Resenha: livro “Nunca julgue uma dama pela aparência”, Sarah MacLean

 Olá pessoal, tudo bem? No post de hoje, venho comentar sobre a minha experiência de leitura com o livro “Nunca julgue uma dama pela aparência”, quarto e último volume da série de romances de época “O clube dos canalhas”, escrito pela Sarah Maclean e publicado no Brasil pela Editora Gutenberg (cada volume contará a história de um dos quatro sócios do clube O anjo caído).

Quatro escândalos, sussurrados em salões de festas em toda a Grã-Bretanha.
Quatro aristocratas, exilados da sociedade, agora realeza no submundo londrino.
Quatro amores, poderosos o suficiente para domar a escuridão e devolver esses anjos caídos à luz. Goodreads

Resenha, livro, Nunca-julgue-uma-dama-pela-aparência, Sarah-MacLean, editora-gutenberg, foto, imagem, capa, opiniao, quotes, ebook, romance-de-epoca, serie-o-clube-dos-canalhas

 Sobre a história: Finalmente chegamos ao último livro! Aquele que eu mais queria ler, por se tratar da história de Chase, o misterioso fundador do cassino O anjo caído, e que sempre demonstrou ser o mais bem informado dos quatro, e também o mais frio. Eis que Chase não é um homem, é uma mulher (isso não é spoiler, ok?! Tá na sinopse.)!

 "Lady Georgiana Pearson – que não fazia questão do título honorífico e também não o merecia – adorava sua ruína. Afinal, isso a tinha tornado rica e poderosa, ela era a proprietária de O Anjo Caído, o cassino mais escandaloso e exclusivo de Londres. Era, também, a pessoa mais temida na Grã-Bretanha: o misterioso “cavalheiro” conhecido apenas como Chase. Pouco importava que ela era, de fato, uma mulher. Então, sim, Georgiana acreditava que o céu tinha lhe sorrido naquele dia, uma década atrás, quando seu destino foi forjado."

 Lady Georgina Pearson foi mãe solteira aos 16 anos, desde então, ela foi excluída da sociedade. Georgina nunca se importou em ser aceita. Assumindo a identidade de Chase, ela se tornou extremamente rica e praticamente tão poderosa quanto o rei, era a pessoa mais temida da Grã-Bretanha, tendo nas mãos os segredos mais escandalosos de boa parte da nobreza. Porém, com sua filha chegando à adolescência, Georgina percebeu que seu dinheiro não poderia comprar a felicidade da garota e a certeza de um futuro seguro, pois a menina sempre seria vista como inferior pelo restante da sociedade, o que facilitaria a aproximação de pessoas de caráter duvidoso. A única solução que Georgina encontrou para que sua filha tivesse uma chance, foi se casar com um nobre. Um título protegeria a garota. Para isso, ela teria que voltar para a sociedade.

 Duncan West era um jornalista, dono dos maiores jornais e revistas de Londres. Se Georgina conseguisse que ele fosse seu aliado, falando a seu favor em suas publicações, ela teria mais chances de ter sucesso em seu plano e conseguiria conquistar o nobre que estava em sua mira sem ter que usar de chantagem para isso.

 Duncan era frequentador assíduo do Anjo Caído, eu não vou revelar para vocês como a Georgina se passava pelo Chase, mas o fato é que durante anos, o jornalista e ele trocavam favores através de bilhetes e coisas do tipo. Duncan descobriria que havia uma ligação entre Georgina e Chase, mas não sabia que ambos eram a mesma pessoa, e por ele ser um dos poucos sobre quem Georgina/Chase não tinha nenhuma informação que pudesse usar, pairava a dúvida se ele era mesmo um aliado. West tinha um fraco por ajudar mulheres em perigo, mas será que conseguiria ajudar Georgina, uma mulher por quem seu coração bateu mais forte, sem ter um título de nobreza?

Resenha, livro, Nunca-julgue-uma-dama-pela-aparência, Sarah-MacLean, editora-gutenberg, foto, imagem, capa, opiniao, quotes, ebook, romance-de-epoca, serie-o-clube-dos-canalhas

 Minha opinião: Só pela vida da Georgina/Chase já valeria a pena ler. Na época em que a trama se passa, uma mulher ser tão poderosa quanto o rei, e vê-la como a racional enquanto seus três sócios eram “vencidos” pelo amor, foi algo bem interessante. Mas como estamos falando de um romance da Sarah MacLean, o West também tem um segredo perigoso que ele não quer que seja descoberto de jeito nenhum, mas que nós, leitores, queremos muito desvendar, o que deixa a história ainda mais eletrizante.

 "Previsível" é uma palavra que não pode ser usada para “Nunca julgue uma dama pela aparência”! Chegou um momento na trama em que eu não tinha a menor ideia do que iria acontecer. Parecia que O Anjo Caído estava perdido, mas aí a autora encontrou uma saída maravilhosa para um final perfeito para a série.

“Eu sou feliz”, ela mentiu.
“Não. Você é rica e poderosa, mas não é feliz.”
“Felicidade é algo superestimado”, ela retrucou, dando de ombros, enquanto ele a conduzia pelo salão. “Não vale nada.”
“Vale tudo”, disse Temple e eles dançaram em silêncio por um longo momento. “E, como bem sabe, você não estaria fazendo isso se não fosse por felicidade.”
“Não pela minha, mas pela de Caroline.”
A filha dela. Que estava ficando mais velha a cada segundo. Nove anos de idade, logo dez, não demora muito, vinte. Ela era a razão de Georgiana estar ali. Ela olhou para seu imenso parceiro, o homem que a tinha salvado tantas vezes quanto ela o salvou, e lhe disse a verdade:
“Eu pensei que poderia mantê-la longe disso”, Georgiana sussurrou. “Eu fiquei longe dela.” Durante anos. Em detrimento das duas. 
“Eu sei”, ele respondeu, e Georgiana se sentiu grata por estar dançando, o que evitava que tivesse que encará-lo por muito tempo, o que ela não sabia se conseguiria.
“Eu procurei mantê-la em segurança”, ela repetiu. Mas uma mãe só consegue manter sua criança em segurança por algum tempo. “E isso não foi o bastante. Ela vai precisar de mais do que isso se quiser escapar dessa sordidez.”

 Preciso mencionar os personagens secundários: especialmente o Temple (do livro três) que rendeu cenas bem engraçadas nesse quarto volume; e os demais sócios que ajudaram no desenrolar do relacionamento da Georgina, algo super merecido depois do tanto que ela interferia na vida deles; a filha da Georgina que era uma fofa; o nobre pretendente que se mostrou uma boa pessoa, enfim, personagens muito bem trabalhados!

 Ah, e pra quem ficou um pouco curioso sobre o tempo em que a Georgina passou longe da sociedade, antes do Anjo Caído, em outra série da autora, a trilogia “Os números do amor” (lançada pela Arqueiro), que se passa anos antes de “O clube dos canalhas”, no livro "Dez Formas De Fazer Um Coração Se Derreter" (resenha), é possível entender melhor sobre esse período e, acredito que no último da trilogia (que terá como protagonista o irmão da Georgina), isso ficará ainda mais claro.

Detalhes: 320 páginas, ISBN-13: 9788582353554, Skoob. Onde comprar online: Saraiva, Submarino.

 Por hoje é só, espero que tenham gostado do post. E assim finalizo as resenhas da série de romances de época “O clube dos canalhas”, onde acompanhamos quatro amigos, três homens e uma mulher, que sofreram perdas quando eram jovens e inconsequentes, foram afastados da sociedade, mas que se reergueram através do Clube O Anjo Caído, e redescobriram que eram merecedores de amor e de felicidade, de uma vida longe das sombras e cheia de luz. Uma série que eu super recomendo! Me contem de qual das quatro resenhas gostaram mais e o que acharam da premissa de “Nunca julgue uma dama pela aparência”.

 Link das resenhas dos livros anteriores (lembrando que é possível sim ler fora de ordem, ou apenas um livro, mas ler todos na ordem correta torna a compreensão da ambientação maior):
Livro 1: Bourne - “Entre o amor e a vingança”
Livro 2: Cross - “Entre a culpa e o desejo”
Livro 3: Temple - "Entre a ruína e a paixão"
Livro 4: Chase - “Nunca julgue uma dama pela aparência”

Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:
10 comentários via Blogger
comentários via Facebook

10 comentários

  1. Gostei muito da premissa do livro e quero ler essa série O clube dos canalhas, infelizmente não tive a oportunidade de ler nenhum dos livros, e ao que parece o ultimo livro termina com chave de ouro, deixando a série irresistível, quero muito conhecer a vida da Georgina/Chase por ser uma personagem forte e poderosa!!

    ResponderExcluir
  2. Nem imaginei que tivesse ligação com Os Números do Amor. Aliás, já devia ter previsto, porque isso é tão comum no gênero né? Todas as autoras mais famosas fazem isso. Mas é que da Sarah, até agora, só li os dois primeiros de ONDA. E estou loucaaaaa pra ler o último, que parece o melhor. Ainda bem que comecei por essa trilogia, já que se passa antes (apesar de que, sinceramente, não ligo pra ordem).
    Essa série aí já tava na minha listinha, de qualquer forma. Bom saber que gostou! Adorei a resenha!

    Beijos!!

    http://www.cafeidilico.com

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Oi Mari
    Foi através do seu blog que conheci a série Clube dos Canalhas. Como gosto muito de romances históricos, foi uma delícia ler as suas resenhas. Está série entrou definitivamente para a minha lista de aquisições.
    Quero muito conhecer o desfecho da história de Georgina/Chase, o fundador do cassino que na verdade é uma mulher forte e que fez o seu próprio destino.
    Escolher qual a resenha que eu mais gostei? Impossível!

    ResponderExcluir
  5. Oi Mari! Tudo bem?
    A sinopse é boa e a capa linda, mas não é algo que me chama atenção, por ser um romance de época, é um gênero que não faz o meu tipo.
    Gostei de sua resenha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Realmente esta série possui muitos comentários positivos. E apesar de estar fugindo de iniciar novas séries, esta é uma que tenho muito interesse. Creio que sua proposta de ser de época e mesclar bem as características dos personagens.

    ResponderExcluir
  7. Oi, Mari!!
    Nossa adorei acompanhar as resenhas dessa série aqui no blog!! Logo vou comprar essa série pois estou terminando outra série dessa autora Os números do amor e quero ler algo dela muito em breve! Amei a resenha e a indicação!!
    Bjoss

    ResponderExcluir
  8. Mari,fiquei bem surpresa em descobrir que o fundador do cassino,é uma mulher!!!
    E foi agradável a descoberta.
    Olhando a capa,dá para perceber a força dessa mulher.
    E acompanhando todas as resenhas do blog dessa série,fiquei fascinada pelo livro "Entre a ruína e a paixão”.
    Foi a que mais aguçou a minha curiosidade.

    Mais claro, quero muito ler todas as histórias. 😉😊

    ResponderExcluir
  9. Acredita que esse é o livro que eu menos gosto da série? Acho que, apesar da força e da determinação da protagonista (e isso são pontos fortíssimos), eu não consegui gostar da personalidade dela como um todo, muito menos do ambiente em que a história foi contada. Nao sei, tive a sensação de que destoava bastante dos outros volumes. Confesso que no final do terceiro volume, quando a verdade sobre "o dono" do cassino foi revelada, eu fiquei boquiaberta.

    ResponderExcluir
  10. Heiii, tudo bem?
    Amooo romances de época e essa série eu ja tenho ela toda.
    As capas sao lindas e amo essa que ela está de calças, acho que ja mostra uma diferença grande.
    Ainda nao li “Nunca julgue uma dama pela aparência”, mas pelos elogios, ja vejo que vou amar mto como vc.
    Amei a dica.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados

Topo