livro "A profecia de Mídria", Denise Flaibam

 Olá pessoal, tudo bem? Na resenha de hoje venho comentar sobre minha experiência de leitura com o livro "A Profecia de Mídria", primeiro volume da série de fantasia "Os Mistérios de Warthia", escrito pela Denise Flaibam, e que teve sua segunda edição lançada em 2016 pela Mundo Uno Editora.

Resenha, livro, A-profecia-de-Mídria, Denise-Flaibam, mundo-uno-editora, capa, fantasia, opiniao, comprar, ebook

 "– Você sabe que é especial, minha cara, mas não tem ideia do quanto. Livros já falavam sobre você muito antes que você nascesse..." (página 107)

 No continente Warthia, Serafine Delay era uma jovem que morava na Vila do Sol com os pais adotivos. Ela sempre soube que era diferente, pois seu corpo todo era marcado por estranhos desenhos. Como a vila era um lugar apenas de "pessoas normais", Serafine sempre usava roupas que cobriam todo o seu corpo e maquiagem. Até que, em sua festa de aniversário de dezoito anos, a vila onde morava foi atacada por criaturas terríveis: lobisomens. Serafine foi levada do confronto por dois forasteiros que haviam chegado na vila recentemente: a baixinha e simpática Ývela e o irritante Jarek.

 "- Precisamos chegar a uma vila deste Reino. - Ývela não foi específica, mas tentou explicar-se melhor. - É para sua segurança, eu lhe garanto. Lá você encontrará algumas respostas.
 - Mas eu não tenho nenhuma pergunta. - Serafine indignou-se. Jarek bufou. Seus olhos escuros demonstravam descontentamento, mas ela não se amedrontou. Estava começando a aprender como lidar com o temperamento do guerreiro.
 - Escua, garota... - Ele parou à sua frente com uma expressão entediada. - Pode não ter perguntas agora, mas com o passar do tempo será assombrada por coisas que nem imagina fazerem parte da sua vida. Precisa entender algo: você tem guardiões por um motivo importante. Aqueles Lobisomens foram o começo do que está por vir. Agora, suba no cavalo, sim?" (página 51)

 A partir daí, começaria a jornada de Serafine para desvendar o que as marcas em seu corpo significavam. A jovem também descobriria que o destino de Warthia poderia estar em suas mãos, e que para salvar o continente das forças do mal, ela precisaria aprender muito e viajar por lugares que só imaginou conhecer em sonhos. Em meio a essa jornada, em quem confiar? O que é real e o que não é?

 Uma coisa que gostei bastante nesse livro, foi o perfil dos personagens, a construção deles, seu jeito de ser e de agir. Eles são únicos e não seguem esteriótipos já vistos em outros livros do gênero. A Ývela é pequenininha, mas é uma guerreira e tanto. A Serafine tem medo, mas tem coragem. Se ela compreende que tem que fazer uma coisa, ela junta cada pedacinho de força que tem, e tenta. Foi interessante ver como no início, ela tinha vergonha de suas marcas, medo de alguém descobri-las e rejeitá-la, e com o passar dos capítulos ela vai entendendo que faz parte desse mundo mágico que, até então, pareciam apenas fantasia.

 A autora trouxe muitos seres fantásticos para a trama, desde os mais conhecidos como elfos e lobisomens, até outros que, acredito eu, sejam únicos da trama, como o felpudo Guillian. Para um livro de estreia, a Denise se saiu muito bem. Estou super animada e curiosa para ler os próximos volumes e, junto com a Serafine, descobrir mais sobre o seu passado e o seu futuro, para conhecer os outros reinos de Warthia e o que ela e seu guardiões encontrarão no caminho, ainda mais depois daquele epílogo arrasador! Se alguns momentos da trama são mais tranquilos, o prólogo e o epílogo são de tirar o fôlego. Falando em ficar sem fôlego, deixa eu dividir uma coisinha com vocês, leiam o trecho abaixo por favor:

 "– Ótimo. Onde está meu cavalo? – Serafine indagou com as mãos no quadril. Se eles haviam perdido seu precioso pangaré, ela ficaria muito zangada!
 – Não o trouxemos. Ele não era rápido o suficiente. Esses corcéis vêm do Sul, são tão velozes quanto o vento. – Jarek explicou com orgulho. Deu alguns tapinhas no pescoço do animal. Serafine reparou que se tratava do mesmo cavalo que havia lhe encarado na estalagem.
 – Como ele se chama? – Perguntou com curiosidade.
 – Darius. – A morena gritou de susto quando o próprio lhe respondeu. Relinchando, o corcel bateu uma das patas no chão, lançando aquele mesmo olhar intenso para a garota. – Está no mundo mágico agora, Serafine, nada vai ser como antes." (página 53)

 Gente, vocês tinham que ver o susto que eu, assim como a Serafine, levei nessa cena em que o cavalo falou! Praticamente pulei do sofá, rsrsrs! E não foi o único susto do tipo com coisas inesperadas durante a leitura.

Resenha, livro, A-profecia-de-Mídria, Denise-Flaibam, mundo-uno-editora, capa, fantasia, opiniao, comprar, ebook
Resenha, livro, A-profecia-de-Mídria, Denise-Flaibam, mundo-uno-editora, capa, fantasia, opiniao, comprar, ebook
Resenha, livro, A-profecia-de-Mídria, Denise-Flaibam, mundo-uno-editora, capa, fantasia, opiniao, comprar, ebook, trecho, diagramação

 A edição da Mundo Uno Editora está muito, muito, muito linda. Infelizmente minhas fotos não ficaram tão boas :(. A capa é maravilhosa, com ótima escolha de cores, imagens e letras. As páginas são amareladas e de boa textura. A diagramação tem letras, margens e espaçamento entre uma linha e outra de bom tamanho. Todas as páginas tem um detalhe, além dos detalhes no início de cada capítulo. Lá no Instagram (@marijleite), postei foto do mapa de Warthia que há no final. Pensem num livro bonito! É "A profecia de Mídria"! Só encontrei alguns errinhos de revisão.

 Detalhes: 304 páginas, ISBN: 978-85-67218-09-0, Skoob. Onde comprar online: loja da editora. O segundo volume da série foi lançado na Bienal do Rio, e se chama "A Fortaleza do Dragão".

 Com capítulos curtos e uma premissa fantasticamente interessante, "A profecia de Mídria" é uma obra nacional que vale a pena conferir! Por hoje é só, espero que tenham gostado da resenha. Me contem: já conheciam a autora ou o livro?

Até o próximo post.

Me acompanhe nas redes sociais: FacebookTwitterInstagramYoutubeSkoob

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Resenha: livro "Amor de todas as formas", Tatiana Amaral, M. S. Fayes, Raiza Varella, JC Ponzi, Mila Wander

 Olá pessoal, tudo bem? Na resenha de hoje venho comentar sobre minha experiência de leitura com o livro "Amor de todas as formas", que reúne contos das autoras Tatiana Amaral, M. S. Fayes, Raiza Varella, JC Ponzi e Mila Wander, e foi publicado em 2017 pela Editora Pandorga. Falarei um pouco sobre cada conto para vocês.

Resenha: livro "Amor de todas as formas", Tatiana Amaral, M. S. Fayes, Raiza Varella, JC Ponzi, Mila Wander
 Resenha: livro "Amor de todas as formas", Tatiana Amaral, M. S. Fayes, Raiza Varella, JC Ponzi, Mila Wander
 
 Tatiana Amaral escreve "Um dia para os namorados", protagonizado por Melissa Carter, uma mulher que, próximo ao dia dos namorados, desconfia que o marido está sendo infiel. Sem avisá-la, ele cancela todos os compromissos no trabalho e viaja sem dizer para onde. Será que ele estaria mesmo tendo um caso? O que Robert Carter estaria escondendo?

Resenha: livro "Amor de todas as formas", Tatiana Amaral, M. S. Fayes, Raiza Varella, JC Ponzi, Mila Wander


 "- Você sempre acha o pior de mim.
 - Como poderia ser diferente?" (página 44)

 O conto tem cerca de 90 páginas, foi meu primeiro contato com a escrita da autora e eu gostei. Desde o início eu já desconfiava do que estava por trás dessa viagem do marido da Melissa, mas a forma como a autora conduziu a história me fez ficar curiosa pelo que aconteceria no parágrafo seguinte. Acredito que muitos relacionamentos possam passar por problemas parecidos com o que se abateu sobre os protagonistas, quando há a falta de diálogo entre o casal e o peso das tarefas rotineiras aliadas às cobranças da sociedade.

 Depois da leitura, fui descobrir que a Melissa e o Robert são os protagonistas de uma trilogia já publicada pela Tatiana Amaral, a "Função CEO", que eu ainda não li, mas que se tivesse lido, poderia compreender melhor o perfil dos personagens. Por exemplo: em muitos momentos, foi falado sobre a idade dos protagonistas, dando a entender que eles não são mais tão jovens, mas como não li a trilogia, fiquei sem saber quantos anos eles tinham.

Resenha: livro "Amor de todas as formas", Tatiana Amaral, M. S. Fayes, Raiza Varella, JC Ponzi, Mila Wander
 Com pouco mais de cinquenta páginas, o segundo conto é "Pas de Deux", escrito pela M. S. Fayes. A protagonista é Samantha, uma jovem bailarina que tem um professor carrasco (como eu odiei esse professor!). Ele é terrível e a obriga a treinar sem respeitar seus limites, mas como é sonho dela, Samantha não desiste. Aí, certo dia, ela descobre que terá que ensaiar com um outro bailarino, Adam. A Samantha tinha uma quedinha pelo Adam quando eles estavam no colégio, mas ele era meio esnobe e não dava ideia para ela. Quando começaram a ensaiar, parecia que ele continuava igual,  mas a Samantha descobriria que o Adam tinha mais facetas do que apresentava.

 "Olhei para meus pés e vi a mancha de sangue que conseguiu atravessar a barreira das bandagens e do tecido da sapatilha." (página 118)

 A escrita da M. S. Fayes continua tão fluida e divertida quanto em Rainbow (outro livro dela que é um dos prêmios do Top Comentarista de Setembro, clique aqui para saber mais). Dá para ler as páginas num piscar de olhos. Os personagens desse conto me lembraram um pouco os de Rainbow no jeito de ser, de se vestir, e no hábito de falar palavrões constantemente.

 O Adam me pareceu meio possessivo, me lembrou até o Christian Grey de 50 Tons de Cinza, pois há um momento em que ele diz que a Samantha só vai se apresentar com ele. Pro Adam, que já era um bailarino famoso e rico, estaria tudo bem, mas isso impediria a Samantha de poder crescer por si própria, trilhar caminhos quem sabe até mais grandiosos que o Adam. Muito feio isso, senhor Adam, não é assim que se faz!

Resenha: livro "Amor de todas as formas", Tatiana Amaral, M. S. Fayes, Raiza Varella, JC Ponzi, Mila Wander
 O terceiro conto é "O garoto que desapareceu", com menos de cem páginas, escrito pela Raiza Varella. Perto do dia dos namorados, a protagonista Vivian, também conhecida como Barbie, encontrou uma caixa com um par de sapatinhos de cristal, que não eram do número dela, no guarda-roupas do marido Bernardo. Ela foi correndo pedir a ajuda das amigas, pois acreditava que estava sendo traída. De quem seriam aqueles sapatinhos? Qual o segredo que Bernardo escondia?

 "Como eu disse, eu odeio homens, quando não fazem merda não fazem nada." (página 169)

 Num primeiro momento, eu até achei que a história seria parecida com a do primeiro conto, mas é bem diferente. Ao longo da leitura, fiquei quebrando a cabeça para tentar desvendar o mistério por trás do par de sapatos. A história vai e volta no tempo, para que possamos conhecer as diversas fases do relacionamento da Vivian e do Bernardo.

 "- Seu irmão vai me matar, Barbie - sussurra em um gemido dentro da minha boca.
 - Se você não me beijar de volta, quem mata sou eu." (página 173)

 Os dois são personagens que aparecem na Trilogia Encantados, que conta os romances dos três amigos do Bernardo. Fiquei meio em dúvida se leio a trilogia ou não, pois pelo que pude ver no conto, os personagens (principalmente a Barbie) são meio afetados, dramáticos, ou como diria minha mãe: derretidos. Isso rende cenas e diálogos engraçados, mas acaba fazendo a trama pender mais para o lado do humor do que do romance que é proposto. Ainda assim, quando a parte romântica entra em cena, com o toque de conto de fadas que a autora toma como base para a história, é de arrancar suspiros!

 "Se esse não é o fundo do poço, eu, com certeza, errei o caminho." (página 172)

Resenha: livro "Amor de todas as formas", Tatiana Amaral, M. S. Fayes, Raiza Varella, JC Ponzi, Mila Wander
 A JC Ponzi escreveu "Amuleto", que tem cerca de 70 páginas. Jodie Clarke era um homem rico que ajudava a cuidar dos negócios escusos da família. Sua última tarefa era matar alguns caras que roubaram dinheiro da família, e foi o que ele fez, só que, além dos homens, havia uma prostituta presa pelos ladrões. Ao invés de matá-la, para não correr o risco de ela denunciá-lo, ele decidiu poupar a vida de Samantha (sim, temos mais uma Samantha no livro). Eles acabaram passando a noite juntos, e como o objetivo dela era ser dançarina, Jodie chamou-a para fazer um teste numa boate da família, mas ninguém poderia saber que eles já se conheciam. Será que o Jodie fez bem em deixar Samantha viva? Será que Samantha conseguiria o emprego?

 Eu já havia lido outro livro da JC Ponzi, o “Sem limites para o prazer”, do qual gostei muito (e recomendo!). No conto, a escrita dela continua tão boa quanto no livro. Porém, esse foi o conto que menos gostei dos cinco, pelo seguinte motivo: não vi amor em momento algum durante a trama, o conto destoa dos demais. Jodie e Samantha eram pessoas que, por causa das circunstâncias em que cresceram, não tiveram muito contato com sentimentos amorosos; diferente de outras histórias com personagens parecidos, o encontro dos dois não fez nascer neles um sentimento novo. Fiquei bem chocada com alguns comportamentos do Jodie. Sei que em outro livro da autora, é contada a história do irmão dele, mas depois do que vi no conto, acho que não vou querer ler.

Resenha: livro "Amor de todas as formas", Tatiana Amaral, M. S. Fayes, Raiza Varella, JC Ponzi, Mila Wander

 Aí, para fechar o livro, temos "Uma louca noite no supermercado" da Mila Wander. Com menos de 50 páginas, foi o meu favorito do livro todo, só por ele já valeu a pena realizar a leitura. A protagonista é Viviane, que, em pleno dia dos namorados, teve que ficar na empresa onde estagiava até mais tarde porque a chefe carrasca inventou uns relatórios para ela entregar no dia seguinte. Para conseguir passar a noite fazendo esses relatórios, só com a ajuda de muita cafeina, mas o café tinha simplesmente acabado! Então, a Viviane resolveu dar um pulinho no supermercado perto do trabalho e comprar mais pó de café. Só que estava chovendo horrores, e enquanto ela foi ao banheiro tentar se recompor minimamente depois de ter perdido o guarda-chuva, todo mundo sumiu do supermercado! Ela ficou trancada lá dentro, com o celular sem bateria e, para piorar, a energia elétrica acabou.

 "No instante em que um relâmpago clareou o supermercado, percebi um vulto passando no fim do corredor, seguindo na direção de outro. Eu podia ter gritado, acenado e feito a maior cena, mas senti tanto medo que simplesmente travei. Aquele vulto poderia ser um fantasma, afinal. Havia assistido uma quantidade suficiente de filmes de terror para ter certeza de que minha condição era um prato cheio para uma história com muito suspense e bastante sangue jorrando.
 Enquanto prometia a mim mesma que não seria a mocinha retardada que só fazia besteira e nunca conseguia fugir direito da assombração, caminhei vagarosamente até o fim do corredor em que eu estava." (páginas 338 e 339)

 Mas ela não foi a única a ficar trancada dentro do supermercado em plena noite chuvosa de dia dos namorados. Tinha um rapaz lá também, o nome dele era Nathan, com um porte físico meio intimidador. O que será que o rapaz estava fazendo no supermercado? Ele ajudaria Viviane a sair ou causaria problemas?

 "- Ai, minha nossa senhora... - arquejei em meio a uma onda súbita de pavor.
 Só me faltava estar trancada em um supermercado com um desconhecido que era o dobro de mim, Eu não sabia quem aquele sujeito era, por isso me desesperei. Talvez estar trancada sozinha fosse muito melhor. A verdade é que toda mulher tem medo de um homem desconhecido, pois nunca se sabe o que serão capazes de fazer. Era aquilo o que as feministas queriam dizer quando falavam que todo homem era um estuprador em potencial." (página 341)

 Quem nunca imaginou como seria passar uma noite fechado num mercado podendo comer tudo o que quisesse? Pois a Viviane e o Nathan aproveitariam bem essa noite muito louca! Eu gostei muito do conto (tanto que já reli) e dos personagens. Viviane e Nathan são engraçados, com seus defeitos e qualidades, eles tem sentimentos e não são inconsequentes, sabem que são dois desconhecidos mas que podem agir como adultos. Mesmo breve, o encontro de ambos causa uma mudança em suas vidas, faz com que reflitam se sua relação com o trabalho deveria seguir em frente ou não. Simplesmente amei e recomendo esse conto divertido, fofo e quente ao mesmo tempo!

 "Quer saber? Eu não estava nem aí! Se um cara podia ser verdadeiro quando o assunto era relacionamentos, por que a mulher precisava fingir que não possuía vontades e desejos? Nunca fui de me esconder. Eu era mais transparente que uma sacola plástica." (página 359)

Resenha: livro "Amor de todas as formas", Tatiana Amaral, M. S. Fayes, Raiza Varella, JC Ponzi, Mila Wander
Resenha, livro, contos, Amor-de-todas-as-formas, Tatiana-Amaral, M. S. Fayes, Raiza Varella, JC Ponzi, Mila Wander


 Detalhes: 384 páginas, ISBN-13: 9788584422098, Skoob. Onde comprar online: Submarino, Saraiva.

 Por hoje é só, espero que tenham gostado do post. Me contem: qual dos contos acharam mais interessante? Já conheciam ou leram algo de alguma das cinco autoras de "Amor de todas as formas"?

Até o próximo post.

Me acompanhe nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram, Youtube, Skoob

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

RESENHA: Simon Vs. a Agenda Homo Sapiens, de Becky Albertalli

Olá Leitores (as), como estão? Hoje trago para você mais uma resenha, no entanto se refere a um livro que vai ficar guardado para sempre no meu coração. Estou me referindo à obra “Simon Vs. a Agenda Homo Sapiens” da autora Becky Albertalli

Título: Simon Vs. a Agenda Homo Sapiens
Autora: Becky Albertall
Editora: Intrínseca
Ano: 2016
Páginas: 272
Gênero: Romance / Literatura Estrangeira

SINOPSE
Simon tem dezesseis anos e é gay, mas ninguém sabe. Sair ou não do armário é um drama que ele prefere deixar para depois. Tudo muda quando Martin, o bobão da escola, descobre uma troca de e-mails entre Simon e um garoto misterioso que se identifica como Blue e que a cada dia faz o coração de Simon bater mais forte. 
Martin começa a chantageá-lo, e, se Simon não ceder, seu segredo cairá na boca de todos. Pior: sua relação com Blue poderá chegar ao fim, antes mesmo de começar. 
Agora, o adolescente avesso a mudanças precisará encontrar uma forma de sair de sua zona de conforto e dar uma chance à felicidade ao lado do menino mais confuso e encantador que ele já conheceu.
Uma história que trata com naturalidade e bom humor de questões delicadas, explorando a difícil tarefa que é amadurecer e as mudanças e os dilemas pelos quais todos nós, adolescentes ou não, precisamos enfrentar para nos encontrarmos.



Este é mais um livro que estava dentre as minhas metas de leituras. Porém admito que estava com certo receio de ler esta estória. Por medo de acabar não me identificando, ou não compreender o que estava se passando com o personagem já que se trata de um romance homossexual. No entanto consegui me sentir próxima a Simon, como se fossemos amigos, há muito tempo.

“Ele falou sobre como você pode decorar os gestos de uma pessoa, mas nunca saber o que se passa na cabeça dela. E ter a sensação de que todos somos como casas com aposentos enormes de janelas pequenininhas” (pag.22)

 


O protagonista desta estória é Simon, ele tem dezesseis anos e é gay. Entretanto ainda não assumiu sua homossexualidade, para ninguém, já que sua preocupação e de que as pessoas, amigos e familiares comecem a agir de maneira diferente com ele após descobrirem sua orientação sexual. Mas, infelizmente isto muda, já que Martin, um idiota da sua escola, me desculpem a palavra, se depara com uma troca de e-mails de Simon com um garoto desconhecido por todos, e começa a chantageá-lo, de que ira contar a todos que ele gosta de garotos, se ele não fizer o que o que ele deseja. E é a partir daí que a trama se desenrola.

“Como comentário extra, você não acha que todo mundo devia ter que sair do armário? Por que o comum é ser hétero?” (pag. 130)



A primeira coisa que me chamou a atenção nesta obra foi o fato da autora citar Freud logo nas primeiras páginas, e logo me liguei de que ela poderia ser psicóloga. E olhando na contra capa onde fica descrito sobre os autores lá estava “Psicóloga”, já fiquei completamente boba, e encantada. Por isto esta estória possui uma escrita, e narrativa leve, rápida, fluida e envolvente. Já que ela trabalha com adolescentes de modo geral, mas principalmente com crianças com não conformidade de gênero. Deste modo é fácil compreender a facilidade de Becky em desenvolver personagens tão reais como Simon, suas irmãs, pais, e melhores amigos. De forma tão palpável e cativante. Em vários momentos me senti próxima a eles, e querendo fazer parte deste dia a dia. Dividindo com Simon, meus medos, receios, e descobertas, como ele fez com nós leitores. Demonstrando seus sentimentos, autodescoberta, e sendo forte o bastante para assumir sua personalidade, e seus desejos.

“Assim, quando as aulas terminam sem nenhum acontecimento extraordinário, meu coração fica meio partido. É como dar onze da noite no ser aniversário e você percebe que não vai ter festa surpresa, afinal.” (pag.180)


A trama é  narrada em primeira pessoa pela perspectiva do protagonista Simon, intercalando pelas trocas de e-mail, do personagem com seu amigo misterioso. Deixando a leitura ainda mais fofa, e divertida, nos proporcionando boas risadas.
O motivo de eu colocar chocolate e biscoito na foto, e que o personagem e apaixonado por Oreo, o biscoito e igual ao Negresco, pelo menos na minha visão (risos). Nestas cenas, só pensava em comer biscoito recheado, foi uma grande tentação.
Tive um misto de emoções durante a leitura, senti raiva de alguns personagens, principalmente de Martin, que mete os pés pelas mãos sempre, e ainda acha que seus atos são justificáveis, muito pelo contrário, pelo menos ao meu ver não foram. 

“_Então para vocês o problema é que não estou tentando esconder. O problema é que não estou mentindo para vocês.” (pag.210) 


“Mas talvez a situação seja digna de um estardalhaço. Talvez seja um imenso e incrível estardalhaço.
Talvez eu queira que seja.” (pag266)

A autora consegue facilmente guardar a identidade do amigo misterioso de Simon, e isto me gerou certa angústia, e medo de que fosse alguém ruim, ou que estivesse apenas brincando com os sentimentos do personagem. Torci muito para que estivesse enganada, e fiquei muito  satisfeita de não ser a pessoa que eu desconfiava que seria. Ainda bem!
Posso dizer com toda a certeza de que esta foi uma leitura bastante prazerosa, até porque   a autora trata do assunto de maneira leve, nada voltado como um tabu, ou algo inaceitável pela sociedade. Mostrando que pessoas homossexuais não querem nada diferente dos casais heterossexuais, e que simplesmente são adolescentes como todos os outros, com defeitos e potencial. Simon é um garoto forte, decidido, fofo, encantador, melhor amigo, companheiro, enfim estou completamente apaixonada por ele! Por esta razão avaliei esta leitura como cinco estrelas, muito bem merecidos. 
Digo para quem ainda não leu este livro, de uma chance a obra, tenho certeza que não iram se decepcionar, até porque e uma leitura super rápida e envolvente. 
Mas, e vocês já tiveram oportunidade de ler este livro, ou se interessaram por esta leitura? Deixe nos comentários a opinião de vocês, é sempre muito importante e bem vinda. Inclusive a editora Intrínseca já publicou um novo livro da autora, que já está incluso na minha lista de desejados, com o título “Os 27 Crushes de Molly”.

Esperam que tenham gostado, e por hoje é só.

Até o próximo post


Me acompanhe nas redes sociais: