Clique na imagem e saiba como participar do Top Comentarista de fevereiro

Clique na imagem e saiba como participar do Top Comentarista de fevereiro
Clique na imagem e saiba como participar do Top Comentarista de fevereiro

Resumo literário de 2017

 Olá pessoal, tudo bem? Mais um ano chegando ao fim, e é hora de fazer um balanço das leituras de 2017! Segundo meu perfil no Skoob, li 110 livros, mas pode ser que depois da publicação desse post, eu ainda consiga terminar mais 1 livro, além de ter lido alguns que não estão cadastrados no Skoob. Pode parecer muito, mas se pensarmos bem, é pouco mais de 2 livros por semana, considerando-se que grande parte foi de livros curtos, com cerca de 200 páginas. Foi um bom número de leituras, ainda que menos do que no ano passado. Abaixo, estão os prints dos 110 livros que li e que estão cadastrados no Skoob (acesse meu perfil para saber mais sobre eles):

 

 ALGO QUE APRENDI EM 2017: definitivamente NÃO JULGUE UM LIVRO PELA CAPA! Estão vendo essa coisa sem comentários que é a capa de "Cativa da Montanha" da Michelle M. Pillow?! Pois bem, ao contrário do que a capa possa dar a imaginar, é um romance super gostoso de se ler, com um mocinho muito bacana e uma história bem desenvolvida. Para quem quiser ver uma capa bem melhor, cliquem e confiram "Mountains Captive by Michelle M. Pillow" no Goodreads.

 Observando os títulos, apesar de ter sido bem equilibrado, li uns dez livros a mais escritos por mulheres do que por homens, e ler mais escritoras era um objetivo para esse ano. Quanto ao objetivo de ler mais nacionais, acabei lendo cerca de vinte internacionais a mais do que nacionais. Resenhei boa parte dos livros lidos, mas tem livro que li em abril e que não resenhei ainda, mas vamos corrigir isso em 2018.

 Esse ano, ao invés de gravar um vídeo só mostrando os favoritos e as decepções do ano, gravei três vídeos: um com os favoritos de autores internacionais, um com os favoritos nacionais e um com os livros que me decepcionaram em 2017. Fui postando-os ao longo da semana no canal do Youtube (se ainda não é inscrito, clique e se inscreva: Canal Pétalas de Liberdade). Apertem o play para conferir:







 Dos desafio literários que me propus a participar, só concluí o 12 meses de Poe (onde deveríamos ler um conto e um poema do Edgar Allan Poe por mês). Não participei ativamente do Desafio dos 100 Livros em Um Ano do Blog da Clauo (apesar de ter lido mais de 100 livros, não interagi muito no grupo) nem do Desafio Literário Skoob (que dava um tema de leitura por mês), desisti do projeto "Clarice-se" (leitura de contos da Clarice Lispector) e desisti também do desafio de escrita "Escrevendo Sem Medo. Eu havia organizado um projeto para estimular a leitura chamado "Leia mais, Brasil!", mas como a participação foi pequena, mesmo com mudanças, ele não foi para frente, mas serviu como experiência e aprendizado, além de que os contos do desafio continuam disponíveis para leitura.

 Nos anos anteriores, eu costumava postar fotos com os livros novos que foram para a estante, mas esse ano não deu pra fazer essa foto, pois foram mais de 150 novos livros na estante (como talvez vocês tenham percebido pelas Caixas de Correio, eu comprei muitos livros em 2017, aproveitando promoções e em sebos), um bom investimento, pois sei que algum dia vou lê-los e sei que sempre há o risco de futuramente não poder investir na aquisição de livros.

 E com tantos livros novos na estante, minha meta para 2018 será dar uma diminuída na pilha de "encalhados" (se der para manter a média de dois livros por semana, ótimo!), tentando só comprar em promoções realmente boas, além de me esforçar mais para não deixar resenhas atrasadas. Esse foi o ano em que o blog teve mais posts desde sua criação: 276 postagens! E eu agradeço muito à Lana, que se tornou colaboradora aqui no Pétalas de Liberdade e tem sido uma grande ajuda para tornar o blog ainda mais bacana para vocês. Agradeço também a todos os parceiros e todos vocês, leitores, que contribuíram para que o Pétalas de Liberdade pudesse chegar até 2018. Um feliz ano novo!

Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:

RESENHA: Sempre Foi Você, de Carrie Elks

Olá Leitores (as), como estão? Hoje trago a vocês a resenha.do livro Sempre Foi Você, da autora Carrie Elks, da qual me surpreende totalmente ao me deparar com uma estória de romance completa. Ficaram curiosos? Então venham conferir  minha opinião completa sobre esta obra.

Foto: Skoob
Título: Sempre Foi Você
Autora: Carrie Elks
Editora: Universo dos Livros
Ano: 2014
Páginas: 312
Gênero: Ficção  /  Literatura Estrangeira  / Romance

SINOPSE
Richard, nós tivemos um bebê.
Londres, 31 de dezembro de 1999. Aos 17 anos, a britânica Hanna Vincent conhece o americano Richard Larsen: um estudante rico, encantador e sedutor que vai virar seu mundo de ponta-cabeça. Um relacionamento entre eles é improvável, já que vivem em mundos completamente diferentes. Mas aos poucos uma grande amizade vai surgindo e leva os dois a uma relação explosiva, cheia de paixão, amor e aventura.
Emocionante e comovente, Sempre Foi Você é uma genuína história de amor. Você daria uma segunda chance ao amor da sua vida?(Skoob)

Quero ser bem sincera ao falar deste livro, pois este é um dos títulos que tenho a mais tempo na minha estante, tanto que possui várias marcas do tempo por estar guardado. Aquelas já conhecidas marcas amarelas. Entretanto ao começar a leitura me deparei com um estória envolvente, e uma leitura fluida, na qual acabei por devorar a obra.

(...) “O começo da sua carreira universitária é algo que vale a pena comemorar, mas, como Thomas Carlyle disse “A maior universidade de todas é sua coleção de livros”.(pag. 36)


Na primeira parte do livro somos levados a revelação que me fez querer ler a obra, que é o fato de Hanna ter tido um filho de Richard e ter previamente escondido este fato. Logo após esta descoberta voltamos no tempo, e no deparamos com Hanna aos 17 anos tendo de ir trabalhar em pleno réveillon, pois precisava ajudar sua mãe. E é lá que ela conhece ninguém menos  que o amor de sua vida “Richard”. A partir daí vamos acompanhando o desenvolvimento da amizade entre ambos, e como eles irão construir juntos um vínculo amoroso. Além do casal, vamos observar também seus envolvimentos familiares, como a irmã de Richard, Rudy, que acaba se tornando a melhor amiga de Hanna. O livro é narrado em terceira pessoa, e nos faz embarcar de cabeça na leitura, pela riqueza de detalhes, que nos proporciona uma perspectiva maior da trama.

“Não importava o que seu pai dissesse ou tentasse fazer - sempre haveria uma parte dela que duvidaria dele. Hanna não sabia se aquilo um dia poderia mudar.” (pag. 47)


Nesta história vamos acompanhando as mudanças de fases  dos personagens no decorrer dos anos, e momentos que nos marcam como por exemplo a entrada na faculdade, primeiro emprego, e namoro, entre outros eventos. Há meu ver a autora conseguiu transformar o velho clichê em algo emocionante, envolvente, e muito cativante. Em que as páginas vão passando e você não se dá conta, pelo fato da leitura ser fluida, e encantadora. Nos prendendo do começo ao fim do livro.

“Você sonha com isso?_ assim que as palavras escaparam da sua boca, ele quis não ter dito nada. O sorriso de Hanna se desfez e as sobrancelhas dela se franziram.
_ Não me permito sonhar, Richard. Estou tentando pensar no aqui e agora. ” (pag. 156)



Como deu para perceber, a obra e muito atrativa. Talvez até seja pelo fato dos personagens terem sido muito bem construídos, com personalidades particulares, que nos faz sentir empatia por eles ou até mesmo se identificar. Outro ponto que me fascinou ainda mais nesta leitura, e o fato da estória se passar nas duas cidades que mais sonho em conhecer que é Londres na Inglaterra (como podem ver na capa), e Nova York, nos Estados Unidos. E se você como eu também tem vontade de conhecer esses lugares, mais um dos motivos para vocês lerem este livro.
A trama de uma maneira geral é ampla, pela passagem dos anos, mas a autora fez um trabalho impecável não deixando furos no decorrer da estória, fazendo com que este tenha sido um dos romance mais completos que já li. Cheguei no desfecho da obra muito satisfeita com a leitura.

“_Hanna Vicent, você é o amor da minha vida. Me deu uma criança linda que é o centro do meu universo. Eu seria o cara mais sortudo do mundo se você me desse a si mesma. ” (pag. 285)


Torci muito para que este casal ficasse juntos, e isto me custou um misto de emoções. Porém aqui nos deparamos com um romance que não acontece da noite para o dia, mas que vai sendo tecido, e amadurecido no decorrer dos anos. E isto de certa forma me fez refletir que não devemos abrir mão de quem somos, e do que gostamos em nome do amor. Pois se a pessoa da qual nos sentimos atraído nos amar de verdade tem que aceitar tudo que vier junto da gente como nosso passado e presente.
Por este e outros motivos avaliei a estória com 5 estrelas que foi muito bem merecido. E espero de coração que eu os tenha convencido de dar uma chance a este livro. Mas, e vocês já tiveram oportunidade de ler este livro, ou se interessaram por esta leitura? Deixem nos comentários a opinião de vocês, é sempre muito importante e bem vinda.

Espero que tenham gostado, e por hoje é só.

Até o próximo post


Me acompanhe nas redes sociais:

Resenha: livro "O lado escuro da madrugada", Roberto Giacundino

 Olá pessoal, tudo bem? Na resenha de hoje venho comentar sobre minha experiência de leitura com o livro "O lado escuro da madrugada", escrito pelo Roberto Giacundino e publicado em 2017 pela Editora Pandorga.

romance-policial-brasileiro

 Narrada em terceira pessoa, a história nos apresenta a jornalista Sandra Garcia, que estava no Teatro Municipal de São Paulo para uma cerimônia de entrega de prêmios. Eis que, um publicitário que havia ganhado um importante prêmio naquela noite por uma campanha contra o preconceito, foi morto dentro do teatro. O publicitário era amigo de Sandra, e ela, com seu faro investigativo, ia fazer o possível para descobrir quem matou seu amigo e por qual motivo, já que a primeira suspeita, um roubo seguido de morte, não lhe parecia nem um pouco aceitável!

 "Sandra estava ficando impaciente. Talvez devesse ser mais cuidadosa. O tempo de correspondente havia passado, não precisava ficar se metendo em encrenca. Era sentar como âncora do jornal e repassar notícias sem mexer uma só palha. Mas quem ela estava tentando enganar? Este não era o seu método. Queria participar, levantar pontas soltas, descobrir quem matara Evandro. Resolveu, então, reforçar suas ideias:
 - Ainda não acredito em latrocínio. Em pleno Teatro Municipal? Em uma noite de evento? Meus caros - disse ela em tom de deboche -, sejam menos ingênuos. Quem garante que não houve um assassinato premeditado, com roube de pertences para desviar as suspeitas? Não acham estranho o fato de ele ter discutido com Rogério ontem? E Elcy, onde estava no momento em que ele foi morto? Outro detalhe: alguém já falou com aquele segurança que parecia ter rodinhas no pé e estava com cara de assustado? Teria sido uma invasão? Seria uma vingança de skinheads ou neonazistas contra um negro que se destacava pela luta contra o racismo?" (página 34)

 Em suas investigações, ela acabaria se colocando em risco, assim como outros crimes seriam cometidos. O publicitário morreu por provocar neonazistas com sua última campanha? Por uma dívida com o tráfico? Ou teria sua ex-namorada algo a ver com isso? Só lendo para vocês descobrirem!

 "- A única coisa que sei é que onde tem acontecido encrenca, o seu nome está envolvido. Vou lhe dizer uma coisa: isso não é um romance policial, ou um filme de detetives. Então, o que quer que esteja acontecendo, quero que você seja transparente e me conte de uma vez por todas. Não sou o policial burro que não pode saber da verdade com o perigo de não acreditar nas suas teorias malucas! Posso não acreditar, mas, nesse momento, considerarei tudo. Me fale toda a verdade!
 Sandra suspirou e passou a mão pelos cabelos. Aquele era um momento importante. É claro que ela pretendia continuar investigando por conta própria, mas não poderia ficar calada e deixar uma sombra pairando sobre seu nome." (página 139)

 Alguns conhecidos já tinham lido "O lado escuro da madrugada" e elogiado muito o livro, então eu comecei ele cheia de expectativas, e no comecinho estava me perguntado o que de tão especial esses conhecidos tinham visto na obra. Até que esse algo especial apareceu, a medida em que fomos conhecendo mais do passado e do segredo que a Sandra guardava, enquanto sua investigação do crime ia avançando, fui gostando cada vez mais da história. A escrita do autor foi ganhando ritmo ao longo dos capítulos. E aí veio o final! Um final inesperado e surpreendente, ainda que o autor tenha nos dado pistas ao decorrer da leitura, eu nem imaginava qual seria a verdade.

 Esse é o primeiro livro publicado pelo Roberto Giacundino, e ele já começou muito bem! A ambientação no Brasil ficou bem feita. O enredo envolvendo funcionários de uma emissora de TV ficou interessante (além da jornalista Sandra, temos toda a equipe que trabalha com ela no jornal que apresenta, e o publicitário tinha sua agência dentro do prédio da emissora). E por mais que eu tenha começado a leitura desconfiando de tudo e de todos, afinal, estamos em busca de um assassino, os personagens foram me cativando. Gostei bastante da representatividade que há na obra, há negros, gays, pessoas com dificuldade de locomoção... E aí temos Sandra, uma mulher corajosa, que passou por coisas bem complicadas no passado e convive com uma culpa dentro de si, mas sua história de superação é inspiradora.

Resenha: livro "O lado escuro da madrugada", Roberto Giacundino
Resenha: livro "O lado escuro da madrugada", Roberto Giacundino

 Detalhes: 272 páginas, ISBN-13: 9788584422050, Skoob. Onde comprar online: compare preços.

 A edição da Pandorga tem uma capa bonita, páginas amareladas finas, diagramação com letras, margens e espaçamento de bom tamanho. Achei interessante como no início de cada capítulo havia uma ilustração de galhos secos, e no epílogo (obrigada por esse epílogo, Roberto, pois o capítulo final tinha me deixado com o coração partido pensando que algo tinha acontecido com determinado personagem) há a ilustração do galho com as folhas.

 Enfim, "O lado escuro da madrugada" é um livro que eu gostei e recomendo, especialmente para quem procura bons romances policiais nacionais e de leitura fluida, pois os 75 capítulos curtos da obra parecem voar quando você se vê extremamente curioso para descobrir o destino de Sandra Garcia. Por hoje é só, espero que tenham gostado do post. Me contem: já conheciam o livro ou o autor?

Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:

26: meu aniversário

Marijleite
Sim, eu amo usar filtros fofinhos nas fotos!
Para quem, até algum tempo,
 nem conseguia postar uma foto de perfil
de tanta timidez, é uma evolução e tanto!
 Como já é tradição nesses sete anos de blog, vinte e quatro de dezembro é dia de post sobre o meu aniversário! Mesmo que ninguém se interesse, eu gosto de registrar meus pensamentos e sentimentos nessa mudança de idade.

 Os vinte e cinco sempre foram uma idade com a qual sonhei, imaginado como estaria minha vida... Já para os vinte e seis, não havia traçado muitos planos.

 Graças aos Céus, tenho minha família por perto, ainda que tenhamos enfrentado turbulências recentemente. Consegui me sair bem no último semestre da faculdade. Mas ainda não escrevi o tão sonhado livro. Se bem que participei de mais algumas antologias. Aos vinte e cinco, me senti bem como nunca havia me sentido antes.

 Para os vinte e seis, não tenho muitas metas traçadas. Quero aproveitar as oportunidades que surgirão. Espero que vocês continuem acompanhando o blog.

 Obrigada!

 Feliz Natal!

 Maria.

Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:

Vídeo: box de Harry Potter exclusivo da Amazon

 Olá pessoal, tudo bem? Em 2012, vi o filme e li pela primeira vez "Harry Potter e a pedra filosofal", primeiro título da série de livros escrita pela J. K. Rowling e publicada no Brasil pela Rocco. Desde então, minha vontade de adquirir os livros da série era grande, mas só agora, em 2017, pude adquirir (depois de ter certeza que queria muito ler todos os livros, já que, até então, só tinha lido os dois primeiros, e de ter tentado ler o terceiro livro em e-book durante TRÊS MESES e falhado [atualmente, gosto muito mais do livro físico]).

Vídeo, box-Harry-Potter-exclusivo-Amazon, review, melhor, fotos

 Enfim, uma semana antes da black friday e depois de ter pesquisado opiniões sobre ele, comprei o box de Harry Potter vendido exclusivamente na Amazon por R$119,00 e frete grátis. Se consideramos que cada livro saiu por R$17,00, foi um bom preço. Gravei um vídeo mostrando como é o box, apertem o play para conferir:


 Além de considerá-lo o mais bonito, o que me levou a escolher esse box novo ao invés dos outros já existentes, foi ter lido comentários que diziam que ele tinha a melhor diagramação e o melhor material (e olha que disse no vídeo que a diagramação é um pouco apertada). Li também que o box cujas lombadas dos sete livros formam o Castelo de Hogwarts, além de não ter orelhas nos livros, é difícil de recolocar os volumes dentro da caixa. Já sobre o box branco e mais antigo, o que me desmotivou a adquiri-lo foi o fato de os livros terem páginas brancas. E preferi comprar o box ao contrário de comprar os livros separadamente por achar melhor ter a caixa para guardá-los.

box-Harry-Potter-exclusivo-Amazon, review, melhor, fotos
Vídeo, box-Harry-Potter-exclusivo-Amazon, review, melhor, fotos, diagramacao
Vídeo, box-Harry-Potter-exclusivo-Amazon, review, melhor, fotos, capas

 Sinopse do primeiro livro, Harry Potter e a pedra filosofal: Conheça Harry, filho de Tiago e Lílian Potter, feiticeiros que foram assassinados por um poderosíssimo bruxo, quando ele ainda era um bebê. Com isso, o menino acaba sendo levado para a casa dos tios que nada tinham a ver com o sobrenatural pelo contrário. Até os 10 anos, Harry foi uma espécie de gata borralheira: maltratado pelos tios, herdava roupas velhas do primo gorducho, tinha óculos remendados e era tratado como um estorvo. No dia de seu aniversário de 11 anos, entretanto, ele parece deslizar por um buraco sem fundo, como o de Alice no país das maravilhas, que o conduz a um mundo mágico. Descobre sua verdadeira história e seu destino: ser um aprendiz de feiticeiro até o dia em que terá que enfrentar a pior força do mal, o homem que assassinou seus pais, o terrível Lorde das Trevas.
O menino de olhos verdes, magricela e desengonçado, tão habituado à rejeição, descobre, também, que é um herói no universo dos magos. Potter fica sabendo que é a única pessoa a ter sobrevivido a um ataque do tal bruxo do mal e essa é a causa da marca em forma de raio que ele carrega na testa. Ele não é um garoto qualquer, ele sequer é um feiticeiro qualquer; ele é Harry Potter, símbolo de poder, resistência e um líder natural entre os sobrenaturais.
 Compare preços e compre online: box branco no Submarinoclique e compare preços: www.buscape.com.br/livros/harry-potter

 Por hoje é só, espero que tenham gostado do post e do vídeo. Se você ainda não é inscrito, clique aqui e se inscreva no canal Pétalas de Liberdade. Me contem: já leram todos os livros de Harry Potter e viram todos os filmes? Tem um livro favorito da série? Compraram todos os livros ou algum box?

Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:

RESENHA: Laço Eterno, de Renata Melo

Olá Leitores (as), como estão? Hoje trago a resenha do livro Laço Eterno, da autora Renata Melo, que era uma obra que eu vinha querendo ler já tinha algum tempo, e agora tive esta grande oportunidade. Por esta razão venham conferir minha opinião completa sobre minha leitura.

Título: Laço Eterno
Autora: Renata Melo
Editora: Buqui
Ano: 2016
Páginas: 198
Gênero: Romance / Literatura Nacional

SINOPSE
A jornalista e bem-sucedida Grenda Medeiros estava focada em entender por que tinha sonhos tão claros, conectados e intensos. Era como se estivesse assistindo a um filme, mas os sentimentos e sensações eram bem reais. Existia um homem, um amor intenso, que a fazia experimentar várias emoções ao mesmo tempo.
Sem nunca terem se encontrado, Alan Muller, jovem empresário, de família tradicional do Sul do país, visualiza a foto da colunista de uma reportagem e, desde então, não consegue entender a forte atração que o deixa obcecado por ela.
Esse premeditado encontro ou reencontro de almas causa uma combustão explosiva entre eles que irá precisar de Amor, Paciência e Persistência. (Skoob)

Como disse anteriormente esta é uma obra que queria muito ler, pois por várias vezes já havia lido resenhas e opiniões em outros blogs, da qual a trama acabou me chamando a atenção, e me despertou interesse pela leitura. E foi graças a um desses comentários que a autora Renata Melo me encontrou, e me convidou para que eu recebesse sua trilogia para resenha-la. Com muita empolgação e animação aceitei na hora, e aqui estamos com a resenha deste livro maravilhoso! Queria, aliás, aproveitar o dado momento para agradecê-la, por me proporcionar esta leitura tão agradável, e por ter me enviado suas obras. 


“Não queria passar mais tempo com ele, estava sendo muito doloroso, porque a cada minuto o amava mais, mesmo com tudo que estava fazendo com ela.” (pag. 81) 


O livro traz a estória de Grenda Medeiros e Alan Muller. Grenda vem tendo os mesmos sonhos com certa frequência, e a cada vez eles se tornam mais reais. Entretanto, a princípio não consegue compreender a relação que existe entre ela e Amanda, a garota que vive em seus sonhos, muito menos o que Jhon, ou seria Alan, estaria fazendo presente nesses momentos. E a partir disto vamos acompanhado Grenda em suas terapias para poder tentar compreender o motivo de ter estas visões tão vívidas. Principalmente após ela ter de ir viajar para cobrir um evento esportivo de MotoCross, onde se esbarra com Alan, um dos participantes do campeonato, e tem a simples sensação de que o conhece de uma vida inteira. Será que isto é uma simples coincidência, ou realmente estaria correlacionado? Eis a questão que só irão descobrir após ler este livro.


Ele não conseguia mais resistir. Alan a puxou para junto do seu corpo e a beijou.
_Alan..._ A voz tranquila e relaxada por causa do vinho foi reconhecida por ele com carinho.
Eles se olhavam.

_Grenda, me deixe amá-la! (pag.89)


Durante esta leitura admito que tive um misto de emoção. Teve momentos que odiei ambos os personagens por tomarem atitudes precipitadas, sem pensar nas consequências, mas principalmente pelo egoísmo e tentativa de Alan em controlar a vida de Grenda por diversas vezes, e ela por mais que tentasse se esquivar sempre caía em suas armadilhas.  Porém a autora conseguiu me pegar de jeito, já que ao decorrer da leitura, e desenvolvimento da estória vamos compreendo os motivos de ambos agirem de certa maneira. Nada que justificasse tal atitude, contudo passamos a nos questionar se quando amamos, chegamos a tal ponto que acabamos metendo os pés pelas mãos achando que estamos fazendo o melhor para nós mesmos, e pro nosso parceiro (a). Enfim, tanto Alan, quando Grenda, possuem seus pontos positivos e negativos, e cometem erros como qualquer pessoa normal, e isto a meu ver deixou o livro ainda mais instigante.


Grenda continuou fingindo estar dormindo, e ele respeitou.

_Boa noite, meu amor._Sussurou em seu ouvido. (pag.99) 


Alguns pontos desta trama ficaram em aberto, principalmente quando dava uns saltos em que alguma das vezes me pegou questionando que talvez tivesse perdido alguma coisa no meio destes intervalos de tempo, e anos. E talvez por este motivo senti falta de que o livro tivesse mais páginas, e pudesse me explicitar melhor estas questão de vidas passadas, reencontros e ligações de alma. Por se tratar de uma trilogia espero que isto seja mais bem explicado nos próximos livros, que inclusive já estou ansiosa para começar logo a leitura.

_Alan, você acredita em vidas passadas?
_Por que essa pergunta?_ Tinha ficado surpreso.
_Pode apenas me responder.
_Tenho certeza de que não faz sentido tudo acabar em uma só vida. (...) (pag.104) 


 Bom, durante a leitura deste livro, me peguei questionando até onde o destino e algo real, visto que esta foi uma estória bastante legítima e original aos meus olhos. Até pelo fato de perceber o quanto esta questão do desejo do inconsciente, que antes a meu ver era inacessível, hoje á algo tão palpável e concreto. No entanto claro que isto é uma questão que vai se diferenciar de leitor para leitor a partir de suas vivências, crenças e valores. Recomendo a obra para todos os amantes de romance, e que procuram uma leitura rápida, envolvente, e que provoca um misto de emoções desde raiva, ódio, até suspiro, diversão e boas risadas. Inclusive a autora deixou um gancho neste livro para a continuação que me deixou um sorriso bobo no rosto. Mas, e vocês já tiveram oportunidade de ler este livro, ou se interessaram por esta leitura? Deixe nos comentários a opinião de vocês, é sempre muito importante e bem vinda.

Espero que tenham gostado, e por hoje é só.

Até o próximo post


Me acompanhe nas redes sociais:

Minhas consideração sobre "Stranger Things", primeira temporada (e dica de como ganhar vale Netflix)

 Olá pessoal, tudo bem? No post de hoje, venho comentar sobre o que achei da primeira temporada de "Stranger Things", série que tem dado o que falar desde o seu lançamento na Netflix no ano passado.

Stranger Things, Netflix
De cima para baixo: Will, Joyce, policial Jim, Nancy, Jonathan, Onze, Lucas, Mike e Dustin. fonte
 Quem acompanha o blog há mais tempo, deve saber que eu não assistia séries (minha TV só tinha canais abertos e minha paciência para esperar minha internet lenta baixar séries ou me permitir assisti-las online é zero). Até que, esse mês, meu marido teve uma pequena lesão e precisou ficar afastado do trabalho, e como ele vive reclamando de só passar filme repetido na TV, sugeri que experimentássemos a Netflix, já que o primeiro mês é grátis e depois o plano básico custa só R$19,90. Ele gostou da ideia e, uma noite, insisti para que ele visse pelo menos o primeiro episódio de "Stranger Things" comigo (nossos gostos são bem diferentes) e ele aceitou. Resultado: nos dias seguintes, eu tinha que pedir para ele me esperar pra assistirmos os próximos episódios juntos, tamanha era a curiosidade dele em saber o que aconteceria no próximo capítulo.

 Para quem não sabe do que a história se trata, a trama é ambienta nos anos oitenta, o que fica bem visível nos penteados de alguns personagens e nos aparelhos eletrônicos de algumas casas. Em uma  pequena cidade chamada Hawkins, conheceremos quatro garotos que são amigos: Mike (Finn Wolfhard), Dustin (Gaten Matarazzo, o ator tem uma síndrome que afeta o crescimento dos seus dentes), Lucas (Caleb McLaughlin) e Will (Noah Schnapp). Certa noite, quando voltava da casa de Mike, Will desaparece!

 O desaparecimento do garoto mobiliza toda a cidade. Inclusive, Mike, Dustin e Lucas decidem entrar na busca pelo amigo, mas o que acabam encontrado é Onze (ou Eleven em inglês, interpretada pela atriz Millie Bobby Brown), uma garota que tem poderes (como mover cosias com a mente)! Eles não sabem, mas o público já tem a informação de que Onze era mantida num laboratório, sendo usada em experiências. Só que algo deu errado nesse laboratório, muito errado!

Stranger Things, Netflix
Lucas, Mike, Onze e Dustin. O final desse episódio foi de ficar de boca aberta! (fonte)
 E ao longo dos oito episódios da primeira temporada, vamos montando o quebra-cabeças que inclui o laboratório, o que escapou de lá, Onze com seus segredos e dons, e a dúvida sobre Will estar ou não vivo.  Joyce (Winona Ryder), mãe do Will, nunca duvidou que reencontraria o filho, tanto que usava lâmpadas para se comunicar com ele, o que era visto como um indício de loucura por algumas pessoas. Jim Hopper (David Harbour), o chefe de polícia, sabe bem o que é perder um filho, e pouco a pouco vai percebendo que o desaparecimento de Will esconde mais do que parece.

Stranger Things, Netflix
Jonathan, Nancy e Steve. (fonte)
 A maioria dos personagens me surpreendeu, mas a minha maior surpresa foi com o Steve (Joe Keery), ele era uma espécie de bad boy/mauricinho, namorado da Nancy (Natalia Dyer), a irmã mais velha do Mike, e fez umas coisas legais e inesperadas nos últimos episódios. A Nancy foi outra que me surpreendeu, inicialmente me parecia só uma adolescente tímida e estudiosa, mas foi se mostrando mais forte a cada episódio. A mãe da Nancy e do Mike, Karen (Cara Buono) também é uma personagem interessante, na busca entre ser a autoridade da casa e manter um diálogo com os filhos. O relacionamento de Jonathan (Charlie Heaton) com o Will, seu irmão mais novo, mostrado em flashbacks, foi outro ponto alto, Will era visto como um "menino sensível", mas para Jonathan a futura orientação sexual do irmão não tinha importância nenhuma, o que valia era a amizade dos dois. "Stranger Things" tem várias subtramas, além de trazer uma certa diversidade (temos personagens negros, gordos...).

 O Dustin roubou meu coração com a sua fofura; apesar de ser o responsável por algumas cenas engraçadas, ele também se mostra muito inteligente e a "voz da razão" em determinados momentos. Agora, vamos falar da Onze/Eleven: ela é uma personagem que não fala muito, mas seu olhar é tão expressivo! A atriz que a interpreta arrasou!

Stranger Things, Netflix
 Na Netflix, "Stranger Things" é classificada como "ficção científica e fantasia", mas já vi alguns lugares que a classificam como terror. E a série tem sim umas cenas assustadoras! Especialmente quando apare um monstro que as crianças apelidam de Demogorgon e quando adentramos ao mundo invertido. Dei alguns pulos no sofá, me encolhi o máximo para o pé não ficar pra fora, me escondi atrás do meu marido para não ver algumas coisas, haha. "Stranger Things" faz jus ao nome (traduzido significa "coisas estranhas").

 Enfim, "Stranger Things" é uma série muito boa e que eu recomendo. Tenho que comentar sobre o ótimo visual (cenários, figurinos...) e a trilha sonora, especialmente a abertura, que é de arrepiar! A primeira temporada termina de forma satisfatória, deixando alguns ganchos para a próxima (lançada esse ano e que estou bem curiosa para ver logo!).

 Se você tem vontade de assistir, aproveite também o primeiro mês grátis (a primeira temporada tem oito episódios de menos de uma hora cada, dá pra ver pelo aplicativo no celular, pelo computador e pela smart TV). Como o que é bom a gente tem que dividir, deixa eu dar uma DICA MARAVILHOSA: se você se cadastrar nesse site de pesquisas (clica), você pode juntar pontos e trocar por um vale Netflix! Se ainda não é cadastrado, clique e se cadastre.




 Por hoje é só, gostaram do primeiro post sobre séries aqui no blog? Quem mais também gosta de "Stranger Things"?

Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:

Resenha: livro "Romance em San Marino: Livro I", Lídia Rayanne

 Olá pessoal, tudo bem? Na resenha de hoje venho comentar sobre minha experiência de leitura com o livro "Romance em San Marino: Livro I", escrito pela Lídia Rayanne e publicado em e-book na Amazon em 2017.

Resenha: livro "Romance em San Marino: Livro I", Lídia Rayanne

 Na obra, ambientada no século dezenove, conheceremos Marco Casali, um jovem que nasceu para governar, um rapaz privilegiado que tinha tudo o que poderia querer da vida. Ele desejava seguir os passos do pai e ser um dos líderes da República de San Marino, porém, percebeu de forma vergonhosa que ainda tinha muito o que aprender.

 É aí que a jovem Ângela Olivério entra na história. Ela era uma professora que acreditava que a educação podia ajudar as pessoas. Filha de um militar de baixa patente, sempre se interessou por aprender, mesmo vivendo em uma sociedade onde as opiniões das mulheres eram pouco valorizadas e elas deveriam se dedicar apenas ao trabalho doméstico e aos filhos. Ângela estava sendo pressionada pelo pai e pela sociedade a se casar, mas não estava nem um pouco contente com isso, pois provavelmente teria que parar com sua escola após o casamento.

 Mas Marco não viu Ângela como uma moça que precisava casar, ele a viu como uma professora que sabia muito mais do que ele a respeito da história de San Marino, e que podia ajudá-lo a ser um líder melhor para o país. Patriota como era, Ângela aceitou dar aulas para Marco.

Resenha: livro "Romance em San Marino: Livro I", Lídia Rayanne

 “Você se acha o máximo, não é?”
 “Eu sou o MÁ-XI-MO.” Marco separou cada sílaba como se fosse a coisa mais óbvia do mundo. Ângela revirou os olhos enquanto se aproximava dele.
 “A humildade é uma virtude essencial a um líder, signore Casali.”

 Gostei muito do livro da Lídia! Acredito que ele possa ser classificado como um romance histórico ao invés de simplesmente como romance de época. A obra tem personagens interessantíssimos. A forma como Ângela ama o seu país é impressionante. Marco é um rapaz com uma autoestima super elevada, ele se acha o máximo, e em alguns momentos ele é mesmo um rapaz perfeito, com um coração muito bom, mas o fato de "se achar" o coloca em algumas enrascadas (tipo despencar do telhado onde teve que se esconder para escapar de uma briga).

 Eu sofri muito com as cenas onde o pai da Ângela a pressionava para se casar logo, era revoltante, mas seu amor pelos filhos me fez gostar um pouquinho mais dele. O irmão mais novo da Ângela é uma graça, uma figura! Há algo no passado da mãe dela que deixou marcas na família, uma espécie de segredo. Assim como a família do Marco também passou por coisas complicadas no passado. Além deles, personagens novos surgem para dar uma movimentada na trama.

 Agora, vamos ao romance! O relacionamento de Marco e Ângela começa com uma relação entre aluno e professora, e vai evoluindo para uma amizade. Como um "rapaz perfeito", Marco tem uma namorada a quem ama muito. Mas no decorrer dos capítulos, um sentimento diferente vai nascendo entre ele e Ângela. É muito interessante observar como o amor deles nasce aos poucos e vai crescendo. E para quem não curte cenas hot, "Romance em San Marino" é livre para todas as idades!

 Diferença de classes sociais, o fato de não ser fácil terminar um relacionamento e os perigos de uma época de guerras napoleônicas ameaçarão o romance dos nossos protagonistas. E esse primeiro livro da duologia termina deixando ganchos para o volume final (já disponível na Amazon). Lembram que comentei sobre o surgimento de personagens novos? Então! Eles devem causar bastante confusão no próximo livro, estou curiosíssima para conferir.

 Enfim, "Romance em San Marino" é um livro completo, durante a leitura você pode se divertir, ficar com o coração na mão quando os problemas surgirem, suspirar em alguns momentos e também se encantar ao aprender um pouco mais sobre a história de San Marino, essa república com características super interessantes. Eu li o e-book em um final de semana, mas se você não gosta de ler e-books, a boa notícia é que VAI TER LIVRO FÍSICO! A autora assinou contrato com a Editora Skull, e com toda certeza vou querer adquirir o livro impresso para poder reler (anda mais com essa capa linda). Curtam a página do livro para saber as novidades sobre a publicação: facebook.com/pg/romanceemsanmarino (siga também no Instagram: @romanceemsanmarino).

 Detalhes: Skoob (média de notas: 4,4)site da autorabook trailer, compre na Amazon (disponíveis no Kindle Unlimited):

 * Quero deixar meu pedido de desculpas à autora, que cedeu o e-book em parceria. Eu o li no final de setembro, época de estágio na faculdade, e acabei demorando para escrever a resenha. Quem acompanha o blog deve ter percebido que costumo colocar várias citações nas resenhas, mas quando fui procurá-las no meu aplicativo do Kindle (no celular e no programa no computador), elas simplesmente tinham sumido, não achei mais as marcações e por isso temos apenas uma citação (não tem como esquecer o fato de o Marco se achar o máximo, rsrs!), talvez eu ainda conseguisse recuperá-las no tablet (onde eu li), mas aí a resenha demoraria ainda mais.

 Por hoje é só, espero que tenham gostado da indicação de leitura. Me contem: já conheciam o livro ou a autora? E San Marino?

Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:
Topo